Agendamento de inscrições para o Casamento Comunitário de São Luís encerra sexta-feira, 15

Os casais interessados em participarem do Casamento Comunitário de São Luís têm até esta sexta-feira (15) para agendarem as inscrições por meio do Telejudiciário (0800 707 1581 – ligação gratuita), das 8h às 17h. O casamento acontece no dia 22 de setembro, no Centro de Convenções da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), promovido pela Corregedoria Geral da Justiça. Podem se inscrever casais residentes no município de São Luís, devendo comparecer ao Fórum Desembargador Sarney Costa (Calhau) para realizarem a entrega da documentação.

O agendamento está limitado ao total de mil casais, sendo todos os atos referentes ao casamento gratuitos. Com o agendamento, a CGJ abre a última etapa de inscrições para a maior cerimônia comunitária do Estado, que foram iniciadas no último dia 26 de maio, na Ação Global, quando foram inscritos quase 400 casais. Segundo informações da Coordenadoria das Serventias da CGJ-MA, o agendamento é uma prévia da segunda etapa de inscrições para a cerimônia, e os casais que fizerem o procedimento deverão apresentar os documentos solicitados no Fórum Desembargador Sarney Costa (Calhau), em dia e horário determinados durante o atendimento pelo Telejudiciário.

Entre os documentos exigidos no ato da inscrição estão o original e cópias do RG e do comprovante de residência de São Luís (para todos os nubentes). Noivos solteiros e maiores de 18 anos devem apresentar ainda a certidão de nascimento (original). Já para os maiores de 16 e menores de 18 anos é exigido também o consentimento dos pais. Noivos divorciados precisam apresentar a averbação do divórcio (original). No caso de noivos viúvos, além do comprovante de residência e RG será exigida a certidão de casamento averbada com o óbito.

CASAMENTOS COMUNITÁRIOS – O Projeto Casamentos Comunitários foi instituído pelo Poder Judiciário maranhense em 1998, idealizado pelo desembargador Jorge Rachid, e objetiva oportunizar à comunidade a formalização da situação civil de forma gratuita.

O procedimento está disposto no Provimento N° 10/2013, da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ-MA). A gratuidade inclui a expedição de 2ª via do assento de nascimento ou casamento, se necessário. A Corregedoria Geral da Justiça disponibiliza apoio logístico aos magistrados para concretização do Projeto Casamentos Comunitários, especialmente junto aos cartórios.

Prefeitura debate ações para redução de resíduos durante I Fórum Municipal Lixo Zero de São Luís

A Prefeitura de São Luís, por meio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, realizou o I Fórum Municipal Lixo Zero São Luís. O evento, que ocorreu no Convento das Mercês nesta quarta-feira (13), teve como objetivo formar uma rede de práticas sustentáveis realizadas na cidade para reduzir a geração de resíduos sólidos na capital maranhense. Implantados na gestão do prefeito Edivaldo, os Ecopontos foram um dos destaques do fórum.

O fórum foi realizado em parceria com o Instituto Maranhão Sustentável e o Instituto Lixo Zero Brasil. Durante todo o dia foram apresentadas ações adotadas pelo poder público, empresas e sociedade civil que tenham como objetivo a reciclagem do lixo, fazendo com que os resíduos voltem para o ciclo produtivo, gerando menos impactos ao meio ambiente.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, representou o prefeito Edivaldo na abertura do evento. Destacando a implantação dos Ecopontos, ela informou que em três anos São Luís teve marcos que mudaram a forma como o resíduo urbano é gerido e tratado. “Nesse período, seguindo orientação do prefeito Edivaldo, desativamos o Aterro da Ribeira, passamos a encaminhar todo o lixo recolhido na cidade para um aterro moderno e que atende a todas as normas ambientais e sanitárias, além de implantarmos uma política efetiva de coleta seletiva na cidade por meio dos Ecopontos”, informou.

