IFMA Campus São Luís – Maracanã abre seletivo para professor e tutor

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus São Luís – Maracanã está com vagas abertas para professor formador e para tutor para atuação como bolsista no curso de Licenciatura em Geografia (modalidade a distância) no âmbito da Universidade Aberta do Brasil – UAB.

As inscrições estarão abertas de 20 a 23 de maio, das 14h às 17h, no Laboratório de Informática da Educação a distância do campus.

Para a atuar como professor, há vagas para candidatos com Licenciatura em Pedagogia; Licenciatura em Estatística, Matemática ou Física; Letras/Língua Inglesa; Geografia; e Licenciatura em História. É necessário ainda ter mestrado e/ou doutorado em áreas afins e experiência mínima de um ano no magistério superior.

Para a vaga de Tutor, o candidato precisa ser experiência mínima de 1 (um) ano de magistério e ser licenciado em Pedagogia ou em outra área com pós-graduação em Educação.

A seleção será composta por uma fase de caráter eliminatório e outra de caráter classificatório. A fase eliminatória corresponderá à análise da ficha de inscrição e dos documentos comprobatórios entregues pelo candidato no ato da inscrição. Já a fase classificatória corresponderá à avaliação de títulos.
O resultado provisório será divulgado a partir do dia 28 de maio.

Professor de Centro Educa Mais é selecionado pela Embaixada América para formação científica

O professor Carlos Augusto Veras, do Centro Educa Mais Poeta Antônio José, escola da rede estadual de ensino, em Santa Inês, foi selecionado pela Embaixada Americana para participar de uma formação de professores na área de Ciências Exatas, que acontece de 19 a 23 de fevereiro, na cidade de São Paulo.

A formação faz parte do Programa Stem TechCamp Brasil, uma iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil em parceria com o Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI – TEC) e apoio da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). O programa tem como objetivo estruturar uma rede de multiplicadores formada por gestores de Secretarias Estaduais de Educação e de professores líderes de ações escolares em Ciências, Tecnologia, Engenharias e Matemática (STEM), que tenham potencial e liderança para articular e aprimorar ações existentes, assim como elaborar e implantar novas ações voltadas à aprendizagem ativa de STEM nas redes públicas de educação básica do Brasil.

Cada estada teve um professor escolhido para participar da formação. Os critérios de seleção foram o grau de envolvimento com projetos de divulgação científica, o número de premiações em feiras de tecnologia, Olimpíadas Estudantis, além do currículo.

Carlos Augusto Veras é professor de Física do Centro Educa Mais Poeta Antônio José, onde trabalha com Educação Integral. Também é responsável pelas disciplinas eletivas de Robótica e Astronomia. Na escola, sempre está à frente de projetos de iniciação científica que levam os alunos a descobrirem suas potencialidades, como: Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), e Olimpíada Brasileira de Física, nas quais já teve alunos premiados com medalhas de bronze, prata e ouro, em várias edições nacionais. No ano passado, o professor Veras levou a escola ao primeiro lugar na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, com o projeto uma “Luva com Sistema Sensorial para Pessoas com Deficiência Visual”.

Um dos objetivos desta formação é que cada estado tenha uma equipe de multiplicadores que trace um planejamento e estratégias para atividades voltadas ao desenvolvimento de projetos científicos nas escolas, no modelo Stem.

“Então esta escolha para que eu vá representar o Maranhão no Programa Stem TechCamp Brasil é resultado de todo esse trabalho, que me dá muito prazer em fazer e que tem trazido muitos resultados positivos na escola. E eu fico extremamente feliz com essa oportunidade. E espero voltar com muito mais bagagem para trabalhar com meus alunos. Eu acredito na importância desse envolvimento dos estudantes com a ciência e a tecnologia. Quantos cientistas podem ser despertados, se tivermos um trabalho estimulante e instigante em sala de aula”, disse o professor Augusto Veras.

Durante a formação, cada professor terá oportunidade de apresentar uma experiência científica que já desenvolveu em sua escola. O professor Veras leva na bagagem a experiência da “Luva com Sistema Sensorial para Pessoas com Deficiência Visual”. Os cinco melhores projetos serão escolhidos para serem apresentados na maior Feira Internacional de Ciência e Engenharia, na cidade de Pittssburgh, Pensilvânia, nos Estados Unidos, em maio.

