Maranhão lidera criação de emprego com carteira no Nordeste pelo 2º mês seguido

O Maranhão foi o Estado que mais criou empregos com carteira assinada no mês de julho no Nordeste, de acordo com o Ministério do Trabalho. É o segundo mês seguido em que o Maranhão lidera a geração de postos de trabalho na região.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado mensalmente pelo Governo Federal. O Maranhão criou 1.853 empregos formais em julho, repetindo o desempenho positivo do mês anterior.

Além disso, o crescimento do Estado na geração de empregos (0,40%) foi maior que a média nacional e a do Nordeste (ambas de 0,12%).

Parceria com os empresários

O Maranhão tem conseguido gerar empregos graças à parceria firmada desde 2015 entre o Governo Flávio Dino e os empresários. Flávio estabeleceu incentivos para criar empregos, o que vem dando resultados concretos, como mostra o Caged.

Isso também tem a ver com o ambiente saudável de negócios que foi criado no Maranhão, com segurança para os investimentos e programas de apoio a áreas estratégicas.

Os empresários se sentem confiantes para investir porque sabem que o Maranhão hoje tem uma solidez econômica muito maior que no passado. O Governo vem pagando em dia – quase sempre antecipando – os salários dos servidores, o que também mostra a saúde fiscal do Estado.

Junto com os programas de geração de trabalho e renda – além das obras tocadas pelo Governo em todas as regiões do Maranhão –, esses fatores vêm estimulando cada vez mais a geração de empregos, mesmo com a crise econômica nacional que vem prejudicando o Brasil.

Maranhão tem a maior queda de homicídios no Nordeste, mostra Anuário Brasileiro de Segurança

A mais recente edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostra que o Maranhão continua reduzindo os homicídios e teve a maior queda nesse tipo de crime entre 2016 e 2017 no Nordeste.

A publicação é feita pelo Fórum de Segurança Pública, uma das mais respeitadas instituições no Brasil quando o tema é o combate à violência.

De acordo com o estudo, o Maranhão teve queda de 12,9% nos homicídios entre 2016 e 2017. Outros quatro Estados também tiveram redução, mas menor que a maranhense. O Piauí registrou diminuição de 7,2%, seguido por Bahia (queda de 5,2%), Paraíba (queda de 3,6%) e Alagoas (queda de 0,1%).

Os piores resultados são do Ceará (alta de 50,4%) e Pernambuco (alta de 19,4%). Rio Grande do Norte e Sergipe não tiveram os dados divulgados.

Brasil

O resultado do Maranhão também destoa da média nacional, que registrou aumento de 2,1% nos homicídios entre 2016 e 2017. Levando em conta todo o país, o Maranhão teve a quinta maior redução.

Em números absolutos, o Brasil teve 55.900 homicídios em 2017, acima dos 54.338 verificados em 2016.

Segundo o estudo, das 27 unidades federativas, apenas 13 conseguiram reduzir o número de homicídios.

Governadores do Nordeste são favoritos à reeleição, aponta consultoria

Levantamento realizado pela consultoria Arko Advice, publicado pelo jornalista Luís Carlos Azedo, no jornal Correio Brasiliense, mostra que, dos 20 candidatos à reeleição aos governos estaduais, somente cinco têm índices de intenção de votos acima de 40%. Todos são governadores de estados da região Nordeste. Destes, quatro são filiados a partidos de esquerda.

O artigo intitulado “A maré é brava”, mostra que os governadores do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB); de Alagoas, Renan Filho (MDB); da Bahia, Rui Costa (PT); do Ceará, Camilo Santa (PT), e do Piauí, Wellington Dias (PT) são os mais bem avaliados do país e favoritos para o pleito de outubro.

Com a média de 60% das intenções de votos nas pesquisas divulgadas este ano, até o momento, para a corrida eleitoral no Maranhão, Flávio Dino tem quase o dobro do percentual da segunda colocada na disputa, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

De acordo com Azedo, um balanço da situação eleitoral nos estados revela que a maioria dos governadores está em risco eleitoral, seja por causa das dificuldades financeiras e dos ajustes fiscais feitos durante a recessão, seja por envolvimento na Lava Jato ou outros escândalos.

No Maranhão, Flávio Dino passa incólume por todos esses problemas. Sem escândalos de corrupção em seu governo ou envolvimento com os nacionais, Dino é o governador mais eficiente do Brasil, de acordo com o levantamento do portal G1, da Rede Globo.