Atualmente, São Luís tem 10 Ecopontos em funcionamento que já receberam mais de 14 mil toneladas de resíduos. Recentemente a Prefeitura iniciou as obras de mais um Ecoponto. O presidente do Instituto Lixo Zero Brasil, Rodrigo Sabatini, visitou um dos equipamentos da cidade e falou da importância dessa iniciativa. “Os Ecopontos são fundamentais para que a população comece a mudar sua forma de lidar com o lixo que gera. Aqui em São Luís o projeto implantado cumpre todos os objetivos de sustentabilidade e reciclagem. São com certeza um modelo que pode ser seguido por outras cidades”, afirmou.

Em sua palestra, Rodrigo Sabatini também destacou que um dos pilares da redução na geração de resíduo é a mudança nos hábitos de consumo. “Algo só passa a ser lixo a partir do momento em que o descartamos. Porque na verdade, esse resíduo é matéria-prima que pode ser reciclada, reaproveitada, recolocada no ciclo de produção, gerando menos impactos ambientais e econômicos”, disse.

PALESTRANTES

Também estiveram presentes dois palestrantes internacionais. Mal Williams, fundador da Zero Waste International Alliance, responsável pela promoção do Conceito Lixo Zero em todo o mundo, e Stefano Ambrosini, especialista em gerenciamento de resíduos, responsável pela implantação de um modelo de coleta seletiva moderno na Itália.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana fez uma avaliação positiva do dia de trabalho. “O evento tinha o objetivo de agregar pessoas, projetos e organizações com trabalhos realizados na área de gestão e manejo de resíduos sólidos, trabalhando no Conceito Lixo Zero. Conseguimos isso. Agora é fortalecer e ampliar essas ações na cidade”.

LIXO ZERO

O objetivo do Instituto Lixo Zero Brasil é difundir o conceito pelo Brasil e o fórum é uma ferramenta para mostrar à sociedade grandes exemplos de que essa mudança é possível. Pessoas, empresas, instituições que mudaram seu comportamento em relação aos resíduos, assumiram uma responsabilidade frente a este problema ao qual o mundo todo passa.

Lixo Zero é uma meta ética, econômica, eficiente e visionária para guiar as pessoas a mudar seus modos de vidas e práticas de forma a incentivar os ciclos naturais sustentáveis, onde todos os materiais residuais são projetados permitindo seu uso no pós-consumo. “Lixo Zero significa projeto de produto e gerenciamento de processos para evitar e eliminar sistematicamente o volume e a toxicidade dos resíduos e materiais, conservar e recuperar todos os recursos e não aterrar ou incinerá-los. Ao implementar o Lixo Zero, todos os descartes para a terra, água e ar são evitados, o que são uma ameaça à saúde do planeta e dos seres vivos”, informa Carolina Moraes Estrela.

Estudantes da rede municipal de São Luís visitam pontos turísticos da capital

Crianças da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Olinda Desterro, bairro Vicente Fialho, visitaram nesta terça-feira (12), pontos turísticos no Centro Histórico de São Luís. No roteiro, as crianças, acompanhadas dos professores, coordenação, direção e pais, visitaram a Fonte do Ribeirão, monumento cercado de mistérios e lendas, e a exposição de artesanatos típicos regionais no Centro de Artesanato do Maranhão (Ceprama). A aula de cultura e artes em meio a uma manhã de lazer e aprendizado faz parte do projeto “Maranhão de Encantos: sabores, danças, artes e lendas” realizado pela escola.

O secretário de Educação de São Luís, Moacir Feitosa, reconhece a dedicação dos professores da rede, que não têm medido esforços para ensinar e educar de forma diferenciada, por meio de atividades lúdicas, que estimulem o aprendizado. “É importante para o desenvolvimento das crianças participarem também de atividades fora da sala de aula. A criatividade do professor na hora de propor essas ações que estimulam a curiosidade deles por nossa cidade e pela cultura é essencial, porque a criança aprende brincando, passeando, vendo de perto as nossas riquezas”, assegurou.

