Estudantes da rede municipal da Prefeitura de São Luís participam de projeto de estímulo à leitura

Criar o hábito de ler e formar novos leitores destacando que a leitura é um direito de todos e que desde pequenas as crianças devem ter contato com os livros. Com esta proposta a Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Maria Alice Coutinho, que integra a rede de ensino da Prefeitura de São Luís, realiza o projeto Saia Literária, que tem como foco estimular a leitura entre os estudantes das turmas do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. O projeto institucional é de autoria da coordenação pedagógica e elaborado por todo o corpo docente da escola.

Neste mês de outubro, o projeto Saia de Leitura incluiu mais um recurso voltado para trabalhar a indicação de livros entre os estudantes da U.E.B. Maria Alice Coutinho. Para tanto, foi montada uma programação que inclui contação de histórias, leitura em grupo e individual, além de produção textual. Os estudantes se reuniram no auditório, em torno de um tapete que simboliza uma saia e remete à roda de leitura e debates sobre os diversos livros que já leram e também que irão indicar aos colegas.

O secretário de Educação, Moacir Feitosa, ressalta que a iniciativa das escolas de elaborarem projetos para incentivar os estudantes à prática da leitura se faz necessária por ampliar a visão de mundo ao inserir um leitor competente na sociedade, possibilitando também a vivência de emoções, exercendo o mundo da fantasia e o da imaginação. “Ao incentivar e proporcionar momentos de leitura aos estudantes, maiores serão suas chances de estar integrado com o meio em que vive. A prática da leitura se faz necessária por ampliar a visão de mundo ao inserir um leitor mais preparado em nossa sociedade”, disse o titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A coordenadora pedagógica do turno matutino da U.E.B. Maria Alice Coutinho, Lúcia Verônica de Assunção, comenta que o projeto mostra à criança que a leitura é um hábito prazeroso. Além da Saia Literária, a escola já realizou o Café Literário, a Pipoca Literária, todos com o objetivo de desenvolver a competência leitora, promover um diálogo reflexivo e estimular a leitura compartilha entre os estudantes.

“As crianças ficavam fascinadas com as histórias contadas e logo em seguida querem folhear os livros. Criamos assim a formação de um usuário de biblioteca com persistência que se apropria do livro através de uma leitura compreensiva, que vão se expressar através da resenha escrita e depois com a indicação para o colega, fazendo assim um sentido social de leitura que permite a opinião dos estudantes sobre os livros. Com isso a formação do leitor vai se construindo ao longo do projeto”, explicou a coordenadora pedagógica, Lúcia Assunção.

A professora 4º ano da U.E.B. Maria Alice Coutinho, Surama Cristina Caldas, explicou que este tipo de trabalho contribui para que os estudantes melhorem a escrita, a leitura e a oralidade e que possam criar o hábito da leitura não só na escola, mas também em casa. “Eles escolhem os livros de acordo com o desejo deles. Eles leem e fazem a resenha escrita e oralmente na sala para todos os colegas. O projeto ajuda melhorando a leitura, escrita e ainda aguça a curiosidade. Eles saem mais motivados a buscarem mais conhecimentos através dos livros”, afirmou a professora.

O estudante Ivan Santos Silva, 7 anos, do 1º ano, adorou participar da ação. “Foi muito divertido, escolhi o livro ‘A serpente encantada’, indiquei a leitura para meu amigo porque eu acho que ele vai gostar muito de ler como eu gostei. A história é muito divertida”, disse o garoto.

Clayton Samuel Sousa Madeira, estudante 4º ano, disse que gosta muito de ler. “Gosto de ir na biblioteca e a ideia de compartilhar a leitura que nós gostamos com os colegas foi muito boa, porque através do colega eu sinto vontade de ler o livro que ele já leu e assim vou lendo mais livros”, comentou.

Prefeitura de São Luís realiza workshop voltado para gestantes

Um momento para troca de conhecimentos e fortalecimento da autoestima materna e estreitamento dos vínculos afetivos entre mamães e bebês. Assim foi o workshop ‘Ser Gestante’, promovido esta semana, pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Criança e Assistência (Semcas), no auditório da Caixa Beneficentes e Oficiais e Praças da Polícia Militar, no Bairro de Fátima.

A secretária da Semcas, Andréia Lauande destacou a importância do momento, que reflete o cuidado do prefeito Edivaldo com esse momento tão importante para a mulher que é a gestação. “Cuidar bem das pessoas, essa é palavra de ordem da gestão do prefeito Edivaldo, e para nossas gestantes esse cuidado vem de forma muito especial. No workshop pudemos promover vivências e experiências no intuito de inspirar a busca pela autoestima, sensibilizar e fortalecer ainda mais a afetividade entre mãe e bebê na gestação e pós-parto”, disse a secretária.

As gestantes atendidas pelo Centro de Referência da área Bairro de Fátima, contaram com uma programação que incluía palestras sobre saúde materna e pré-natal, parto, amamentação, alimentação adequada durante a gestação e direitos da gestante.

De acordo com a professora do curso de Enfermagem, Roseane Carvalho, os cuidados durante o pré-natal são fundamentais para uma gestação saudável. “Hoje trouxemos as mamães que participam do workshop informações importantes para que tenham um gravidez tranquila e o bebê se desenvolva da melhor forma, além disso falamos sobre os serviços médicos e hospitalares que elas têm direito e apresentamos a Rede Cegonha que preconiza o parto humanizado”, afirmou a professora.

Além das palestras, as gestantes também aproveitaram momentos de lazer com uma apresentação de dança e participaram de um desfile. Elas também foram sorteadas com brindes e aquelas que já estavam no oitavo e nono mês de gestação receberam um lindo enxoval para seus bebês.

“Eu gostei muito desta tarde, aqui recebemos muitas informações sobre os cuidados que temos de ter na gravidez, da nossa saúde e de nosso bebê, dessa forma eu me senti bem cuidada e também valorizada como mãe e como moradora da comunidade. Também pudemos nos informar melhor sobre os nossos direitos como gestante e como ter acesso a eles”, disse a dona de casa Maria Santos que espera seu segundo filho e está no sétimo mês de gestação.

