Homem que agrediu a mãe pode nunca ter trabalhado na vida

Da redação

A reportagem do Página 2, em apuração no serviço online Busca por Advogados, não encontrou o registro profissional do bacharel em Direito, Roberto Elísio Coutinho de Freitas, homem que chocou o país após ser flagrado agredindo a própria mãe que é idosa e tem doença de Alzheimer. O vídeo denunciando o caso viralizou nas redes sociais na última sexta-feira (26). Sem registro profissional, a suspeita é de que Roberto nunca trabalhou na vida, mas gastava dinheiro o suficiente para um padrão de classe média alta.

A delegada à frente do caso, Igliana Freitas confirmou ao Página 2 que ele nunca tirou registro na Ordem dos Advogados Brasil (OAB) e que a polícia ainda investiga a possibilidade de empréstimos realizados em nome da aposentada como professora pela Universidade Federal do Maranhão. A suspeita é de que a mãe do agressor receba cerca de R$ 38 mil de pensão, tuda controlada por Elísio.

Ainda não foi confirmada a suspeita pela polícia do empréstimo e do que Roberto Coutinho vivia, embora relatos de pessoas próximas ao acusado, que está em prisão preventiva desde ontem, afirmem que ele, ainda que fosse casado, gastava mais de mil reais em uma noite com bebidas em festas. Como não tem registro de advogado nesta área, ele nunca trabalhou.

Um levantamento da vida de Elísio ainda está sendo feito. Já a idosa passou por exame de corpo e delito e foi acompanhada pela assistência social do Ministério Público, a informação é de que agora ela mora com o neto, responsável pela denúncia e autor do Boletim de Ocorrência no início de maio relatando o caso.

A esposa de Roberto escreveu um relato nas redes sociais se explicando porque não havia denunciado antes e assumindo a autoria da gravação anônima. Ela afirma que tinha que ter provas para denunciá-lo e tinha medo dele. Ela logo em seguida deletou a postagem no facebook e afirmou que faria um perfil em breve.

Danny assume autoria dos vídeos em rede social e logo depois deletado: “Se coloquem no meu lugar”, justificou
Danny, a esposa de Roberto, tinha um perfil conjunto com o preso e que posteriormente ao escãndalo foi deletado

[ATUALIZADO]

Solidariedade

O Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão(IHGM) manifestou publicamente, por meio de nota, solidariedade à idosa agredida pelo filho. Leia:

“O instituto vem manifestar irrestrita solidariedade à professora Joseth Coutinho Martins de Freitas, sócia honorário deste Instituto e Ex-vice-presidente, diante das lamentáveis e terríveis agressões que sofreu por parte do senhor Roberto Elísio Coutinho, seu filho, divulgadas recentemente nas redes sociais que gerou enorme comoção e indignação de todos. O agressor encontra-se sob a custódia da justiça para responder por seus indefensáveis e nefandos atos.

Joseth de Freitas é professora aposentada pela UFMA, professora aposentada da Rede Estadual do Maranhão, membro do Conselho Estadual de Educação, sócia do Rotary Clube, amiga da Marinha, além de demais entidades culturais e educacionais, sendo portadora de inúmeras condecorações por seus serviços em prol da educação e cultura maranhense. Atualmente é Sócia Honorária do IHGM, depois de mais de 30 anos de efetividade como sócia e relevantes serviços prestados a este sodalício, ocupando por diversas vezes cargos na diretoria, chegando a ser Vice-presidente. Em 2015 foi homenageada nos 90 anos do Instituto Histórico, recebendo uma placa e sendo elevada à honorabilidade.

São Luís, MA, 27 de maio de 2017.

Euges Lima
presidente”

 

EXCLUSIVO | Veja a chegada de Roberto Elísio à SEIC

Com exclusividade, o portal Página 2 obteve as imagens da chegada do homem flagrado agredindo a mãe, Roberto Elisio Coutinho, em São Luís. O bacharel em Direito está prestando depoimento neste momento na  Superintendência Estadual de Investigação Criminal (SEIC) da Polícia Civil do Maranhão.