O projeto “Maranhão de Encantos: sabores, danças, artes e lendas” é realizado na escola pela coordenadora pedagógica Rosely Lima. O projeto trabalha a temática da cultura maranhense com o objetivo de garantir aprendizagem para as crianças por meio de vivências possibilitando que elas construam e reconstruam os conhecimentos acerca da cultura local.

“As professoras em sala de aula estão desenvolvendo trabalhos a partir de vários subtemas, através de contos, lendas, comidas típicas. Na visitação, os estudantes conheceram de perto a cultura. As visitas pedagógicas visam aprimorar o desenvolvimento do projeto. As crianças estão encantadas”, comentou a coordenadora Rosely.

Os olhares encantados e curiosos das crianças da Creche ao Infantil II da U.E.B Olinda Desterro demonstram o prazer pela cultura. Abimael Gomes da Silva, 5 anos, gostou de conhecer a Fonte do Ribeirão. “Muito legal e muito bonito. Tirei várias fotos para mostrar para minha mãe”, disse o garoto.

Incorporar os saberes da cultura popular aos conteúdos é um dos desafios da escola e esse trabalho deve começar já na Educação Infantil. A professora da Creche, Simone de Fátima Passos, destacou o tema sabores da terra e frutas regionais trabalhado em sala de aula com as crianças. “É uma valorização da cultura regional. Na escola apresentamos um vídeo para as crianças sobre as comidas típicas, fizemos colagem com os caroços da juçara e a degustação de alimentos, como o doce de cupuaçu, oportunizando a eles uma vivência de todo o processo do projeto cultural”, comentou a professora.

PARTICIPAÇÃO DOS PAIS

Visando o diálogo constante entre pais e escola e a importância da relação família-escola no processo ensino-aprendizagem, o projeto “Maranhão de Encantos: sabores, danças, artes e lendas”, insere a família na metodologia de aprendizagem da cultura maranhense participando ativamente das visitações, conhecendo os valores e as tradições culturais nativas juntos dos seus filhos.

Ana Flávia Fernandes Viegas, mãe das gêmeas Manuela e Dandara Fernandes Oliveira, 3 anos, ressaltou a importância da participação dos pais nas atividades propostas pela escola. “Com a nossa participação nossos filhos vão aprender mais porque precisamos ajudar a escola nesse processo de educação. É o nosso dever também, pois juntos estamos aprendendo e conhecendo um pouco mais da nossa cultura. A educação partilhada é que constrói o caráter do cidadão consciente que buscamos ter hoje em nossa sociedade, pois a educação passa pela família e depois pela escola mostrando seus reflexos na sociedade. Estou gostando de participar”, disse a mãe das gêmeas.

Lourdes Bahia dos Santos, mãe do pequeno Arthur dos Santos Paurá, 5 anos, disse que essa é a primeira atividade fora da escola que participa com o filho. “Nem sempre tenho tempo para acompanhar o Arthur nas atividades e hoje consegui vir e gostei de conhecer esses lugares que, até então, não tinha visto com ele. Está sendo proveitosos para os dois, pois foi possível aprender e ter um lazer com ele através do projeto da escola. As professoras estão de parabéns. É o conhecimento e a diversão juntos”, comentou.

Iniciativa da gestão do prefeito Edivaldo, Feirinha São Luís completa um ano

A Prefeitura de São Luís celebrou neste domingo (10) um ano da Feirinha São Luís. Iniciativa da gestão do prefeito Edivaldo, coordenada pela Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), o programa tem contribuído para a revitalização do Centro Histórico da cidade, para a geração e circulação de renda e a valorização da cultura local, além de ser uma opção de lazer para turistas e moradores da cidade aos fins de semana. Ao longo de um ano, foram realizadas 53 edições do evento, que ocorre sempre aos domingos, das 7h às 15h, na Praça Benedito Leite.