Comemorações do Dia das Crianças movimentam rede municipal de ensino da Prefeitura de São Luís

Durante todo este mês de outubro, em que se comemora o Dia das Crianças, 12 de outubro; professores, coordenadores e gestores das escolas da rede municipal de São Luís estão realizando uma programação especial para as crianças. O projeto Carro Biblioteca, da Superintendência da Área da Educação Infantil da Semed, está com suas contadoras de histórias levando brincadeiras, jogos, músicas e muita diversão para os estudantes da creche e pré-escola. Também há outras atividades paralelas organizadas pelas Unidades de Educação Básica (U.E.Bs.), em parceria com pais e a comunidade escolar, levando teatro, fantoches, pintura de rosto, gincana e também aplicação de flúor para as crianças. As ações seguem orientação do prefeito Edivaldo.

O secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, esclarece que o trabalho educativo e lúdico realizado pela gestão do prefeito Edivaldo nas escolas da rede sai ainda mais fortalecido depois de tantas atividades desenvolvidas no decorrer do mês das crianças. “Há um grande estímulo ao aprendizado com essas atividades. A ludicidade aguça o imaginário e assim a criança aprende brincando. Parabéns aos educadores que têm se empenhado firmemente nessa grande arte de educar. Nosso respeito e consideração pelo excelente trabalho desenvolvido”, assinala Moacir Feitosa.

BRINCADEIRA E CUIDADOS COM A SAÚDE

Na Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Cecília Meireles, na Cidade Olímpica, cerca de 150 crianças participaram das ações de pintura no rosto e contação de histórias. Houve também aplicação de flúor, fantoches e algumas encenações teatrais promovidas por uma companhia de teatro de uma igreja evangélica da comunidade. A gestora geral, Danielle Castro Silva, conta que durante toda a semana foram realizadas atividades em comemoração ao mês da criança. Destaca que as professoras, além de desenvolverem a questão lúdica com contação de histórias infantis e brincadeiras em sala de aula, estão levando consciência de seus direitos, ensinando o Estatuto da Criança e do Adolescente de forma lúdica.

Daniele também fala do banho de mangueira, já tradicional na escola, que todos os anos alegra as crianças. “Elas ficam eufóricas, perguntando quando vai ser o dia do banho de mangueira. Esta foi uma semana de festa, onde todas as crianças participaram, com o apoio dos pais e comunidade”, assegura. No encerramento das atividades da semana da criança na U.E.B. Cecília Meireles foi realizado um bailinho na quinta-feira (11), com a presença de alguns pais prestigiando os seus filhos. “Estou muito feliz com o resultado dos esforços de todos, pais, professores e instituições da comunidade que nos apoiaram. A todos o meu muito obrigada”, disse a gestora.

Na U.E.B. Cecília Meireles também houve distribuição de lembranças para as crianças, como máscaras de super-heróis para os meninos e tiaras decoradas para as meninas. Produtos confeccionados pelos professores com a ajuda de alguns responsáveis de alunos, como é o caso da artesã Raiane de Cássia Costa Pereira, de 25 anos, mãe de Paulo Henrique, 3 anos, e Pedro Sebastião, de 5 anos – ambos estudantes da escola.

“Gosto muito desta escola, do ambiente e de todos os funcionários. Aqui me sinto bem e sempre que eu posso eu coopero para o desenvolvimento de atividades que vão alegrar as crianças e também promover aprendizagem”, observa Raiane. Ela diz ainda que a escola Cecília Meireles é muito parceira da comunidade e afirma que as professoras fazem um excelente trabalho. “O meu filho mais velho, o Pedro, tem problemas fonoaudiológicos, e sou muito grata à escola por cuidar bem dele”, agradece a mãe artesã, que também fala da importância de ensinar as crianças de forma lúdica, despertando o imaginário delas.

A professora Ivaneide de Jesus Santos Neves, responsável pelos alunos de 3 anos da U.E.B. Cecília Meireles, afirma que todos os anos a escola faz festa para as crianças. Ela diz que os professores das classes de Educação Infantil da escola têm a preocupação de entreter as crianças com jogos e brincadeiras, que possam ensinar de forma lúdica. “Buscamos sempre realizar projetos e ações durante o ano para estimular o aprendizado de uma forma mais leve e que se traduza em riso e alegria, pois a maioria das nossas crianças são carentes até mesmo de afeto, dentro de uma comunidade onde é alto o índice de violência. Nos esforçamos não só para ensinar, mas também para dar atenção e carinho a cada uma delas”, assegura.

Cauã da Silva Nogueira, 6 anos, do Infantil II na U.E.B. Cecília Meireles, diz que gostou muito da programação da semana da criança na escola. “Está sendo tudo muito divertido. A professora pintou o meu rosto de Hulk. Ele é muito forte. É o meu super-herói favorito”, fala o estudante, que participou todos os dias da programação.

GINCANA DAS CORES

A U.E.B. Pedro Bertol, no Jaracaty, realizou a Gincana das Cores ao longo de toda a semana. A atividade envolveu estudantes do 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental, que se dividiram em equipes das cores vermelho, verde, azul e amarelo (a campeã). A competição foi dividida em duas fases, uma trabalhada em sala de aula, com a produção textual de cartinhas com pedidos de presentes das crianças para a data. Na segunda fase, as crianças participaram de competições no pátio da escola, tais como: estourar balão, dança da laranja, corrida de uma perna só, entre outras.

De acordo com o gestor Alan Jorge Berredo, este tipo de atividade é muito importante para o desenvolvimento das crianças. “A Gincana das Cores traz todos os elementos para a formação da criança. Trabalhamos desde o texto, a oralidade em sala de aula, até a coordenação motora, expressão corporal e principalmente a confraternização com as brincadeiras no pátio”, informa.