Edivaldo Holanda aponta investimentos que destacam São Luís entre as capitais do Nordeste

O deputado Edivaldo Holanda (PTC) declarou, na sessão desta quarta-feira (4), que, graças aos investimentos feitos pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior, São Luís figura como a terceira capital do Nordeste que mais se desenvolveu em 2016. Este destaque, segundo o deputado, está registrado em recente estudo divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

De acordo com o deputado, mesmo em face da grave crise nacional, o prefeito Edivaldo conseguiu elevar São Luís a um patamar inédito, graças a muito trabalho e planejamento. “A curva de desenvolvimento no município de São Luís foi retomada e a tendência é que, nos próximos levantamentos, a cidade apareça em posição de destaque ainda maior. Os avanços são vistos em todos os setores da cidade”, declarou o deputado.

Ele frisou que, na área da educação, o prefeito Edivaldo retomou e climatizou escolas, realizou concurso público, investiu na capacitação dos professores, reduziu a distorção de quatro para dois calendários, promoveu a queda do índice de analfabetismo mediante ações reforçadas e expandidas com o lançamento do programa “Educar Mais”.

Na área da infraestrutura, segundo o deputado, o prefeito Edivaldo também conseguiu dar uma guinada na cidade. “O grande volume de obras espalhadas por São Luís é visível, indo de intervenções de trânsito até pavimentação de ruas, construção de pontes e rede de drenagem”, frisou o parlamentar.

Na área saúde, outro setor analisado pelo estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro na gestão do prefeito Edivaldo, destaca-se o reforço na atenção básica, reforma de unidades de saúde, investimento em equipamentos e capacitação de pessoal. Outro marco da gestão, que também contribuiu para o bom resultado no estudo da Firjan, foi o pagamento em dia do funcionalismo público.

“Para administrar uma cidade como a nossa, dentro da crise que a nação atravessa, é necessário realmente ter planejamento, gestão pública, os olhos e as ações voltadas para a multiplicação de recursos escassos, quase inexistentes, para além de pagar uma folha altíssima, em dia e, muitas vezes, com datas anteriores a que o calendário marca, obras de intervenção, como engenharia de trânsito e bairros inteiros recuperados em um território imenso completamente destruído ao longo de décadas”, discursou o deputado.

Ao encerrar seu pronunciamento, o parlamentar parabenizou o prefeito Edivaldo Holanda Júnior em razão dos investimentos realizados na capital maranhense. “Há muitas necessidades, é verdade, mas os recursos são imensamente escassos. Com determinação, vontade, gestão e planejamento, o prefeito tem conseguido fazer muito mais”, ressaltou.

OPINIÃO | Nordeste na vanguarda da comunicação cidadã

A agenda de retrocesso imposta ao país pelo governo Michel Temer (MDB) ameaça recentes conquistas da comunicação pública. Sob o dogma do Estado mínimo, Temer e aliados incluíram a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) no pacote das empresas públicas passíveis de extinção. Pôs em prática o Plano de Demissão Voluntária (PDV) para os servidores da empresa com redução prevista de até 22% do quadro de pessoal.

Mais recentemente, o Conselho de Administração da EBC rebaixou a empresa criada para desenvolver a comunicação pública à categoria de agência de comunicação governamental. Determinou que a Agência Brasil passe a oferecer apenas conteúdos jornalísticos estatais. A deformação autoritária da empresa iniciada após o golpe de 2016 mereceu o repúdio do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) e dos ex-presidentes da EBC.

A cartilha da negação do direito à comunicação já havia sido adotada no Rio Grande do Sul, onde o governador Ivo Sartori, coincidentemente do MDB, extinguiu o sistema público de comunicação do estado. Os projetos encaminhados pelo governo à Assembleia Legislativa extinguem a TVE, a rádio FM Cultura, entre outras instituições.

É inevitável a comparação com o desmonte da Rádio Timbira AM pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB), na década de 1990. Ao não conseguir seu intento de privatizar a rádio, tal qual o aliado Temer, a emedebista impôs um PDV aos funcionários da emissora e sucateou a mais longeva rádio do estado. Foram mais de duas décadas de abandono e ostracismo.

Pois bem. A despeito dos reveses, nem tudo são trevas na comunicação pública. Há luz no fim do túnel. Na última semana, trocamos experiências acerca da comunicação estatal pública com dirigentes de rádios e TVs de estados nordestinos. É especialmente estimulante ver a valorização da comunicação estatal pública nos estados da Bahia, Sergipe, Alagoas e Paraíba.