Durante o primeiro ano, a Feirinha São Luís movimentou mais de 20 toneladas de produtos e subprodutos da agricultura local. Cerca de 240 mil pessoas já circularam pela Feirinha, gerando um capital circulante de quase R$ 12 milhões, além de renda nos mais de 120 pontos de comercialização dentro e no entorno da Praça. No palco montado em frente à Associação Comercial já foram realizadas cerca de 300 atrações. A Feirinha conta com cerca de 100 barracas distribuídas para venda de produtos oriundos da agricultura familiar, artesanato, alimentação e ainda conta com food trucks e foodbikes.

O prefeito Edivaldo destaca os avanços obtidos ao logo de um ano de execução da Feirinha São Luís. “Com esse programa, manifestamos mais uma vez nosso apoio aos pequenos produtores rurais, aos artesãos e artistas de nossa cidade. A Feirinha gera emprego e renda para pequenos produtores rurais da ilha, artesãos, microempreendedores e artistas locais que se apresentam durante o evento. É uma ação que vem dando muito certo e beneficiando vários segmentos da sociedade.Além dos trabalhadores, a Feirinha favorece turistas e famílias que passaram a contar com um lugar que oferece produtos naturais e de qualidade e uma vasta programação cultural”, enfatiza o gestor municipal.

Cada edição traz novidades na programação cultural, nos serviços oferecidos e nos produtos comercializados. Ao longo de um ano, edições especiais da Feirinha foram realizadas em alusão a datas e festividades como Natal, Ano Novo, Carnaval, São João, aniversário da cidade, Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia do Idoso e Dia da Consciência Negra. O espaço da Feirinha também foi utilizado para o desenvolvimento de campanhas voltadas à saúde pública como Outubro Rosa e Novembro Azul e ainda de combate à violência contra as mulheres, como é o caso do feminicídio.

O secretário municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Ivaldo Rodrigues, avalia positivamente a evolução da Feirinha a cada edição. “Desde que foi planejado e aprovado pelo prefeito Edivaldo, esse programa foi pensado para beneficiar um público vasto. A Feirinha hoje é uma ação que favorece produtores, artesãos, comerciantes da área, turistas e famílias ludovicenses. É muito bom observar que esse é um projeto que vem crescendo e se consolidando a cada edição”, enfatizou o titular da Semapa.

OPORTUNIDADE

Além de ser uma opção de lazer para a população aos domingos, a Feirinha São Luís é uma oportunidade para que agricultores e artesãos possam comercializar seus produtos. O projeto é mais uma estratégia da Prefeitura de São Luís para o fortalecimento da agricultura familiar na capital, sendo um canal de escoamento da produção local, contribuindo com a melhoria na renda das famílias produtoras.

A produtora Maria Zuleide Cardoso, 58 anos, conta que vende seus produtos desde a primeira edição da feirinha. “Estou há um ano participando da feirinha e eu nem sei como agradecer por essa oportunidade que foi oferecida a mim e a minha família. É da Feirinha que tiro a minha única fonte de renda e de onde eu e meu marido tiramos lucro para pagar nossas contas. Vivemos da nossa terra e não tínhamos onde escoar essa produção”, diz Zuleide, produtora na comunidade Calembe, na zona rural de São Luís.

Entre os produtos comercializados pela produtora estão óleo de coco, pimenta, geleias de amora e pimenta, azeite de dendê e de coco babaçu e tempero caseiro. Em outras barracas, outros produtores garantem a diversidade de produtos oferecidos na feirinha, entre eles frutas, verduras e hortaliças.

Os produtos artesanais na Feirinha São Luís são comercializados em cerca de 40 barracas. Associações e grupos de artesãos se revezam para a venda nos espaços. A artesã e presidente da Federação das Associações e Cooperativas de Artesãos do Maranhão (Fedacma), Iraci Queiroz, 73 anos, auxilia na articulação para a comercialização do artesanato na Feirinha São Luís.