Para o estudante do 4º Ano, Jonhnnatan Silva, 11 anos, a semana foi de diversão. “Está sendo uma semana da criança muito boa, com todos brincando juntos”, disse. O estudante do 2º Ano, Diego Wesley, 8 anos, também estava animado. “Gostei muito de tudo, das brincadeiras, do lanche, dos brinquedos e da dança da laranja”, frisou.

Para a realização das atividades, a escola contou com a colaboração de amigos da escola e a parceria de instituições privadas como o supermercado Mateus, que doou os brinquedos, lanches e cestas básicas, e do Tribunal Regional Eleitoral, por meio do projeto TRE na Escola, do qual receberam kits escolares, além de muitas caixas de chocolate.

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS

Em uma tarde de Contação de Histórias na U.E.B. Saraiva Filho, no Cajupe, na terça-feira (9), as crianças foram transportadas através da imaginação para o mundo de várias historinhas infantis, como Dona Baratinha; Os Três Porquinhos; Chapeuzinho Vermelho e tantas outras narrativas lendárias. A coordenadora pedagógica da escola, Isabel Fernandes, falou sobre a importância de explorar a imaginação das crianças.

“Em uma contação de histórias há muito aprendizado; desde a interação com os colegas até o fato de saberem ouvir as contadoras, esperar a sua vez para falar, respeitar a vez dos colegas, e compreender o começo, meio e final de cada história, mesmo sendo tão pequenos”, relata Isabel. A pequena Nátila Juliana, de 5 anos, disse ter adorado a história dos três porquinhos. “A tia fez a gente rir muito. Ela contou de forma bem engraçada”, falou Nátila. “Eu gostei da história da Dona Aranha, por que ela subia muito rápido na parede”, disse sorridente o estudante Pedro Lucas, também de 5 anos.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Na segunda-feira (8), a U.E.B. Miguel Lins realizou as primeiras atividades educativas em alusão ao mês das crianças. Por meio de uma oficina culinária, buscou ensinar as crianças a importância da alimentação saudável, de forma interativa, prática e, principalmente, divertida. O segundo momento do dia foi voltado ao lazer de todos, com a instalação de um pula-pula, com o objetivo de promover diversão e recreação. Ocorreram outras atividades durante a semana, como: banho de ducha, pintura lúdica na parede e entrega de brinquedos por motoqueiros da comunidade, parceiros da escola.

Silvia Teresa, coordenadora pedagógica da Miguel Lins, diz que todas as atividades lúdicas e pedagógicas realizadas esta semana foram escolhidas pelas crianças por meio de uma enquete. “A criança é o foco das nossas atividades e, portanto, deve ser a protagonista”, fala Silvia, observando que, para ela, o mais gratificante é o retorno das crianças, o carinho delas. A estudante Ana Clara, do Infantil II, disse que aprendeu muitas coisas com as atividades. “Estou gostando demais. Aprendi a fazer meu próprio lanche e me diverti muito”, conta.

Prefeitura de São Luís divulga lista dos primeiros sorteados do Cadastro Habitacional

A Prefeitura de São Luís realizou, nesta terça-feira (09), o primeiro sorteio das novas unidades habitacionais do programa federal ‘Minha Casa, Minha Vida’. Participaram do certame pessoas inscritas e habilitadas no último Cadastro Habitacional de Interesse Social, efetuado pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh). Nesta primeira etapa, foram sorteadas 2.176 casas dos residenciais Morada do Sol I e II, localizados no Maracanã. A listagem com o nome dos contemplados esta disponível no endereço (http://habitacao.saoluis.ma.gov.br/) e, também, pode ser consultada nos murais da Central. A ação integra a política habitacional da gestão do prefeito Edivaldo que já entregou mais 16 mil unidades, beneficiando aproximadamente 55 mil pessoas.

“A Prefeitura concluiu com êxito o cadastro habitacional e agora estamos realizando a etapa do sorteio, para darmos chances igualitárias a todos os inscritos que atenderam aos critérios do programa. Por meio dos programas habitacionais desenvolvidos em São Luís na gestão do prefeito Edivaldo, a redução do déficit habitacional na capital já é uma realidade concreta, e, agora, vamos concretizar o sonho de outras centenas de pessoas que aguardam pela tão esperada casa própria para viver com mais dignidade com suas famílias”, afirmou Mádison Leonardo.

O sorteio ocorreu na sede da Central de Atendimento da Habitação, com a presença do titular da Semurh, Mádison Leonardo Andrade, representantes de órgãos afins à área habitacional e de populares habilitados para o sorteio. Segundo o secretário, participaram do ato 266.603 pessoas que tiveram suas inscrições deferidas no novo Cadastro Habitacional de Interesse Social realizado pela Prefeitura de São Luís e que ficou com inscrições abertas no período de 25 de julho a 8 de agosto deste ano. O cadastramento teve um total de 326.094 inscritos, porém, 594.91 tiveram seus cadastros indeferidos por prestarem informações em desacordo com as exigências do edital, a grande maioria referente à renda informada, endereço ou idade.

Visando aferir veracidade e lisura ao processo de seleção, o sorteio foi acompanhado pelos membros do Conselho da Cidade, José Francisco Diniz, Lílian Porto e Josuel Silvestre; o defensor público, Marcos Patrício Monteiro; e o auditor de Controle Interno do Município, Fernando Carlos Machado. “Nós acompanhamos de perto todo o processo, avaliando as normas e o andamento do certame, em reuniões mensais do colegiado, o que nos permitiu verificar a lisura do processo de sorteio das unidades habitacionais”, afirmou o membro do Conselho da Cidade, José Francisco Diniz.

Os residenciais Morada do Sol I e II contam com um total 2.176 casas com 42,87 m² de área privativa, compostas por dois dormitórios, sala, banheiro, cozinha e lavanderia integrada. O habitacional dispõe ainda de equipamentos urbanos como uma unidade básica de saúde, creche e uma escola com 12 salas de ensino fundamental.

O sorteio também será destinado à ocupação de vagas ociosas em outros residenciais do ‘Minha Casa, Minha Vida’ já entregues. Além das unidades dos residenciais Morada do Sol, serão sorteadas também, ainda em data a ser definida pela Prefeitura, outras três mil unidades do Residencial Mato Grosso e 500 habitações do Residencial São Jerônimo, totalizando um total de 5.676 casas que serão entregues após conclusão do novo Cadastro Habitacional.

