Manifestantes vão às ruas nesta quarta-feira (15), em São Luís, contra bloqueio de recursos destinados à educação

Estudantes e servidores da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA), realizaram na manhã desta quarta-feira (15) manifestações contra o bloqueio de verbas destinadas à educação. Durante o ato, os manifestantes bloquearam a entrada da UFMA e o trânsito da Avenida dos Portugueses, em São Luís, ficou parado. Uma nova manifestação deve ser realizada ainda hoje na capital, às 15h, com concentração na Praça Deodoro. A UFMA e o IFMA cancelaram as aulas de hoje para realizar o protesto.

Em abril, o Ministério da Educação divulgou que  todas as universidades e institutos federais teriam bloqueio 30% de recursos.  De acordo com o Ministério, o bloqueio é de 24,84% das chamadas despesas discricionárias — aquelas consideradas não obrigatórias, que incluem gastos como contas de água, luz, compra de material básico, contratação de terceirizados e realização de pesquisas. O valor total contingenciado, considerando todas as universidades, é de R$ 1,7 bilhão, ou 3,43% do orçamento completo — incluindo despesas obrigatórias.

Em 2019, as verbas discricionárias representam 13,83% do orçamento total das universidades. Os 86,17% restantes são as chamadas verbas obrigatórias, que não deverão ser afetadas. Elas correspondem, por exemplo, aos pagamentos de salários de professores, funcionários e das aposentadorias e pensões.

Segundo o governo federal, a queda na arrecadação obrigou a contenção de recursos e o bloqueio poderá ser reavaliado posteriormente caso a arrecadação volte a subir.

No início de maio, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou sobre a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

 

Rodoviários podem cruzar os braços a qualquer momento

Por: Juan Rabelo

Na manhã desta quarta-feira, dia 20, em coletiva de imprensa o presidente do sindicato dos rodoviários do Maranhão, Isaias Castelo Branco anunciou a possibilidade de paralisação do transporte público de São Luis, devido ao não cumprimento do acordo firmando entre a categoria e justiça do trabalho. Entre os pontos do acordo estão o reajuste de 7% nos salários, 7% no ticket alimentação, a garantia do plano de saúde e plano odontológico o que não vem sendo cumprida desde janeiro mesmo mês quando houve o aumento tarifário, data estipulada no acordo.

Em entrevista, a advogada e chefe do departamento jurídico do sindicato Vanuzia santos informou a realização de uma reunião com a Defensoria Pública às 15h para sanar todas as pendências não realizadas no acordo.

GREVE: rodoviários realizam novamente paralisação em empresa de ônibus em São Luís

Os rodoviários da empresa 1001, situada na Estrada da Maioba, estão realizando desde o início da madrugada desta terça-feira (22) uma paralisação em virtude da falta de pagamento dos seus salários. Os ônibus do transporte coletivo estão todos retidos na garagem da empresa. Por conta da paralisação, 25 bairros acabram sendo comprometidos.

De acordo com o representante do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (Sttrema), Abisair Lago, os trabalhadores estão com uma parte dos seus salários atrasados desde o mês de dezembro e sem receber também um vale de adiantamento referente ao mês de janeiro.

Devido ao problema os rodoviários afirmam que estão tendo dificuldade para se deslocar até o seu local de trabalho por falta de dinheiro.

Sobre a situação, a classe empresarial afirmou que, até o momento, não tem solução para o problema e nenhuma previsão de acordo. Apesar da paralisação dos rodoviários está sendo considerada pacífica, a Polícia Militar está no local para manter a segurança.

Por meio de nota, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão informou que os trabalhadores da empresa Solemar, vinculada ao Grupo 1001, permaneceram com as atividades paralisadas durante toda essa segunda-feira (21). São em média, 400 profissionais, entre motoristas e cobradores, que atuam em diversas linhas do Sistema de Transporte Público de São Luís. A paralisação foi motivada pelo atraso de salários e também pela não disponibilização do ticket alimentação.

Até o momento, os representantes da empresa não deram qualquer sinalização, sobre quando irão regularizar a situação dos trabalhadores, que estão se organizando para retomar o movimento na manhã desta terça. O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão ressalta, que continuará dando apoio ao movimento coordenado pelos trabalhadores, que no entendimento da entidade, é legítimo, já que o que está sendo reivindicado, é a garantia de direitos.