“Não tenho outra profissão, eu vivo disso e antes da Feirinha não tínhamos um ponto de referência para a venda de nossos produtos. Hoje, esse é um espaço diferenciado, especial para nós, onde temos a oportunidade de mostrar o nosso trabalho. É impressionante o público a cada edição. Estamos muito felizes com esse espaço”, conta Iraci, que vende trabalhos manuais como pinturas em azulejos, porcelana e vidro, arte sacra em madeira, bordados em ponto cruz, crochês entre outros.

COMÉRCIO

A Feirinha São Luís movimentou também o comércio local no entorno da Praça Benedito Leite. Segundo estimativa da Polícia Militar, a média de público para cada edição é de cerca de 4,5 mil pessoas. Com a movimentação maior aos domingos, comerciantes da área passaram a ter mais lucro com as vendas. O comerciante Rubens de Carvalho conta que antes nem abria aos domingos, mas que hoje é o dia da semana em que o estabelecimento registra maior movimentação de pessoas e, consequentemente, maior lucro.

“Passei a abrir aos domingos depois da Feirinha. É essa renda do domingo que paga o aluguel da gente aqui. Os idealizadores desse projeto foram iluminados. Sou parceiro da feira desde o início e acho esse um programa excelente, que já nasceu e segue firme e forte”, disse o comerciante Rubens de Carvalho.

Proprietário de restaurante na Praça Benedito Leite, Keryson Serra, conta que o movimento é grande no estabelecimento aos domingos. “Sempre abrimos aos domingos, mas não tinha esse público que a feirinha traz. O movimento hoje em dia em maior. Considerando a ideia do programa, para somar à proposta da Feirinha o restaurante serve, aos domingos, exclusivamente comidas típicas”, contou.

CENTRO HISTÓRICO

A Feirinha São Luís é mais uma das estratégias utilizadas pela Prefeitura de São Luís para a valorização do Centro Histórico. O espaço é mais um atrativo para que turistas e moradores possam conhecer a cultura e a gastronomia local e, ao mesmo tempo, circular pelas ruas do Centro Histórico da cidade, um espaço que vem sendo cada vez mais cuidado pelo poder público municipal.

Entre as ações da Prefeitura de São Luís na área estão os serviços de limpeza e a promoção de atividades que mantenham o movimento na área, como a do Programa Reviva. Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Turismo (Setur), a ação inclui atividades como o Passeio Serenata, o Roteiro Reggae e o Sarau Histórico.

PROGRAMAÇÃO

Em comemoração ao aniversário de um ano da Feirinha São Luís, a programação desta edição do domingo (10) segue em clima de São João. As atividades tivera início às 8h com um aulão de ritmos com a Secretaria Municipal de Desporto e Lazer (Semdel). A programação cultural incluiu apresentações do Cacuriá da Vila Gorethe; das Brasileirinhas, com o Show “As coreiras do Samba”; boi Encanto do Olho d’Água, com o sotaque de orquestra; e do cantor Pepê Júnior, com o show “Bumbauê”. Também haverá participação especial do grupo de capoeira “Maior é Deus, pequeno sou eu”.

Polícia retira de circulação armas de fogo em São Luís

A Polícia Militar do Maranhão (PMMA) retirou de circulação mais duas armas de fogo na Região Metropolitana  de São Luís. As ações aconteceram, nesse sábado (9), nos bairros da Liberdade e Itapera e foram realizadas pelo 9º BPM e 21º BPM. Nas operações foram detidas três pessoas.

Na primeira ação, policiais militares do 9º BPM apreenderam uma pistola pertence a Polícia Civil do Maranhão. A arma, que estava carregada  com onze munições intactas, foi apreendida em uma residência na Rua Araponga, no Bairro da Liberdade. Carlos Henrique Mendes, de 18 anos, e um adolescente de 17 anos foram detidos.

No Bairro Itapera, zona rural de São Luís, policiais militares do 21º BPM aprenderam um revólver calibre 38 com seis munições intactas e a quantia de R$ 2.850,00 em dinheiro durante abordagem a Valdimar Cutrin Costa, de 41 anos.