Os baianos contam com a TV Educativa e a Rádio Educadora FM. Ambas geridas pelo Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (IRDEB). Em Aracaju, a Fundação Aperipê reúne televisão Educativa (Aperipê TV) e duas emissoras de rádio: Aperipê AM e FM.

Nas Alagoas, o Instituto Zumbi dos Palmares (IZP) é responsável pela TVE e as Rádios Difusora AM e Educativa FM. Com mais de 80 anos, a Rádio Tabajara AM foi completamente reestruturada, bem como a emissora FM formando o sistema de comunicação estatal público da Paraíba.

No mar de intempéries e monopólio da grande mídia, as emissoras públicas do Nordeste destacam-se pelo jornalismo plural, diversidade da programação cultural e educativa.

Depois de duas décadas de abandono e descaso, a Nova 1290 Timbira AM está inserida nesse contexto. Agora, participa de esforço conjunto para estabelecer integração entre o sistema público de comunicação da região. Um grande desafio!

As parcerias de conteúdo e cooperação técnica se constituem num passo de elevado significado e importância para a garantia do direito humano fundamental à liberdade de expressão e livre acesso às informações.

Iniciativa, que coloca o Nordeste na vanguarda da comunicação pública do país.

Radialista, jornalista, Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.

São Luís recebe campeonato Norte-Nordeste de jogos eletrônicos

Nos dias 31 de maio a 03 de junho, São Luís vai receber a primeira edição da Well Played Cup, maior competição de eSports Norte Nordeste. O torneio vai ser realizado no São Luís Shopping e terá uma programação bastante extensa, com competições de League of Legends, Dota 2, Counter Strike: Global offensive, Fifa 18 e Clash Royale.

O evento vai reunir alguns dos maiores influenciadores e atletas virtuais da atualidade, jogadores que são celebridades no mundo do eSport, como Danylo Nascimento (Kingrd), jogador da Pain Gaming e um dos maiores e melhores jogadores da história do Dota 2, além da dupla de casters do Dota 2, Renan Moura e Daniel Artioli. Quem também vai marcar presença no WP Cup é a dupla de casters de League of Legends, Flávio da Silva (P3po) e Luigi Mataratzis (Kaov), dois dos maiores nomes do LOL BR.

A narrativa vai ficar por conta da dupla de casters do CSGO, Tito e Bczz, duas personalidades bastante conhecidas no cenário brasileiro de eSports. O evento terá a presença de Daniel Cossi, presidente da Federação Brasileira de Desporto Eletrônico (CBDEL), entidade máxima do esporte eletrônico no Brasil.

Cerca de 50 times de todo o País já se inscreveram para disputar o campeonato. Os valores dos ingressos são a partir de R$ 40 reais e podem ser adquiridos antecipadamente no site www.sympla.com.br/well-played-cup_286111.

De Assessoria.

Maranhão é o 2º Estado do Nordeste que mais criou emprego com carteira assinada em março

Além de ter o maior saldo de empregos com carteira assinada dos últimos oito anos para o mês de março, o Maranhão também se destacou no desempenho da Região Nordeste. Embora a média regional tenha registrado queda, o Estado destoou e teve o segundo maior número de vagas da região.

O Maranhão criou em março 1.017 postos com carteira assinada, um crescimento de 0,22%. Já o Nordeste inteiro teve o número inverso: uma queda de 0,22%. Foram 13.608 postos perdidos.

Além disso, o Maranhão só ficou atrás da Bahia na criação de novos empregos formais.

Trimestre positivo

No acumulado do primeiro trimestre do ano, o desempenho do Maranhão também é positivo, destoando mais uma vez do Nordeste, que cortou mais vagas do que criou.

Entre janeiro e março, apenas quatro Estados nordestinos tiveram alta no emprego – entre eles, o Maranhão. E cinco tiveram queda.

Serviços 

O setor que mais contribuiu para a geração de empregos em março no Maranhão foi Serviços, com um crescimento de 0,70% e mais de 1.300 postos com carteira assinada.

O Governo tem atraído empresas do setor de Serviços com incentivos para gerar emprego. Um dos exemplos é o novo Parque Empresarial de São Luís, que já gerou centenas de vagas no setor atacadista.