CRITÉRIOS

O sorteio dos residenciais Morada do Sol I e II atendeu a alguns critérios de prevalência adotados pelo município, entre eles estão mulheres chefes de família e beneficiárias do programa Bolsa Família; moradores de áreas de risco; idosos e pessoas com necessidades especiais. Para essa modalidade de sorteio, serão selecionados o mesmo número de candidatos suplentes, que serão chamados somente em caso de não atendimento, pelos selecionados titulares, das condições específicas do empreendimento habitacional, conforme determina o Ministério das Cidades.

O certame também adotou outros critérios sociais para concessão do benefício, entre eles estão a destinação de unidades de famílias residentes em palafitas; famílias que se encontrem em situação de rua e que recebam acompanhamento socioassistencial; famílias de que façam parte pessoas idosas em situação de extrema vulnerabilidade social, residentes em áreas sem condições de habitabilidade; famílias de que façam parte pessoas com doença crônica incapacitante para o trabalho, em situação de extrema pobreza; famílias atendidas pelo aluguel social; residentes em áreas interditadas pela Defesa Civil; famílias de que faça parte pessoa atendida por medida protetiva; e famílias atendidas pela Sociedade Maranhense de Direitos Humanos.

A aquisição do imóvel, pelos contemplados no sorteio, se dará pela contratação de financiamento habitacional subsidiado pelo programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, junto à Caixa Econômica Federal, atendendo a regras específicas, conforme determinação do Ministério das Cidades; devendo o candidato preencher, simultaneamente, todas as condições previamente estabelecidas pelo edital.

Para contemplação final do imóvel, é obrigatório às pessoas sorteadas comprovar as condições especificadas no cadastro, por meio de documentação comprobatória, quando convocado após divulgação das listagens de selecionados. É necessária a apresentação dos documentos originais e xerox de Registro Geral, Cadastro de Pessoa Física, Certidão de Nascimento ou Casamento/Averbação, Comprovante de Residência, Laudo Médico (caso tenha pessoa com deficiência na família). Também foram estabelecidos critérios para participação do sorteio, entre os quais ter renda familiar inferior a R$ 1.800,00 mensais, não possuir imóvel em seu nome e ter idade superior a 18 anos.

CONVOCAÇÃO

Encerrado o procedimento de seleção, a Semurh convocará os sorteados, em data a ser definida posteriormente. O atendimento será em ordem alfabética, para apresentação e verificação dos documentos comprobatórios das informações prestadas na ocasião do cadastro. Os sorteados deverão comparecer à Central de Atendimento da Habitação, localizada na Avenida Marechal Castelo Branco, nº 565 – São Francisco, das 8h às 16h.

A dona de casa Ivone Dimas da Silva, 59 anos, convidada a acionar a primeira tecla para escolha aleatória dos sorteados, disse que sentia feliz de fazer parte do processo e que aguardava com ansiedade ser sorteada com uma das unidades disponibilizadas. “Eu moro de aluguel a vida toda. Agora estou muito esperançosa de ser sorteada com minha casa própria”, disse ela.

A também dona de casa, Rose Abraão Lopes, 30 anos, dois filhos, fez questão de acompanhar o sorteio na Central de Atendimento da Habitação. “Será uma dádiva ser contemplada com uma dessas casas. Também pagamos aluguel e hoje em dia está cada vez mais difícil custear esse gasto com a crise que vivemos. Tenho muita esperança de ser contemplada e viver com minha família em nosso próprio lar”.

CADASTRO HABITACIONAL

O novo cadastro habitacional, que será usado como banco de dados para os próximos sorteios, também realizou um levantamento sobre o perfil social dos inscritos. Os dados pesquisados constataram que do total de 326.143 pessoas cadastradas, 60,7% são mulheres e 39,3 homens. Outro dado obtido a partir do levantamento social é que do total de mulheres inscritas, 50,3% são chefes de família, o que comprova ser este um dos grupos predominantes na aquisição dos imóveis do ‘Minha Casa, Minha Vida’.

A pesquisa demonstra ainda que a maior parte das pessoas inscritas, cerca de 34.3%, está na faixa etária de 25 a 34. Depois vêm os jovens entre de 18 a 24 anos, que compreendem 25.3% das pessoas inscritas. Em seguida, o cadastro habitacional registrou 23.5% de pessoas entre 35 e 44 anos; 13,5% estão na faixa etária de 45 a 54 anos e 0,8% das pessoas cadastradas têm idade entre 55 a 64 anos. O levantamento do perfil social obtido pelo Cadastro Habitacional revelou também que da totalidade de inscritos, 24,9% recebem bolsa família e 20,5 são moradores de áreas de risco, sendo que 0,4% advêm de aluguel social.

Outro dado apresentado pelo levantamento do perfil social diz respeito à forma como essas pessoas moram, atualmente. Com relação a esse quesito, a pesquisa constatou que 22,6% coabitam com outros familiares por não terem moradia. Os dados revelam ainda que 7,3% do total de inscritos são pessoas com deficiência e 21,8% são idosos. Além dessas informações, o Cadastro Habitacional trouxe também informações relativas ao estado civil dos inscritos: 81,9% são solteiros; 13,5% casados; 3,3% divorciados e 1,3% viúvos.

Prefeitura de São Luís ilumina prédios e espaços públicos em alusão ao Outubro Rosa

Em adesão à campanha do Outubro Rosa, a Prefeitura de São Luís está iluminando prédios e espaços públicos com a cor do mês dedicado ao combate ao câncer de mama e à prevenção do câncer de colo de útero. A campanha é um movimento de adesão mundial e tem o objetivo de sensibilizar as mulheres para o cuidado com a saúde e para importância dos exames preventivos. A gestão do prefeito Edivaldo sempre faz o trabalho de iluminação artística em campanhas como essa. A ação é coordenada pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) e visa despertar o interesse da sociedade pelo assunto.

