Manifestantes lotam ruas pelo Brasil inteiro contra contingenciamento de recursos para educação

Manifestantes do Brasil inteiro se reuniram nesta quarta-feira (15), para protestar contra o bloqueio de recursos destinados às instituições de ensino superior anunciado pelo Ministério da Educação. Em São Luís, a concentração ocorreu por volta das 15h na Praça Deodoro. De lá os manifestantes caminharam pela Praça Maria Aragão e chegaram na Praça dos Catraieiros, onde se concentraram até as 18h, quando a manifestação encerrou.

 

Na Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e no Instituto Federal do Maranhão (IFMA) as aulas foram canceladas hoje. Na manhã de hoje, um outro protesto já havia sido realizado na porta da UFMA.

Vários manifestantes carregavam cartazes favor da educação, alguns faziam referência à declaração dada pelo presidente Jair Bolsonaro na qual ele chamou os manifestantes de “idiotas”, “imbecis” e “massa de manobra“.

Ao todo, os manifestantes contabilizaram cerca de 20 mil pessoas no protesto. A Polícia Militar contabilizou 5 mil pessoas. Além de São Luís, foram realizados atos nos municípios de Pinheiro, Balsas, Santa Inês e Imperatriz.

De acordo com o Ministério da Educação, o bloqueio é de 24,84% das chamadas despesas discricionárias — aquelas consideradas não obrigatórias, que incluem gastos como contas de água, luz, compra de material básico, contratação de terceirizados e realização de pesquisas. O valor total contingenciado, considerando todas as universidades, é de R$ 1,7 bilhão, ou 3,43% do orçamento completo — incluindo despesas obrigatórias.

Em 2019, as verbas discricionárias representam 13,83% do orçamento total das universidades. Os 86,17% restantes são as chamadas verbas obrigatórias, que não deverão ser afetadas. Elas correspondem, por exemplo, aos pagamentos de salários de professores, funcionários e das aposentadorias e pensões.

Segundo o governo federal, a queda na arrecadação obrigou a contenção de recursos. O bloqueio poderá ser reavaliado posteriormente caso a arrecadação volte a subir. O contingenciamento, apenas com despesas não obrigatórias, é um mecanismo para retardar ou deixar de executar parte da peça orçamentária devido à insuficiência de receitas e já ocorreu em outros governos.

Professores têm até o dia 12 para inscrição em programa de imersão na USP com todas as despesas pagas

Professores e coordenadores de currículo da área de STEM (Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática) têm até a próxima segunda-feira (12) para fazer inscrição em projeto de imersão na Universidade de São Paulo (USP), com tudo pago pela Embaixada dos Estados Unidos (EUA). Esta é a segunda edição da STEM TechCamp BRASIL 2019, a formação terá duração de 12 meses.

A imersão na USP oportunizará que colaboradores da rede pública possam participar de oficinas práticas e trocar experiências com profissionais de outros estados sobre as novas tendências e formas práticas de fortalecer o ensino das áreas de exatas na rede pública.

Os palestrantes e coordenadores das oficinas são especialistas brasileiros e americanos. Os participantes não precisam ser fluentes em Língua Inglesa, pois haverá tradução simultânea sempre que necessário. Todos os custos de participação (viagem, hospedagem e alimentação) são cobertos pela Embaixada dos EUA.

Podem participar gestores de Secretarias Estaduais de Educação, professores do Ensino Fundamental II ou do Ensino Médio, professores de Ensino Médio de Institutos Federais, além de gestores e professores que participaram da seleção do programa em 2018 e não foram escolhidos. As inscrições podem ser realizadas por intermédio do endereço eletrônico: https://febrace.org.br/stemtechcampbrasil/2019/

Professores participam da primeira etapa da formação voltada para o campo

O Governo do Maranhão realiza até a próxima quinta-feira (19), no Hotel Praia Mar, a I Etapa da Formação de Professores do Projovem Campo – Saberes da Terra 2018. A ação tem por objetivo preparar os educadores para que possam trabalhar na sala de aula a pedagogia e as metodologias diferenciadas e específicas da educação do campo.