GREVE: com salários atrasados, motoristas e cobradores protestam na Cidade Olímpica

Motoristas e cobradores de ônibus da empresa 1001 realizam um protesto em frente a garagem no bairro Cidade Olímpica na manhã desta segunda feira (21). A categoria cruzou os braços em razão da falta de pagamento dos salários. Os trabalhadores deveriam ter sido pagos desde o dia 5 deste mês. A segunda parte do pagamento já deveria ter saído hoje (21).

Revoltados, eles resolveram chamar a atenção para o problema que já foi motivo de outra manifestação a menos de um mês. Pelo menos, 13 bairros são afetados pela falta de ônibus nas ruas nesta manhã. A Polícia Militar acompanha o protesto. Já na garagem da empresa 1001 na Forquilha a movimentação é tranquila e sem protesto.

NOVAMENTE: motoristas e cobradores cruzam os braços na manhã desta quarta-feira

Funcionários da Empresa Planeta (Antiga São Benedito), cruzaram os braços e não saíram da garagem na manhã desta quarta-feira, dia 9. Segundo a assessoria de comunicação do Sindicato dos Rodoviários são em média, 120 profissionais entre cobradores e motoristas que resolveram cruzar os braços devido ao atraso salarial, do ticket alimentação, da última parcela do 13º salário e também porque estão com os planos de saúde e odontológico suspensos aos motoristas e cobradores.

Até o momento, os representantes da empresa não se manifestaram, sobre quando irão regularizar a situação dos trabalhadores e dessa forma, eles seguem concentrados na porta da garagem da empresa, no Recanto dos Vinhais, com os ônibus parados. A Secretaria de Trânsito e Transportes já informou, que as linhas que a empresa Planeta atende, por meio do Consórcio Upaon-Açu, dentro do sistema de transportes de São Luís, já voltaram a operar através de outros ônibus. O Sindicato dos Rodoviários ressalta ainda, que continuará dando total apoio, ao movimento organizado pelos trabalhadores, que é legítimo, até que essa situação seja solucionada.
A empresa em questão atuam nas regiões da Cidade Operária, Cidade Olímpica, São Raimundo e Raposa

Motoristas e cobradores prometem continuar a grave caso pagamento não seja efetuado

 O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão mantém a decisão grevista, iniciada na manhã da última sexta-feira, dia 28, nas linhas de circulação da empresa 1001. Segundo o órgão até o momento não houve acordo entre os trabalhadores e os representantes do Grupo 1001. Os funcionários decidiram voltar pra casa e se os salários em atraso não forem pagos, prometem retomar o movimento na manhã deste sábado (29).
Cerca de 25 linhas que atendem o sistema de transporte público de São Luís, ficaram sem rodar nesta sexta-feira (28). O Sindicato dos Rodoviários do MA esclarece, que apoia toda e qualquer decisão dos trabalhadores do Grupo 1001, que estão sendo seriamente prejudicados pelo atraso no pagamento de salários e que se a escolha é pela manutenção do movimento, cabe a entidade acatar e prestar todo tipo de suporte aos trabalhadores.

PARALISAÇÃO: rodoviários cruzam os braços na manhã desta sexta-feira

Os rodoviários que integram a empresa 1001 estão realizando na manhã desta sexta-feira (28), em São Luís, uma paralisação de advertência. Os motoristas e cobradores reivindicam o pagamento do salário que eles alegam que está em atraso. De acordo com os rodoviários, a empresa não teria realizado o adiantamento referente a primeira quinzena referente ao mês de dezembro que estava previsto para o último dia 20, e por conta disso eles decidiram não trabalhar nesta sexta.

Por conta da paralisação, cerca de 25 bairros estão sendo afetados. Os rodoviários estão divididos nas garagens da empresa que ficam situadas nos bairros Forquilha e Cidade Olímpica e afirmam que só sairão do local após um acordo com o empresariado.

Os coletivos que fazem linha para os bairros Cohatrac, Parque Jair, Parque Vitória, Vila Palmeira, Angelim, Forquilha, Circular, Residencial da Ribeira, Parque Araçagi, Alto do Turu, Ipem Turu, Recanto Verde, Vila Esperança, Parque dos Nobres, Areinha, Bairro de Fátima, Bom Jardim, Santa Bárbara, Tibiri, Vila Itamar e zona rural da capital.

NOVAMENTE: Rodoviários anunciam paralisação para a próxima segunda (17)

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão tem sido cauteloso em todas as decisões tomadas. A entidade cumpriu com todos os prazos solicitados, esteve presente em todas as reuniões marcadas, se encontrou por diversas vezes com os empresários e até na semana passada, com representantes da Prefeitura de São Luís, mas o fato é que nenhum avanço ocorreu e a categoria, revoltada pela falta de acordo entre as partes, quanto a nova Convenção Coletiva de Trabalho,  e agora exige uma medida extrema.