Nas as duas ações, os detidos juntamente com os materiais apreendidos foram apresentados nos plantões da Polícia Civil.

Obras de pavimentação beneficiam dez bairros de São Luís

Residir e transitar em dez bairros de São Luís passará a ser mais fácil e seguro após o Mutirão Rua Digna, ação do Governo do Maranhão de pavimentação de vias públicas coordenado pela Secretaria de Estado do Trabalho e Economia Solidária (Setres) em parceria com organizações comunitárias.

Neste mês, o secretário do Trabalho Hernando Macedo visitou organizações que estão executando a pavimentação em 31 ruas nos bairros Coquilho, São Raimundo, Conjunto São Raimundo, Matinha, Alto da Esperança, Bairro Porto Grande, Janaína, Radional, Santa Bárbara e Pedrinhas.

O total de investimentos do Governo do Maranhão no Mutirão Rua Digna é de R$ 13.424.368,50, atingindo 20 municípios maranhenses que participam do programa Mais IDH. Além da implantação das vias, o programa impulsiona a economia com geração de renda para os próprios moradores que participam da obra.

“O Rua Digna gera trabalho e renda para a população, uma vez que são os moradores que trabalham na obra. O programa é essencial para muitas famílias e alcança diversos setores da sociedade, pois além de melhorar a mobilidade das pessoas, sendo deficientes ou não, propicia geração de renda para os trabalhadores que estão desempregados e residem na rua em que está acontecendo as obras”, analisou o secretário Hernando Macedo.

Outro eixo é a geração de renda aos comerciantes locais, com a venda de materiais utilizados na estruturação das vias. O projeto também inclui a reintegração dos apenados da justiça, dando oportunidade de trabalho na fabricação e fornecimento dos bloquetes utilizados nas vias do Rua Digna.

O Mutirão Rua Digna é coordenado pela Setres, em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), Secretaria de Infraestrutura (Sinfra) e Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop). A ação conta, ainda, com apoio do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Maranhão (CREA/MA) e da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA).

Ruas que receberam o mutirão

Confira a lista das ruas que estão recebendo pavimentação pelo Mutirão Rua Digna:

Av. Principal, Ruas 8, 9 e 12 (Bairro Coquilho)
Rua Nova, Rua Tancredo Neves, Rua São Luís (São Raimundo)
Rua 7, Rua 8 e 2ª Travessa da Rua 8 (Conjunto São Raimundo)
Rua Principal, Rua São José e Rua do Campo (Bairro Matinha)
Rua das Margaridas e Rua São Raimundo (Alto da Esperança)
Rua Bom Jardim e Rua Projetada (Bairro Porto Grande)
Rua Tiradentes, Rua Santa Efigência e Rua Boa Esperança (Janaína)
Ruas 1, 2, 3 e a Travessa Dr. Cesar Viana do Residencial Apaco (Radional)
Rua 2, Rua 3, Travessa 1 e Travessa 2 – Loteamento Parque Sol Nascente (Santa Bárbara)
Rua do Caju e Rua da Uva – Ananadiba (Pedrinhas)

Milhares de católicos celebram Corpus Christi no Aterro do Bacanga em São Luís

Católicos de aproximadamente 50 paróquias da Região Metropolitana de São Luís e cidades vizinhas participaram nesta quinta – feira (31) da Celebração de Corpus Christi, realizada no Aterro do Bancanga, em São Luís.

A data é uma das mais importantes para a comunidade, pois é quando se comemora o mistério da  Eucaristia. “Este é o momento em que publicamente a Igreja quer mostrar sua fé na celebração da Eucaristia, momento central da vida da Igreja, é dele que tiramos a força necessária para a caminhada diária”, explicou o arcebispo metropolitano Dom Belisário.

Realizada em todos os ritos católicos, a celebração da Eucaristia é uma alusão à última ceia realizada por Jesus Cristo, quando chamou seus discípulos à comunhão e partilha.