Cerca de 130 professores, aprovados no seletivo realizado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), participaram da formação, além de 25 coordenadores ou gestoras das escolas em comunidades rurais de 25 municípios onde o programa é realizado.

“Essa é mais uma das inúmeras formações que o Governo do Maranhão vem realizando nesses quatro anos. Desta vez, o foco é melhorar o ensino ofertado a jovens agricultores que não tiveram a oportunidade de avançar nos estudos. Estamos capacitando os professores para que eles possam trabalhar com esses jovens atendendo de forma adequada e qualitativa às suas necessidades educacionais”, destacou o secretário Felipe Camarão, que participou da solenidade de abertura da formação.

“Durante os quatro dias, os professores estarão aqui, trocando experiências e recebendo informações sobre as especificidades do programa que tem uma característica especial por trabalhar a partir do eixo norteador da profissionalização”, destacou Adria Utta, supervisora de Educação no Campo.

Ainda na abertura, o secretário Felipe Camarão participou de uma ciranda com professores embalada pela música ‘Engenho de Flores’, de Josias Sobrinho, e pelo poema ‘Os Estatutos do Homem’, escrito mais famoso do poeta Thiago de Mello, escrito em 1964, logo depois do golpe.

Para os professores que participam da formação, essa é uma oportunidade de ampliar conhecimento e melhorar o trabalho em sala de aula. “Estou ansioso para aprender mais. Eu sou professor há apenas três anos, e essa é minha primeira experiência com a Educação do Campo, e sabemos que é uma modalidade diferenciada, a batalha é feita no dia a dia, o ambiente e as necessidades educacionais são diferentes do ambiente urbano. E essa formação é importante por dois motivos: primeiro como troca de experiências com outros colegas; e segundo para ouvir os direcionamentos pedagógicos para a Educação no Campo”, disse Dionísio Araújo Santos, professor de Ciências Humanas, na Vila União, em Governador Nunes Freire.

“Esse momento me emociona porque ‘Os Estatutos do Homem’ também conhecido como ‘Ato Institucional Permanente’, é um convite à reflexão. Apesar de ter sido escrito há mais de 50 anos, nos fala muito do momento atual que atravessamos, nos fala do que pode vir. E isso é preocupante”, concluiu Felipe Camarão.

Sobre o programa

O Projovem Campo – Saberes da Terra, criado em 2005, faz parte das Políticas de Juventude do Governo Federal, e é um programa que oferece qualificação profissional e escolarização aos jovens agricultores familiares de 18 a 29 anos que não concluíram o Ensino Fundamental, mas sabem ler e escrever. O programa visa ampliar o acesso e a qualidade da educação ofertada a esses jovens que foram excluídos do processo educacional, respeitando as características, necessidades e pluralidade de gênero, étnico-racial, cultural, geracional, política, econômica, territorial e produtivas dos povos do campo.

No Maranhão, o programa está sendo desenvolvido em 25 municípios, com prioridade para aqueles com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), e faz parte das políticas de estado para combate à pobreza e pela redução das desigualdades sociais. O programa tem duração de dois anos. As aulas foram iniciadas há dois meses, e é executado por meio de parceria entre o Estado e os municípios.

“Um grande diferencial é a ‘sala de acolhimento’, um espaço para acolher filhos de estudantes. Nós sabemos que muitas jovens interrompem os estudos por causa de uma gravidez precoce. Então, o programa dá a elas a oportunidade de voltarem a estudar, tendo os filhos por perto. O programa contratou e preparou um profissional para que acolha as crianças enquanto seus pais estudam”, explicou João Rocha, coordenador do Projovem Campo, no Maranhão.

Governo convoca professores classificados em seletivo

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) divulgou, nesta quarta-feira (20), edital de convocação dos os candidatos classificados, dentro do limite de vagas no Processo Seletivo Simplificado para Contratação Temporária de professores para atuarem no Ensino Médio Regular.

Os candidatos classificados devem comparecer até o dia 25 na sede da respectiva Unidade Regional de Educação a qual pertence o município para onde concorreram, a fim de entregarem os documentos e assinarem contrato administrativo, munidos dos documentos comprobatórios, cópias e originais, nos termos do Edital nº 005/2018.