Inscrições para seletivo da UFMA terminam hoje (5)

As inscrições para o Concurso Público da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), que oferece 15 vagas para professor do magistério superior, terminam nesta sexta-feira (5). As vagas são para departamentos de várias áreas da Universidade.

O processo de inscrição consiste em uma pré-inscrição, onde o candidato precisa comparecer na Divisão de Expediente, Protocolo e Arquivo da UFMA, das 8h às 11h e das 14h às 17h, ou via postal, no endereço Cidade Universitária Dom Delgado, Avenida dos Portugueses, nº 1966, Prédio Marechal Castelo Branco, CEP: 65080-805. A taxa varia de R$ 120 a R$ 180.

Com remuneração entre R$ 2.236,30  a R$9.585,67 e carga horária entre 20h e 40h, o seletivo oferece vagas para as seguintes áreas: Análise, Matemática/Álgebra, Geometria Diferencial e Sistemas Dinâmicos; Pediatria; Obstetrícia; Ginecologia; Formação Sócio Histórica da Sociedade Brasileira; Comunicação/Jornalismo e Editoração; Engenharia Agrícola; Máquinas e Implementos Agrícolas; Engenharia; Radiojornalismo e Multimídia; Práticas Médicas/ Gastroenterologia Clínica e Cirúrgica; Eixo Integrador; Fundamentos da Prática e da assistência Médica; Práticas Médias/Pediatria/Eixo integrador; Educação Física/ Didática da Educação Física; Atletismo e Aprendizagem Motora; História e Turismo.

De Redação, com informações de MA10.

Professor, exercício de dignidade

Esta semana, fiquei feliz com a carta que recebi da professora Benedita Ferraz, de Penalva. No texto que endereçou a mim, ela agradeceu por ter participado do processo seletivo para professores da rede que quisessem aderir à carga horária de 40 horas. Dona Bibi disse que ao longo da seleção pode constatar “a seriedade e transparência” de nossa gestão. Fico feliz de poder propiciar essas e outras oportunidades a esses militantes da causa da educação, que são os professores do Maranhão.

Pessoas que não se dobraram às intempéries que existem para ensinar. Gente como a dona Luzia Sousa, do povoado Placa Violão em Tuntum, que embaixo de árvore já reuniu cadeiras, para garantir que seus alunos não ficassem sem saber ler ou escrever, até que lá chegasse o Programa Escola Digna.

A esses grandes militantes da educação, eu dedico os meus parabéns nesse Dia dos Professores. E fico feliz de saber que nosso governo tem conseguido oferecer condições mais dignas de trabalho a esses lutadores. Com o programa Escola Digna, já reconstruímos ou reformamos 600 escolas – o que representa metade de nossa rede estadual de ensino. E também estamos construindo 300 novas escolas, que substituem unidades de ensino inadequadas: escolas de um só cômodo; barracões; salas em residências; casas de taipa.

Para garantir boas condições de ensino, tenho orgulho de dizer que pagamos um dos maiores salários do Brasil para profissionais da rede estadual, com jornada de 40 horas. Fizemos concurso público e adotamos iniciativas inéditas, a exemplo dos editais de ampliação e de unificação de jornada de trabalho. E não para por aí. Também estamos investindo na formação continuada. Só este ano, já houve formação para mais de 50 mil docentes das redes estadual e municipais, pois estamos apoiando as Prefeituras nessa missão.

Com o “Sim, Eu Posso”, oferecemos oportunidades a docentes que atuam nos 30 municípios de menor IDH do Maranhão, em uma missão muito importante: alfabetizar jovens e adultos. Há quem menospreze esse investimento, achando que o Estado não deve se preocupar mais com quem passou da idade escolar e não teve a oportunidade de aprender a ler e escrever. Mas nosso governo tem consciência de que é sua missão cuidar de todos. Especialmente dos que mais precisam, e por isso criamos esse programa.

O primeiro concurso em que passei na vida foi para professor, profissão que exerço há décadas. Dessa função, estou licenciado para exercer os compromissos que me exigem o mandato de governador. Na sala de aula, aprendi o respeito às diferentes vozes e a crença no diálogo como um instrumento de constante evolução. Fico feliz por agora, no cargo de governador, poder contribuir com o bom exercício da função por parte de meus colegas professores. Estou certo de que com o investimento em educação estamos construindo um Maranhão muito melhor, mais justo e com mais igualdade de oportunidades.

Advogado, 49 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.