A adesão da Prefeitura de São Luís à campanha do Outubro Rosa vai além da mudança da iluminação nos espaços. A proposta de iluminar os monumentos é executada dentro de um conjunto de outras ações planejadas pelo poder público municipal, especialmente na área da saúde. A intenção do poder público é, através do trabalho conjunto entre as secretarias, promover ações e serviços que beneficiem a população.

Até o fim do mês, a cor rosa ilumina prédios públicos também considerados pontos turísticos de São Luís como a Casa do Maranhão, o Palácio La Ravardière (sede do Governo Municipal), o Palácio dos Leões (sede Governo do Maranhão), o Hospital da Mulher e o Forte de Santo Antônio, na Ponta d’Areia. A nova iluminação contempla também outros espaços públicos como a Ponte Bandeira Tribuzi.

O secretário municipal de Obras e Serviços Públicos, Antonio Araujo, destaca o apoio da gestão do prefeito Edivaldo à campanha. “Essa é uma campanha desenvolvida por todo o mundo e a Prefeitura de São Luís endossa os objetivos do movimento com ações como essa, de sensibilização da sociedade para a importância dos cuidados com a saúde. A iniciativa de iluminar os prédios e espaços públicos já é recorrente da Prefeitura de São Luís”, ressaltou o titular da Semosp.

Em 2018, a ação acompanhou campanhas como a do Março Lilás, voltada para a valorização do público feminino; o Abril Verde, campanha que chama a atenção da sociedade para o movimento nacional que alerta para a prevenção de acidentes no trabalho e doenças ocupacionais e o setembro amarelo, de prevenção ao suicídio. Além do Outubro Rosa, a iluminação artística é aguardada também para campanhas como a do Novembro Azul, voltada para a prevenção do câncer de próstata e testículos.

MAIS AÇÕES

No Hospital da Mulher, no Anjo da Guarda, a campanha teve início na última segunda-feira (1º) com uma ação de atendimento com demanda ambulatorial livre a todas as pacientes que buscaram os serviços. Mulheres que buscaram a unidade de saúde foram recebidas pelas equipes com esclarecimentos sobre a prevenção do câncer de mama e uma programação cultural voltada para o tema. Foi oferecido, ainda, atendimento ginecológico e com mastologista, além de oficinas de maquiagem, corte de cabelo, manicure e pedicure, penteados, usos de lenços e turbantes, design de sobrancelhas, entre outras.

A programação do mês se estenderá à rede de saúde do município e sua culminância será na região Itaqui-Bacanga com a realização do dia D, agendado para o dia 20 de outubro, na Unidade de Saúde Clodomir Pinheiro. Na ocasião serão ofertadas consultas em várias especialidades entre elas, ginecologista, mastologista, clinico geral e dentista. Também serão ofertadas ações de embelezamento, limpeza de pele, maquiagem e design de sobrancelha.

Prefeitura de São Luís combate descarte irregular com grande ação de limpeza no Coroado

O sábado (22) foi dia de intensificar os serviços de limpeza urbana em São Luís. A Prefeitura de São Luís realizou o Bota Fora Coroado. Durante todo o dia, os serviços de capina, roçagem, remoção manual e mecanizada em pontos de descarte irregular foram concentrados no bairro. A comunidade aprovou a iniciativa e aproveitou para descartar de forma ambientalmente adequada os chamados resíduos volumosos – eletrodomésticos que não funcionam, pneus, móveis velhos e entulhos. A ação, que tem sido levada a vários bairros da capital, faz parte da política de gestão dos resíduos sólidos que vem sendo colocada em prática pelo prefeito Edivaldo.

A ação foi coordenada pelo Comitê Gestor de Limpeza Urbana com o objetivo de combater a formação de pontos de descarte irregular de resíduos sólidos no Coroado, garantindo a limpeza da região e evitando o surgimento de focos de proliferação de insetos vetores de doenças como o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, febre chikungunya e zika vírus. Outro objetivo da ação foi conscientizar a população acerca da importância do descarte correto de resíduos sólidos.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, destacou a importância da ação. “Os resíduos volumosos são recebidos nos onze Ecopontos entregues pelo prefeito Edivaldo e que estão em pleno funcionamento em São Luís. A entrega deve ser feita de forma voluntária pela população, mas no Bota Fora a Prefeitura de São Luís faz o recolhimento porta a porta para ampliar os serviços de limpeza na região e informar a população sobre a forma correta de descartar o seu lixo domiciliar”, disse.

APROVAÇÃO DA COMUNIDADE

Os moradores do Coroado aprovaram a ação da Prefeitura de São Luís. A dona de casa Maria Madalena Andrade aproveitou a ação para descartar um conjunto de estofados que ela tinha em casa. “Eu estava há bastante tempo querendo jogar este estofado fora, mas não sabia como. Não queria jogar no meio da rua porque sei que é errado. Então, aproveitei o bota fora da Prefeitura para jogar o estofado fora do jeito certo”, disse a dona de casa que também mobilizou a vizinhança para a ação, incentivando-os a também colocar os móveis velhos na porta.

As ações de limpeza no bairro Coroado são constantes. A coleta domiciliar é feita de forma regular toda segunda, quarta e sexta no período diurno, entretanto, o bairro tem pequenos pontos de acúmulo de lixo descartado irregularmente, por isso, a realização do Bota Fora e o trabalho de educação ambiental feito porta a porta. A Prefeitura de São Luís orienta que a comunidade do Coroado não acumule lixo no seu quintal, além de não fazer o descarte de forma incorreta.

O poder público municipal informa também que materiais recicláveis e resíduos não coletados através do serviço de coleta convencional, como resíduos de construção civil e restos de poda e capina, devem ser descartados em um dos onze Ecopontos já em funcionamento na capital. Os Ecopontos funcionam das 7h às 19h, de segunda-feira a sábado e a população pode fazer o descarte por meio de carroceiros, carros de mão e pickups. Os Ecopontos ficam localizados no Parque Amazonas, Bequimão, Angelim, Habitacional Turu, Jardim Renascença, Residencial Esperança, Jardim América, Cidade Operária, São Francisco e Anil.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Equipes de educação ambiental do Comitê Gestor de Limpeza Urbana visitaram as casas informando os moradores sobre os prejuízos do descarte irregular de resíduos sólidos nas vias públicas para a saúde pública e para meio ambiente. Moradores receberam material informativo sobre o uso correto dos Ecopontos.