Documentos

Entre os documentos requeridos estão diplomas ou certidão de formação conforme exigido nos requisitos básicos para contratação temporária, com cópias autenticadas; e certidão de conclusão de curso dentro do prazo exigido no Edital, cuja validade é de 1 ano.

Carteira de identidade, CPF e título de eleitor devem ser apresentados com cópias autenticadas ou com “confere com o original”, efetuado pelo servidor responsável pelo recebimento da documentação. Para candidatos do sexo masculino e não índio, pede-se que apresentem carteira de reservista.

Outros documentos necessários são: comprovante de aptidão física e mental apurada em perícia médica (laudo); comprovante de endereço; número do PIS ou PASEP; dados de conta bancária do Banco do Brasil, devendo o titular ser o professor contratado.

O não atendimento à convocação no prazo estabelecido implica em eliminação do candidato classificado no Processo Seletivo, sendo convocado o candidato seguinte na ordem de classificação.

O Edital de Convocação pode ser conferido em: www.educacao.ma.gov.br.

Pesquisa mostra que Maranhão é o Estado que paga o melhor salário para professores

O Maranhão é o Estado brasileiro que paga os melhores salários para professores, de acordo com pesquisa publicada pela edição de maio da revista Nova Escola. O valor se refere a profissionais em início de carreira com licenciatura plena e jornada de 40 horas semanais. São R$ 5.750,83.

O reajuste de 30,35% em três anos para a categoria foi acima da inflação. Além disso, mais de 22 mil professores receberam benefícios de progressões, titulações, estímulos e promoções na carreira.

“Estamos fazendo o máximo para que a profissão de professor seja valorizada, um dos caminhos para termos uma educação melhor”, diz o governador Flávio Dino.

De acordo com levantamento, o Maranhão está à frente de muitos Estados com economias bem maiores, como é o caso de São Paulo, a unidade federativa mais rica do Brasil. O salário dos docentes paulistas é de menos de R$ 3 mil.

De acordo com o levantamento, apenas dois Estados, além do Maranhão, pagam mais do que R$ 5 mil para os professores: Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Novo destino

Na reportagem que acompanha o estudo, a revista Nova Escola diz que “com aumento de salário para professores estaduais, reforma de escolas e mudança de gestão, o estado tenta mudar seu destino”. Trata-se do programa Escola Digna, lançado pelo governador Flávio Dino em 2015.

A publicação acrescenta que “as mudanças que estão sendo implementadas têm como pilares as áreas de infraestrutura, currículo, formação de professores e gestão escolar, além da questão da remuneração. Todas fazem parte da macropolítica Escola Digna, cujo decreto foi assinado pouco depois da posse, além do estabelecimento de um regime de colaboração do Estado com os municípios”.

A revista ressalta o papel do Escola Digna: “Até o momento, mais de 700 delas já passaram por intervenções na estrutura e mais de 100 estão em reforma ou construção. A aspiração do  governo é que até o final de 2018, todas passem por melhorias e não exista mais nenhuma sem banheiros, muito menos construções de taipa”.

Divulga resultado parcial de seletivo para unificação de matrículas de professores

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) divulga, nesta terça-feira (22), o resultado parcial do seletivo para Unificação de Matrículas dos Professores Integrantes do Subgrupo Magistério da Educação Básica.

Esta é a segunda vez na história da educação maranhense que o Governo abre vagas para unificação de matrículas, possibilitando que professores do Estado, que possuem duas matrículas efetivas de 20 horas na rede pública estadual possam unificá-las e serem reenquadrados na tabela remuneratória de 40 horas semanais.

Ao todo, foram ofertadas 200 vagas de unificação de matrículas, para docentes efetivos da Seduc.

A Secretaria de Estado da Educação informa ainda que, devido ao elevado número de inscritos, sendo necessária criteriosa avaliação e revisão de documentos por parte da Comissão Avaliativa do seletivo de Ampliação de Jornada de Trabalho de 20 para 40 horas semanais, o resultado previsto para publicação nesta data (21) será divulgado no próximo mês de julho.

A lista de candidatos aprovados e classificados está disponível no site da Seduc (http://www.educacao.ma.gov.br).