Desta forma, o sindicato notificou a Prefeitura de São Luís, o SET, o Ministério Público do Trabalho e o Tribunal Regional do Trabalho, informando que os profissionais que atuam no transporte público da Grande São Luís, cruzarão os braços, na próxima segunda-feira (17), desde as primeiras horas, devido ao desinteresse dos patrões em negociar de maneira justa, reajustes nos salários, no valor do ticket alimentação, além da garantia da permanência de direitos dos motoristas e cobradores.

O impasse se arrasta desde o mês de Agosto, quando a proposta dos Rodoviários foi encaminhada aos empresários. Desde então, o acordo que deveria ter sido firmado em Setembro, nunca aconteceu. Os patrões nas poucas contrapropostas apresentadas, não ofereceram reajustes nos salários e nem no valor do ticket, querem que os trabalhadores arquem com 50% do valor do plano de saúde, pedem o fim do plano odontológico e o mais grave de tudo, exigem a extinção da função de cobrador, o que irá gerar demissão em massa no sistema. Nesses termos, o Sindicato dos Rodoviários, mais uma vez, ressalta que não há a menor condição em negociar, muito menos, estabelecer um acordo.

A entidade na semana passada se encontrou com representantes da Prefeitura, que se comprometeram em contribuir com as negociações entre as partes, para que um acordo fosse firmado o mais breve possível, mas até agora, não houve cumprimento da palavra e o Sindicato dos Rodoviários ressalta que não irá mais tolerar ser enrolado. “Já estamos praticamente às vésperas do Natal e nenhum posicionamento é dado aos trabalhadores, que com toda razão, estão revoltados por essa indecisão. Não temos mais tempo para esperar. Agora iremos pra cima. Estamos atendendo todos os trâmites judiciais legais e a partir da próxima segunda (17), retomaremos a paralisação da categoria e resistiremos, mesmo com a pressão da Prefeitura de São Luís, que no último movimento, chegou a solicitar da justiça que determinasse pagamento de multa, por parte do Sindicato, no valor de R$ 350.000,00 (trezentos e cinquenta mil reais), por cada dia da greve e mais, acreditem, a minha prisão em flagrante, caso estivesse no comando do movimento. Pedimos a compreensão dos usuários, mas não nos resta outra alternativa e quanto aos Rodoviários, esperamos contar com a união e a participação de todos no movimento. Essa luta não é só minha, é de todos nós e só conseguiremos alcançar nossos objetivos, se mostrarmos nossa força. Já que não querem negociar por bem, não há outra maneira que não seja parar o transporte público em São Luís“, afirma Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Ônibus voltam a circular normalmente na grande ilha

O Sindicato dos Rodoviários do MA informa que depois de boa parte da manhã parados, os ônibus que pertencem a Marina voltaram a circular. A empresa integra o Consórcio Upaon-Açu e atende bairros como Cidade Operária e Cidade Olímpica.
Parte dos trabalhadores recebeu ainda nesta manhã, o valor do ticket alimentação, que ainda não havia sido depositado. Os demais funcionários, devem receber hoje a tarde e nesta sexta-feira. Os representantes da empresa se comprometeram a pagar o adiantamento de salário, assim como as férias em atraso, o mais breve possível.
Diante dessa postura dos patrões, os diretores da entidade, decidiram acabar com o movimento, em frente a Garagem da empresa, mas o caso continuará sendo observado de perto pelo Sindicato, ou seja, se os empresários não cumprirem com o que foi combinado com os trabalhadores, a paralisação das atividades da Marina, será novamente deflagrada.

Rodoviários voltam a sinalizar possível paralisação

Nesta quinta-feira (1º), o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão realizou uma nova Assembleia Geral em dois turnos.

A categoria tratou novamente sobre os atrasos de salários, ainda do ticket alimentação, planos de saúde e odontológico, todos em atraso, além do décimo terceiro salário, que ainda não teria sido concedido para uma parte dos trabalhadores do sistema de transporte público da Ilha.

O Sindicato dos Rodoviários informa que ficou acordado que os trabalhadores irão aguardar até o 5º dia útil do mês de fevereiro, próxima quarta-feira‬ (7), como data final para que os empresários realizem os pagamentos devidos a todos os rodoviários.

Caso não haja a regularização, diz o Sindicato, será decretada greve no sistema de transporte público de São Luís, por tempo indeterminado, a contar do dia 8 de fevereiro.