O governador Flávio Dino, que esteve presente na solenidade, falou do apoio institucional ao momento. “Sempre participo como ato de fé, como cidadão e, ao memso tempo, nós do Governo acreditamos que essas manifestações religiosas diversificadas da população devem ser apoiadas”.

“O Estado é laico mas pode apoiar todas as celebrações, sobretudo essas que trazem um significado especial de comunhão, de partilha, marcando esse momento de fé para toda a comunidade católica do Maranhão, do Brasil e do Mundo”, completou.

Missa Campal 

Este ano, a celebração seguiu a temática da Campanha da Fraternidade e teve como proposta incentivar a cultura da paz.

“A temática é inspirada na Campanha da Fraternidade que é a superação da violência. Jesus, mesmo sabendo de toda violência antes de sua paixão, mesmo assim quis nos deixar o mandamento do amor”, afirmou Dom Belisário.

Com missas realizadas em todas as 54  paróquias da Arquidiocese de São Luis, a comemoração culminou com Missa Campal e shows no Aterro do Bacanga.

Foram mais  de 500 pessoas envolvidas na organização do evento, que contou com o apoio do Governo do Estado, Prefeitura e outras instituições.

Celebração da Fé 

Famílias inteiras, caravanas de diferentes bairros e regiões da Grande São Luís se dirigiram ao Aterro da Bacanga para a solenidade de Corpus Christi.

A fisioterapeuta Deanne Cristina da Silva, levou o pequeno Lucas Lin para a celebração. Além do esposo que tocava no palco, ela foi acompanhada da mãe, Luzimar da Silva e das amigas Raimunda Nonata Bezerra e Ana Carolina de Jesus.

“Para nós é o dia mais especial da Igreja Católica e por isso a gente se mobiliza,  se junta, vem pro show, fica todo mundo junto o que é muito importante”, afirmou a fisioterapeuta.

A professora Eunice Silva, que participou como ministra da Eucaristia, comparece ao evento há 25 anos, após uma promessa que, segundo ela, restaurou a saúde do filho.
“Ele tinha 11 anos e tinha um problema no rosto que os médicos não davam jeito. Fiz a promessa aqui, ele ficou curado e desde então, eu participo sempre”, contou .

Após a missa, os presentes realizaram procissão pela Avenida Beira Mar.

Homem é preso com arma de fogo em São Luís

Em uma ação realizada na última segunda-feira (28), a Polícia Militar por intermédio do 1º BPM conseguiu prender em flagrante José Ranulpho Guilherme de Sousa, “Bandeira”, de 21 anos de idade, em posse de uma arma de fogo de fabricação caseira no bairro Lima Verde, em São Luís.

Uma equipe do Grupo de Serviço Avançado (GSA) durante averiguações na região do bairro do Anjo da Guarda, conseguiu localizar José Ranulpho, suspeito pelo crime de tráfico de entorpecentes. Durante buscas na residência, a guarnição localizou a arma de fogo e uma munição intacta calibre 38.

Bandeira foi conduzido à delegacia do bairro Anjo da Guarda para que sejam tomadas as providências cabíveis.

Prefeitura estende horário de funcionamento em postos de saúde para vacinação contra a gripe

A Prefeitura de São Luís está se empenhando em cumprir a meta de vacinação contra a gripe estipulada pelo Ministério da Saúde que é imunizar, na capital, 209.974 pessoas pertencentes ao grupo de risco. Com a cobertura de sábado (26), quando a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) promoveu o Dia D Municipal, foi atingida 65% da meta. Como forma de intensificar a vacinação, o poder público municipal está estendendo o horário de funcionamento em algumas unidades municipais de saúde para reforçar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que encerra nesta sexta-feira (1º).

“O Dia D Municipal foi muito importante para alavancar a cobertura que devemos ter até o final da campanha, e ele será complementado com outras ações que faremos ao longo dessa última semana. Trabalhamos para cumprir a meta, pois a vacinação contra a influenza tem contribuído para a redução de complicações e internações decorrentes da gripe, especialmente na população de risco”, disse o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho.