O candidato que desejar interpor recurso deverá encaminhar e-mail para Comissão Avaliativa do seletivo (unificacao@educacao.ma.gov.br), no prazo de até 48h (quarenta e oito horas), contado a partir do dia subsequente ao da divulgação deste resultado.

Abertas inscrições para contratação de professores do Ensino Médio

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) abriu, nesta semana, as inscrições para Processo Seletivo Simplificado para Contratação Temporária de 219 professores e formação de Cadastro Reserva, para atuarem no Ensino Médio Regular, das escolas estaduais situadas nos municípios, nas zonas urbanas e rurais, das 19 Unidades Regionais de Educação (UREs).

As inscrições podem ser realizadas até às 23h e 59min de sexta-feira (11), exclusivamente no endereço eletrônico da Seduc (www.educacao.ma.gov.br), e a entrega dos documentos e títulos, acompanhados da Ficha de Inscrição, gerada via internet, deve ser realizada nas sedes das UREs até as 19h do dia 14 de maio de 2018.

O candidato deve entregar a Ficha de Inscrição em envelope pardo, tamanho ofício, contendo a cópia dos seguintes documentos, acompanhado dos originais: Carteira de Identidade; CPF; Título de Eleitor; Certificado de reservista (para o sexo masculino); comprovante de quitação eleitoral; comprovante de residência em nome do candidato ou declaração do responsável pelo comprovante de residência; documentos de comprovação dos Requisitos Básicos e dos Títulos e Experiência Docente, de acordo com o contrato pleiteado.

Prefeitura de São Luís firma parceria com Abrinq para formação de professores da rede municipal

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), firmou parceria com a Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente para ofertar treinamento aos profissionais da educação da rede municipal por meio do programa Protegendo Sonhos. A assinatura do convênio ocorreu esta semana, bem como a primeira das oito formações voltadas para professores e coordenadores pedagógicos, sendo quatro presenciais e quatro à distância, as quais serão realizadas em 2018 e 2019.

“Estamos garantindo, com mais essa formação, em parceria com a Abrinq, mais qualidade a educação, como requer a política educacional instituída pelo prefeito Edivaldo, a partir de uma maior qualificação dos educadores da rede”, assinalou o titular da Semed, Moacir Feitosa, que recebeu os representantes da Fundação Abrinq, em seu gabinete, para a assinatura do convênio do programa Protegendo Sonhos.

O objetivo do programa Protegendo Sonhos é melhorar o desempenho de alunos dos anos finais do Ensino Fundamental em leitura, escrita e matemática, por meio da formação de professores, doação de kits pedagógicos e realização de eventos simultâneos entre professores e alunos. Em princípio, foram selecionados para participar da formação, docentes de sete Unidades de Educação Básica (U.E.B.) do município de São Luís, sendo uma escola de cada núcleo: Primavera (Anil), Rubem Almeida (Coroadinho), Alberto Pinheiro (Centro), Menino Jesus de Praga (Turu-Bequimão), Rosália Freire (Itaqui-Bacanga), Santa Clara (Cidade Operária), e Haydee Chaves (zona rural).

A primeira formação ocorreu nesta semana e reuniu, aproximadamente, 30 professores e coordenadores pedagógicos da rede municipal de educação e orientadores sociais da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), no auditório da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Luís Viana, na Alemanha.

Na ocasião, a consultora da Fundação Abrinq, Andrea Marinho e a assistente técnica de Projetos em Educação da referida instituição, Carla Borba Lerner, traçaram as linhas gerais do programa Protegendo Sonhos, com seus objetivos, ações e resultados esperados, e falaram de várias temáticas transversais, como adolescência, protagonismo, contextos de vida, relações étnico-raciais e questões de gênero dentro das escolas, que são de suma importância hoje para o desenvolvimento e aprendizagens dos estudantes.