Secretário Carlos Lula é eleito vice-presidente do Conass para o Nordeste

O secretário de Estado da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, foi eleito o novo vice-presidente do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) para a Região Nordeste, nesta quarta-feira (21), em Brasília. A entidade, que reúne todos os 27 secretários estaduais de Saúde do Brasil, também escolheu a nova diretoria para a gestão 2018/2019.

A eleição do chefe da pasta da Saúde do Maranhão para o cargo de vice-presidente foi realizada de forma unânime por todos os representantes do Nordeste. Segundo Carlos Lula, o desafio é unificar as estratégias dos nove Estados do Nordeste para garantir maior eficácia às ações no âmbito da saúde pública nesta região do país.

“É uma alegria compor a diretoria do Conselho. A gente tem uma missão que é estabelecer uma pauta unificada do Nordeste – aspecto já mencionado para o presidente do Conass. Temos problemas comuns, temos desafios comuns. Além disso, a gente pretende fazer, em breve, um evento, primeiramente no Maranhão, para que possamos discutir e compartilhar as experiências exitosas dos estados”, antecipou o secretário Carlos Lula.

O encontro também elegeu o novo presidente do Conass, Leonardo Vilela, secretário de Estado da Saúde do Goiás, que enfatizou a importante atuação do secretário do Maranhão nos debates do Conselho.

“O secretário Carlos Lula é um secretário extremamente atuante, participa de todas as assembleias do Conass. Ele tem contribuído sobremaneira com suas ideias no nosso debate sobre saúde pública no Brasil e, agora na condição de vice-presidente do Conass para a Região Nordeste, vai contribuir de forma ainda mais incisiva. Será uma grande honra trabalhar com Carlos Lula”, disse.

Para a gestão 2018/2019, foram eleitos ainda os vice-presidentes da Região Norte, Vitor Manuel Jesus Mateus (SES/PA); Região Sul, Acélio Casagrande (SES/SC); Região Sudeste, Ricardo de Oliveira (SES/ES); e, Região Centro Oeste, Humberto Fonseca (SES/DF).

Crise hídrica brasileira não está apenas no Nordeste, aponta ministro

O Brasil tem 917 municípios em crise hídrica, informou o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, ao participar do 8° Fórum Mundial da Água. Esse número corresponde aos municípios que estão em situação de emergência por seca ou estiagem até o dia 13 de março.

O ministro destacou que a crise hídrica não é mais um problema somente do Nordeste, onde estão a maioria das cidades. Do total de municípios, 211 estão na Bahia, 196 na Paraíba, 153 no Rio Grande do Norte, 123 em Pernambuco, 94 no Ceará, 40 em Minas Gerais, 38 em Alagoas, 18 no Rio de Janeiro, 17 do Rio Grande do Sul, além de registros em outros estados.
No fórum, o ministro destacou que é preciso fazer investimentos para ampliar e modernizar o sistema de abastecimento do país.

Segundo ele, o país tem cerca de 11% da água doce do planeta, mas a distribuição territorial não é uniforme. “Temos de intensificar a cooperação entre os órgãos governamentais. É importante que os estados estejam integrados, otimizar as estratégias de uso racional”, disse.

Ela acrescentou que também é “determinante” revitalizar o Rio São Francisco, buscar integração entre baciais das regiões do Brasil e investir em saneamento básico.

“No momento em que constatamos que a escassez hídrica e a insegurança hídrica não mais se reportam apenas ao Nordeste, é fundamental que as intervenções passem por um diálogo federado”, acrescentou o ministro.

São Luís é a única capital do Nordeste fora do ranking das cidades mais violentas do mundo

A cidade de São Luís foi a única capital da região Nordeste do Brasil a ficar de fora do ranking com as 50 áreas urbanas mais violentas do mundo.

Divulgado pela organização de sociedade civil mexicana Segurança, Justiça e Paz, o levantamento aponta que o Brasil é o país com o maior número de cidades no ranking da violência, 17 no total.

Segurança

Até 2016, São Luís aparecia na relação. A saída da capital maranhense da listagem pode ter relação direta com o incremento das forças e equipamentos de segurança em todo o estado nos últimos anos.

De acordo com reportagem divulgada no jornal Folha de São Paulo, o Maranhão é a segunda unidade federativa que mais aumentou os investimentos em Segurança Pública.

O número de homicídios na Grande São Luís, por exemplo, caiu 40% em 2017 na comparação com 2014.