As Unidades Mistas e os centros de saúde Paulo Ramos, Turu, Cohab, Genésio Rego, Liberdade, Bezerra de Meneses, São Francisco, Djalma Marques, Fabiciana, Janaina, Clodomir Pinheiro e Vila Bacanga atenderão até às 18h, uma hora a mais do horário regular de funcionamento. O horário estendido tem como objetivo ampliar o acesso do público-alvo à vacina para garantir a cobertura da meta proposta pelo Ministério da Saúde.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, afirmou que a Prefeitura está realizando diversas ações de mobilização para atingir a meta estabelecida para a capital. “Além de estendermos o horário de funcionamento das unidades de saúde, estamos, inclusive, levando os serviços de imunização contra a influenza às escolas e aos órgãos públicos, fazendo uma espécie de busca ativa para alcançarmos o máximo possível o público-alvo da campanha”, afirmou o secretário.

Ainda segundo o gestor da Saúde municipal, desde o início da campanha, o município tem vacina disponível em todas as unidades. “Mesmo assim, a adesão à vacinação em alguns grupos está abaixo do esperado. Por esse motivo estamos realizando essa força-tarefa para que as pessoas que integram os grupos prioritários da campanha sejam imunizadas”, frisou Lula Fylho.

A mobilização articulada pela Prefeitura de São Luís para imunizar o máximo de pessoas contra os tipos mais comuns do vírus da gripe visa diminuir a possibilidade de complicações causadas pela doença aos grupos de pessoas considerados mais suscetíveis ao problema, como são os idosos e as crianças, por exemplo.

A campanha de vacinação tem como público-alvo crianças de seis meses a menores de cinco anos, pessoas acima dos 60 anos de idade, trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, além da população privada de liberdade, dos funcionários do sistema prisional e das pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis.

EFICÁCIA

Segundo o Ministério da Saúde a vacina contra gripe é segura e tem eficácia de seis a 12 meses. A dose reduz as complicações que podem gerar casos mais graves da doença, internações ou até mesmo óbitos. Informa ainda que a vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é trivalente, pois protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano, no Hemisfério Sul, de acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS): o A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.

A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). O Ministério da Saúde orienta à população em geral, a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

Ainda conforme o Ministério da Saúde, a vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. Após a aplicação da vacina podem ocorrer, de forma rara, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção. São manifestações consideradas benignas, cujos efeitos costumam passar em 48 horas.

Câmara aprova projeto que regulamenta Conselho das Populações Afrodescendentes em São Luís

A Câmara Municipal de São Luís aprovou projeto de lei, de autoria do vereador Raimundo Penha (PDT), que regulamenta o Conselho Municipal das Populações Afrodescendentes (COMAFRO).

A proposta, que seguiu para sanção do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), visa regulamentar o órgão e adequá-lo à institucionalização do Programa Municipal de Combate ao Racismo e de Garantia da Diversidade Étnica, que prevê a adoção de medidas para diminuir a discriminação contra afrodescendentes.

“A regulamentação deste Conselho Municipal, cuja composição alia o poder público à sociedade civil, fortalece a estrutura pública e a sua base social na garantia dos direitos do cidadão, bem como a participação popular na gestão pública. Reafirma, também, a necessidade de uma ação conjunta entre o poder público e a sociedade, de forma a buscar a efetivação dos direitos políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais da população negra de nossa capital”, afirmou Raimundo Penha.

O COMAFRO tem como objetivo principal deliberar em todas as esferas da administração pública de São Luís acerca de políticas públicas específicas direcionadas à promoção e desenvolvimento da população negra nas áreas econômica, política, social e cultural sob a ótica de suas reivindicações históricas destinadas a garantir a igualdade de oportunidades.

É composto por onze representantes do poder público e outros onze membros de entidades ligadas aos movimentos negros.

Estes conselheiros exercem um mandato de três anos, podendo ser reconduzidos ao cargo uma única vez.