AÇÕES PRÁTICAS

De acordo com a assistente técnica de Projetos em Educação da Fundação Abrinq, Carla Virgínia Borba Lerner, uma das respostas à formação do programa Protegendo Sonhos é desenvolver ações práticas, com foco na oralidade, escrita e matemática, voltadas para a realidade em que as escolas estão inseridas. Ela conta que além de São Luís, a Fundação firmou parcerias com outras três capitais: Salvador, São Paulo e Vitória. “Nossa visão é contribuir para a melhoria do desempenho escolar de estudantes”, explica Carla Lerner.

As professoras Maria de Jesus Gaspar Leite, secretária Adjunta de Ensino (SAE/Semed), e Arsênia Formiga, Superintendente da Área de Ensino Fundamental (SAEF/Semed), agradeceram a participação dos professores e coordenadores e a parceria da Fundação Abrinq.

O professor de Matemática Roberto Wagner Santos Silva, da U.E.B. Haydee Chaves (Vila Esperança), parabenizou a iniciativa, destacando a forma atrativa como foi repassado o conteúdo da oficina. “As formadoras estão conseguindo humanizar o conteúdo, o que para nós, professores de matemática, é muito importante. Isto nos estimula a participar das demais formações”, afirmou.

PROTEGENDO SONHOS

Criada em 1990, a Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente (da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos – Abrinq) é uma organização sem fins lucrativos que tem como missão promover a defesa dos direitos e o exercício da cidadania de crianças e adolescentes. O programa contribuirá com a qualificação e inovação de práticas leitoras, escrita e matemática em 20 escolas municipais de Ensino Fundamental (6º ao 9º ano).

Prefeitura realiza formação didática específica de matemática para educadores

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realiza até esta sexta-feira (20), na Faculdade Pitágoras, o primeiro encontro presencial do curso Didática Específica da Matemática, para técnicos, professores formadores e professores dos anos iniciais e finais do ensino público de São Luís. O curso faz parte do programa Gestão para a Aprendizagem que é uma parceria da secretaria com a Fundação Lemann, ministrado pelo Grupo Mathema.

Com o objetivo de melhorar a qualidade do ensino no município, o programa será desenvolvido ao longo de três anos e objetiva dar apoio à rede pública de ensino para alcançar bons resultados de aprendizagem e uma educação de excelência para todos os estudantes. Em São Luís esta consultoria acontece desde o ano passado, quando a Semed foi selecionada por meio de edital público aberto pela Fundação Lemann, sendo uma das três secretarias escolhidas nacionalmente para ser parceira da instituição.

O titular da Semed, Moacir Feitosa, ressaltou que o esforço da gestão do prefeito Edivaldo tem sido contínuo para melhorar os indicadores em Educação no município. “O prefeito Edivaldo não tem medido esforços para dotar o município de uma estrutura que atenda as demandas dos estudantes da rede municipal de ensino, buscando melhorias e garantindo uma educação de qualidade. E para alcançar esses objetivos e investimentos, conquistamos mais esta importante parceira com a Fundação Lemann que proporcionará grandes frutos”, destacou o gestor.

FORMAÇÃO

O curso tem como meta criar uma equipe de referência de ensino de matemática na rede para qualificar as ações formativas e promover melhorias específicas na prática e didática dos professores que ensinam adisciplina para garantir a aprendizagem dos alunos.

“O curso vai preparar os professores que vivem todas as questões referentes a como ensinar e aprender a matemática; dar repertório para esses professores de práticas e instrumentos que possam levar para sala de aula e pensar mais sobre o essencial, que é a aprendizagem de todos os estudantes. Todo aluno pode aprender matemática e quando acreditamos nisso precisamos ter estratégias para atender as diferentes formas de aprender”, explicou a gestora pedagógica do Mathema, Cristiane Chica.

Para a coordenadora do Centro de Formação do Educador (CEFE/Semed), Rosa Faro, o encontro capacita multiplicadores dos conhecimentos da matemática para promover uma educação de qualidade dentro da escola que resulte na aprendizagem dos estudantes. “Sem a formação não se melhora o resultado e desempenho profissional, não há mudança na prática, estar trazendo a parceria com o grupo Mathema é muito valioso pelo reconhecimento e qualidade das capacitações. Certamente, os cursistas sairão renovados depois desta experiência”, pontuou.