Carolina Moraes Estrela fez uma avaliação positiva do Bota Fora Coroado. “Ainda não temos como quantificar o quanto recolhemos de resíduos sólidos no bairro, mas vale lembrar que geralmente esse tipo de resíduos costuma ser descartado de qualquer forma nas vias públicas. Com o Bota Fora nós aumentamos a presença dos serviços da Prefeitura de São Luís no Coroado e melhoramos a limpeza da cidade”, afirmou.

Prefeitura de São Luís realiza grande ação de limpeza no bairro Coroado neste sábado (22)

A Prefeitura de São Luís segue intensificando as ações de limpeza nos bairros de São Luís e realiza neste sábado (22), o Bota-fora no bairro do Coroado. Durante a manhã serão recolhidos os chamados resíduos volumosos – eletrodomésticos que não funcionam, pneus, móveis velhos, entulhos e outros pelas ruas do bairro. A ação, que integra a política de resíduos sólidos colocada em prática na gestão do prefeito Edivaldo, é coordenada pelo Comitê Gestor de Limpeza Urbana e tem o objetivo de conscientizar a população sobre o descarte correto de resíduos. A ação também é importante no sentido de garantir mais saúde para a população, uma vez que muitos desses resíduos servem de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

As ações de limpeza no bairro Coroado são constantes. A coleta domiciliar é feita de forma regular toda segunda, quarta e sexta no período diurno, entretanto, o bairro tem pequenos pontos de acúmulo de lixo descartado irregularmente, por isso, no sábado (22), a Prefeitura de São Luís concentrará diversos serviços da limpeza urbana na região. Além da remoção mecanizada de resíduos sólidos em pontos de descarte irregular, serão executados serviços de capina e recolhimento de resíduos volumosos.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, destaca ainda as ações de educação ambiental que serão realizadas durante a ação. “A limpeza urbana é uma responsabilidade da Prefeitura de São Luís, mas as comunidades devem ser parceiras neste trabalho. Por isso, além dos serviços de limpeza, iremos informar os moradores sobre a forma correta de descartar o lixo domiciliar, sobre o uso dos Ecopontos e sobre os problemas que o descarte irregular pode trazer”, afirma.

Durante o Bota-fora, a partir das 8h, agentes de limpeza estarão nas ruas do Coroado, fazendo o recolhimento dos resíduos volumosos de porta a porta. Por isso, a Prefeitura de São Luís pede à comunidade do Coroado que não acumule lixo no seu quintal e não o descarte de forma incorreta, deixando-o na frente de casa para que ele seja recolhido.

Equipes de educação ambiental do Comitê Gestor de Limpeza Urbana estarão visitando todas as casas, informando aos moradores sobre os prejuízos para a saúde pública e meio ambiente decorrentes do descarte irregular de resíduos sólidos nas vias públicas.

APOIO DA POPULAÇÃO

A Prefeitura de São Luís destaca ainda a importância do apoio da população na manutenção da limpeza urbana. Por isso, sempre reforça aos moradores que façam o descarte adequado dos resíduos domiciliares e que os mesmos sejam acondicionados em sacos plásticos, na frente do seu respectivo domicílio, nos dias e turnos em que passa o caminhão de coleta, evitando o descarte nos demais dias da semana, o que causa o acúmulo de lixo nas vias públicas, atraindo animais e provocando mau-cheiro.

Materiais recicláveis e resíduos não coletados através do serviço de coleta convencional, como resíduos de construção civil e restos de poda e capina, devem ser descartados em um dos 11 Ecopontos já em funcionamento na capital. Os Ecopontos funcionam das 7h às 19h, de segunda-feira a sábado e a população pode fazer o descarte por meio de carroceiros, carros de mão e pickups.

O Ecoponto mais próximo do Coroado é o do Parque Amazonas, localizado na Avenida dos Africanos. Os demais Ecopontos ficam localizados no Bequimão, Angelim, Habitacional Turu, Jardim Renascença, Residencial Esperança, Jardim América, Cidade Operária, São Francisco, Anil e São Raimundo.

Prefeitura de São Luís inicia capacitação voltada aos Agentes Comunitários de Endemias

A Prefeitura de São Luís realizou, na tarde desta segunda-feira (17), no auditório do Instituto Florence, a aula inaugural do curso Introdutório para Agentes Comunitários de Endemias (ACE). O objetivo do curso, que reúne 150 agentes, é fortalecer a atenção primaria em saúde no processo de formação dos profissionais. O curso integra as ações que vêm sendo colocadas em prática na gestão do prefeito Edivaldo com o objetivo de promover a qualificação dos servidores municipais e, consequentemente, garantir mais qualidade ao serviço oferecido à população. A capacitação é promovida pela Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento (Seplan), via Escola de Governo e Gestão Municipal (EGGEM) e atende a uma demanda específica da Secretaria Municipal de Saúde (Semus).

“O agente é o profissional mais importante para o controle de endemias, e é indispensável que ele esteja permanentemente atualizado e com informações que ajudem sua prática cotidiana e tenham como resultado o efetivo controle das arboviroses, que é um dos nossos grandes desafios”, disse o secretário de Saúde, Lula Fylho.

Com a qualificação, os Agentes Comunitários de Endemias aprimorarão sua formação para atuarem no Sistema Único de Saúde, a partir de conhecimentos das normas e instrumentos essenciais à sua atuação cotidiana, no controle ambiental de riscos e danos à saúde e a responsabilidade no desempenho de função pública.

Para o secretário de Planejamento, José Cursino Raposo Moreira, o treinamento tem grande importância. “É um momento em que a EGGEM está cumprindo a sua missão. Por orientação do prefeito Edivaldo, trabalhamos para atender e formar nossos servidores e prestar um serviço cada vez melhor à população”, afirmou o secretário.