A ministrante da formação, Fernanda Alves, destaca que o curso vai pensar muito a prática fundamentada na teoria durante os módulos da capacitação. “A proposta do módulo um é para trabalhar a resolução de problemas e encaminhamentos do que os professores podem fazer como os alunos em sala de aula de maneira a modificar o formato que é trabalhado, apresentando novas perspectivas”.

Marcos dos Santos Sousa, formador da rede municipal, destaca que a Semed tem implementado uma política de formação continuada. “As formações visam fomentar o ensino. A partir disso pretendemos melhorar a prática em sala de aula e o desempenho dos nossos estudantes na disciplina, além de fazer com que eles ganhem interesse, motivação e professores preparados para fazer esse trabalho”.

Sidney Fernandes Mendonça, professor de matemática da U.E.B. Neiva Moreira, comenta que a formação começou muito boa com bastante perspectivas para a melhoria da aprendizagem na matemática. “Parece muito bom, vai ofertar bastante prática para tirar a matemática da teoria, será um facilitador de aprendizagem já que a matéria é muita abstrata e temos que buscar o real”, disse o professor.

A formação será desenvolvida em 18 módulos, carga horária dividida em encontros presenciais e atividades online para 31 professores de anos iniciais e finais do ensino fundamental da rede municipal de ensino. A ação faz parte do programa Educar Mais, lançado ano passado pelo prefeito Edivaldo, visando a qualidade do ensino e a melhoria dos indicadores educacionais do município.

Professores participam de formação do Plano de Intervenção Pedagógica da rede municipal

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou a formação do Plano de Intervenção Pedagógica (PIP), para 110 professores representantes de cada escola do Ciclo de Alfabetização do Ensino Fundamental. A iniciativa faz parte de uma das ações do programa ‘Educar Mais: Juntos no Direito de Aprender’, implementado na gestão do prefeito Edivaldo. As ações seguem neste sábado (24), às 8h, no auditório Paulo Freire (UFMA), quando ocorrerá um encontro com todos os professores e coordenadores do ciclo.

O secretário de Educação Moacir Feitosa, ressaltou que as formações são momentos em que os educadores avaliam as atividades que executam no dia a dia em sala de aula e buscam novas intervenções para que favoreçam o aprendizado dos estudantes. “A política de formação para professores é um fator essencial para o constante aprimoramento da educação pública de São Luís, e que contribui para melhorar o desempenho do estudante garantindo o sucesso de sua trajetória escolar”, disse o titular da Semed.

Após os resultados obtidos pela aplicação dos testes de avaliação do Sistema Municipal de Avalição de São Luís (Simae/SL), a Semed implementou o Plano de Intervenção Pedagógica (PIP) junto aos estudantes que não conseguiram garantir as habilidades que foram consideradas na avaliação. Um dos grandes diferencias do sistema, implantado na rede pública municipal, é permitir acompanhar, de forma individual, o nível educacional dos estudantes da rede.

A FORMAÇÃO

A professora alfabetizadora, pedagoga, especialista em Psicopedagogia e Alfabetização, Rosaura Castro ministrou a formação realizada nesta quinta-feira (22), apresentando material didático pedagógico que será trabalhado com os estudantes não alfabetizados no 3º ano da rede pública de ensino. “O PIP apresenta-se como uma estratégia de apoio à escola para assegurar o acompanhamento e a orientação do professor, essa estratégia tem garantido ao processo de educação aptidão e celeridade para realizar ajustes e novas intervenções na perspectiva de assegurar bons resultados”.

A coordenadora do Núcleo de Alfabetização, Ruth-Ane do Nascimento Oliveira, esclarece que o PIP realiza um trabalho permanente de visitas e acompanhamento nas escolas para possibilitar avanços na gestão pedagógica, propor estratégias de intervenção, apoiar os professores e, assim, garantir a aprendizagem dos estudantes no tempo certo.

SAIBA MAIS

O Simae está inserido no pilar Avaliação, que faz parte do Programa Educar Mais, lançado ano passado na gestão do prefeito Edivaldo. Com os resultados da avaliação está sendo possível identificar fatores que interferem na aprendizagem dos estudantes e o redimensionamento de prática em prol da melhoria na educação.