Segundo a diretora da EGGEM, Maria Eugênia Salles Branco de Almeida, o investimento na capacitação dos servidores é uma prioridade da gestão do prefeito Edivaldo. ”O objetivo das capacitações, além de valorizar o próprio servidor, é melhorar a qualidade dos serviços oferecidos à população pela Prefeitura de São Luís. A Escola de Governo dá ao servidor a oportunidade de crescimento profissional e pessoal com ensino de qualidade e atendimento diferenciado. Com este treinamento a Prefeitura Municipal de São Luís está realizando um trabalho de valorização da capacitação dos Servidores através da Escola de Governo e Gestão Municipal e da Secretaria Municipal de Saúde”, concluiu a diretora.

Os participantes estão distribuídos em três turmas, com as seguintes temáticas: ACE, um agente de mudança; Fundamentação legal do trabalho do ACE; Conhecendo o SUS; Ética no trabalho do ACE; Trabalho em equipe; Comunicação; Visita domiciliar; Técnicas de entrevista; Conhecendo a comunidade através dos mapas; Conhecendo áreas de risco e ACE como agente de promoção e prevenção. A capacitação tem carga horaria total de 40 horas, sendo 20 horas teórica; 16 horas de aula pratica; e quatro horas de apresentação dos trabalhos, que serão realizadas no encerramento do curso, dia 26 de setembro.

Além do secretário municipal de Planejamento, José Cursino Moreira, da diretora da Escola de Governo, Maria Eugênia Branco e do secretário municipal de Saude, Lula Fylho, estavam presentes à aula inaugural a equipe técnica da EGGEM e a equipe técnica da Semus.

EGGEM

A Escola de Governo e Gestão Municipal (EGGEM) integra a estrutura administrativa da Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento (Seplan). Atua com diversos programas e projetos que procuram atender as necessidades permanentes e de aprendizado dos servidores públicos municipais.

Além da formação de gestores, especialistas e capacitação do pessoal técnico-administrativo, a Eggem também atua em eventos técnicos, científicos e culturais; implementação de projetos especiais e desenvolvimento de pesquisas e de tecnologias para a gestão do conhecimento, entre outros.

Alunas do programa Dançando e Educando, da Prefeitura de São Luís, se preparam para novo espetáculo

Sensibilizar sobre a preservação e cuidado com o meio ambiente marinho, despertando na sociedade a conscientização sobre o tema. Este é o foco do espetáculo ‘Planeta Azul’, que marcará o encerramento do ano letivo do programa de ballet Dançando e Educando, da Prefeitura de São Luís, idealizado e coordenado pela primeira-dama Camila Holanda. Um total de 150 alunas participam do evento de dança que será apresentado em dezembro. Alunas de turmas com idades entre 4 anos e 14 anos, representarão 14 animais marinhos interpretados por meio do ballet clássico.

Serão criadas 14 coreografias para 14 personagens – tartaruga marinha, peixe palhaço, corais, cavalo marinho, estrela do mar, pérolas, golfinhos, águas vivas, moreias, lulas, arraias, águas (correntes marinhas), sendo apresentação de dois atos solo. Estão definidas as trilhas sonoras e o intérprete de cada personagem. Para as coreografias serão escolhidos passos já estudados pelas alunas ao longo dos dois anos do projeto. Os figurinos também estão em produção. As aulas do evento serão intercaladas com as aulas regulares das turmas para não comprometer a formação no programa.

“Este é o segundo grande espetáculo que o programa realiza e é uma satisfação vermos o quanto as crianças evoluíram. São crianças que nunca tiveram acesso à arte e agora têm a oportunidade de concretizar o sonho de ser bailarina, de dançar em um palco, algo que era inacessível a elas. O programa nasceu de um sonho e em pouco mais de dois anos vem tornando realidade o que essas crianças tanto esperavam. O prefeito Edivaldo mostra sua sensibilidade ao priorizar esse público promovendo iniciativas deste porte e que vão refletir na formação educacional, no futuro, no desenvolvimento como ser humano de cada uma destas crianças”, pontua a primeira-dama, Camila Holanda, idealizadora e coordenadora do programa.

Os ensaios para o espetáculo iniciaram esta semana com as primeiras organizações para montagem da coreografia. Para escolhas das integrantes, a equipe de professores considerou a desenvoltura e nível de conhecimento para desenvolver as coreografias.

“Vamos apresentar um belo espetáculo sobre o fundo do mar, os animais que ali habitam e a importância de preservar estas espécies. A intenção é despertar nas crianças a conscientização para essa preservação. Estamos desenvolvendo um tema que acreditamos importante para esta faixa etária e que já vem sendo tratado ao longo das nossas aulas do projeto. Estamos muito felizes com essa segunda experiência para o público e sabemos o quanto é significativo para nossas alunas”, destacou a bailarina, Débora Buhatem.

EXPECTATIVA

Para Yasmim Pereira Guimarães, 8 anos, o momento é de emoção. “É meu segundo espetáculo e igual na primeira vez, estou bem nervosa, mas muito feliz. Eu fui escolhida de novo e vou fazer o melhor para apresentar um espetáculo bem lindo para todo mundo”, disse a menina.

Já Cauanny Cristina Soares de Oliveira, 9 anos, está atenta a cada orientação da professora e já imagina como será sua estreia no palco. “Lá em casa minha família comemorou quando eu disse que ia participar de um espetáculo. Todo mundo ficou feliz. Eu sei que vou fazer tudo certinho. Dá um pouco de medo, mas estou confiante”, enfatizou a aluna.

O espetáculo ‘Para Ler e Dançar’ foi a primeira apresentação pública das alunas, realizada em dezembro do ano passado, na sede do colégio Dom Bosco, Renascença. Foram duas apresentações que mostraram o resultado de do treinamento e dedicação às aulas de ballet oferecidas pelo programa Dançando e Educando.

Prefeito Edivaldo e a primeira-dama, Camila Holanda, durante o primeiro espetáculo de ballet ″Para Ler e Dançar″

O evento uniu dança e literatura, no qual deram vida a histórias clássicas como ‘Chapeuzinho Vermelho’, ‘Branca de Neve’, ‘Mágico de Oz’, ‘Sítio do Pica-pau Amarelo’ e ‘O Corcunda de Notre Dame’. Ainda, referências às obras do maranhense Josué Montello e personagens como Sherazade, uma lendária rainha persa e narradora dos contos de ‘As Mil e Uma Noites’.

ANO LETIVO

O programa Dançando e Educando prossegue com as aulas do segundo semestre. As turmas divididas por níveis de acordo com a faixa etária, sendo de 4 anos a 14 anos de idade. Para algumas turmas, a etapa é de avanço nesse nível e a experiência com novas disciplinas. No projeto são avaliadas as habilidades técnicas e artísticas, o repertório de vida e conteúdo de musicalidade, a forma de expressão, capacidade de alongamento, flexibilidade e desempenho artístico. Habilidades como atenção, disciplina, organização, relacionamento interpessoal e a convivência em equipe também são avaliados no projeto.

O cronograma conta ainda com aulas teóricas e práticas; participação em seminários e grupos sobre temas relacionados à formação básica do cidadão, à saúde, meio ambiente, valores éticos, políticos e morais, justiça social e outros temas de interesse da arte.

Fardamento e demais acessórios – colant, sapatilha e meia – são garantidos gratuitamente pela Prefeitura às alunas. Há turmas pela manhã e tarde, com aulas terças e quintas-feiras aos alunos de 4 anos a 7 anos; e segundas, quartas e sextas-feiras, para 8 anos a 14 anos.

O Dançando e Educando favorece a inclusão social, por contribuir para formação educacional e cidadã e o desenvolvimento das crianças. Com as atividades, são contempladas cerca de 300 crianças de escolas da rede pública municipal. As aulas são realizadas na Creche Maria de Jesus Carvalho, pela bailarina Débora Buhatem e pela professora Milliane Moreira. A ação é executada pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) e conta com apoio das secretarias municipais de Saúde (Semus), Criança e Assistência Social (Semcas) e Segurança Alimentar (Semsa).

Prefeitura de São Luís reúne educadores em palestras de sensibilização e prevenção ao suicídio

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), em parceria com o Ministério Público, realizou, nesta semana, um encontro com mais de 120 professores, gestores e coordenadores pedagógicos da rede municipal de ensino para falar sobre a campanha Setembro Amarelo. O objetivo do encontro foi sensibilizar e unir forças contra o suicídio e pela valorização da vida.

O titular da Semed, Moacir Feitosa, lembra que uma das primeiras medidas preventivas contra o suicídio é a educação. “Por meio dessa parceria com o Ministério Público, a Prefeitura, apoiada nos pilares do programa Educar Mais, quer fortalecer a prevenção ao suicídio, compartilhando informações em cada escola da rede municipal e em toda a comunidade escolar onde nossas unidades estão inseridas”, destaca Moacir Feitosa.

Além dos educadores, o evento também reuniu técnicos, assessores e outros servidores da Semed. Fizeram-se presentes ainda a Secretária Adjunta de Ensino (SAE), Maria de Jesus Gaspar Leite, as superintendentes da Área da Educação Especial e do Ensino Fundamental, Dalvina Amorim Ayres e Arsênia Formiga, e a chefe da Assessoria Técnica Pedagógica da Semed, Patrícia Leal.

PALESTRAS

Duas palestras foram ministradas para os educadores, tratando de “O apoio emocional e a prevenção ao suicídio” e “A educação na valorização da vida”. Esta foi dada pela pedagoga e psicóloga Claudia Regina Santos de Castro Silva, da Superintendência da Área de Educação Especial da Semed, e a primeira foi ministrada pelo diretor do Hospital Nina Rodrigues e membro da organização Como Vai Você (CVV), Ruy Ribeiro Moraes Cruz.

Ruy Cruz iniciou sua fala com um breve vídeo – ‘O Carpinteiro’ – para levar os presentes à reflexão sobre a vida, que deve ser construída dia após dia. Ele enfatizou a importância de notificar, de dividir responsabilidades e de buscar ajuda em instituições de apoio e prevenção ao suicídio, como é o caso do CVV e do Centro de Atenção Psicossocial (CAPs) Infanto-Juvenil. Este último tem como diretora geral Liziane Castro, que neste evento representou o Ministério Público.

Liziane Castro falou sobre a importância de não julgar, de se importar com o próximo, de ouvir, respeitar e dialogar. “Não podemos minimizar o sofrimento alheio”, enfatizou, lembrando que quando uma vida é perdida muitas outras são afetadas.

A psicóloga Claudia Regina destacou a afetividade como fator fundamental no processo de ensino e aprendizagem. “O ato de educar é emocionante. Muitas vezes somos o único ponto de afeto de uma criança e adolescente, já tão afetados pela violência doméstica e outras situações de violência na escola, na família e comunidade”, ressalta Claudia. “Precisamos estar atentos, pois mutilações e suicídios estão cada dia mais comuns entre adolescentes e jovens vítimas de descaso, violência e omissão. Saúde, educação e a assistência social precisam estar mobilizados e unidos para prevenir e combater o suicídio. As famílias precisam se informar, observar mais de perto seus filhos e buscar ajuda para tentar evitar o pior”, assinalou.

O professor Silfarly Nunes, gestor da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) José da Silva Rosa, no bairro São Bernardo, disse que as palestras foram esclarecedoras. “Tivemos acesso a um grande leque de informações importantes, às quais podemos usar em intervenções nas nossas escolas”, ressalta Silfarly. O gestor solicitou e agendou uma palestra com a diretora do CAPs Infanto-Juvenil, Liziane Castro, para a próxima quarta-feira (19), às 14h30, onde toda a comunidade escolar será convidada a participar. Além dos educadores, o evento também reuniu técnicos, assessores e outros servidores da Semed.