Candidatos do concurso da Saúde podem consultar resultado e classificação preliminar do certame

A Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh) divulgou, nesta segunda-feira (21), o resultado e classificação preliminar do concurso público, que visa preencher mil vagas para o quadro efetivo da empresa. A lista está disponível para consulta no site o Instituto AOCP (www.institutoaocp.org.br), organizadora do concurso.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, reforça que todo o processo foi realizado com total transparência e isonomia. “O certame, que foi pedido por tantas pessoas, é uma realidade, e representa uma forma do governo profissionalizar e qualificar ainda mais a atuação dos profissionais na rede estadual da saúde, com transparência e isonomia”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Os candidatos têm o prazo de dois dias úteis para interposição de recursos, devidamente fundamentados, ao Instituto AOCP. Após esse período, será divulgado o resultado final no site da empresa organizadora.

As listas – ampla concorrência, cota para negros e pessoa com deficiência – estão organizadas por área de atuação e por ordem de classificação. Elas incluem todas as notas adquiridas na prova objetiva (Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Matemático, Legislação Aplicada à Emserh e Aplicada ao SUS, Conhecimentos Específicos) e na prova de títulos e/ou experiência, conforme o edital exigia para cada cargo.

“A gestão Flávio Dino tem dado especial enfoque à reestruturação das carreiras do serviço público estadual, sendo marcada pela realização de concursos públicos em diversas áreas estratégicas, incluindo este histórico concurso para a Saúde, que há quase três décadas não era realizado. Além de atender aos princípios exigidos por lei, o ingresso no serviço público por meio de concurso valoriza a competência técnica e o mérito pessoal como únicos critérios para a entrada de profissionais no setor público”, destaca o presidente da Emserh, Vanderley Ramos.

As vagas estão divididas em 28 cargos nas áreas médica, assistencial e administrativa. Os salários variam de R$ 1.000 até R$ 7.425,31.

Pacientes da rede estadual de saúde mental participam de ações inclusivas do Dia Nacional da Luta Antimanicomial

Familiares e usuários assistidos do Centro de Atenção Psicossocial Bacelar Viana (CAPS III), que integra a Rede Estadual de Saúde Mental da Secretaria de Estado da Saúde (SES), participaram de ações inclusivas em comemoração ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial, nesta sexta-feira (18), na Praça João Lisboa, em São Luís.

“A ação representa a luta dos usuários dos serviços de saúde mental, seus familiares e os profissionais contra o retrocesso do modelo psiquiátrico manicomial e hospitais psiquiátricos.  Todo ano, durante esse período, nós vamos para as ruas e realizamos eventos com os usuários e familiares para mostrar para sociedade a questão dos direitos humanos, assim como destacar os direitos dos usuários”, destacou Márcio Menezes, chefe do Departamento de Atenção à Saúde Mental da SES.

O principal foco da ação foi promover a socialização e a cidadania entre os assistidos, além de fortalecer os vínculos afetivos entre as famílias e amigos. Uma série de atividade e ações integrativas foram desenvolvidas para os usuários, familiares e sociedade civil, a exemplo da exposição de artesanato produzido no CAPS III, panfletagem e abordagem educativa sobre os direitos de cada paciente e contra o preconceito.

Para Zelina Pereira Meireles, de 75 anos, o atendimento humanizado oferecido no CAPS III, a partir do acompanhamento dos psiquiatras e terapeutas da unidade, foi determinante para a melhora do filho, que faz tratamento na unidade.

“O meu filho está em tratamento no CAPS III há três anos e é muito bem atendido. Ele é tratado com respeito e como ser humano. Graças a Deus e às equipes da unidade, ele tem melhorado muito. Não existe coisa melhor que este tratamento. Aqui é uma família. Não tem discriminação”, avaliou dona Zelina Pereira.

Para ampliar ainda mais o acesso ao tratamento, com diferentes opções, dando ênfase à rede de cuidados na atenção à saúde mental, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) levou para ação psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, técnicos em enfermagem, terapeutas ocupacionais, monitores e técnicos do Departamento de Saúde Mental, além da participação de acadêmicos do curso de psicologia.

“É muito importante participar desse momento, pois é algo histórico tudo o que evoluímos na saúde mental. Ver como era antes e o que temos hoje é muito importante para nosso aprendizado, para que a gente possa dar um tratamento mais adequado para quem sofre com transtorno mental”, afirmou a estudante de psicologia Laires Frazão, de 23 anos.

A diretora do CAPS III, Ana Gabrielle Guterres Romanhol, explicou a importância da luta antimanicomial e o papel da sociedade. “O CAPS III é uma unidade voltada para tratamento de pessoas com transtornos mentais graves, persistentes. Nós trabalhamos com um projeto terapêutico singular para ver o usuário de maneira única, independentemente do tipo de transtorno que ele possa ter.  Fazemos um trabalho na comunidade nessa questão da promoção da autonomia de vida, visando que essas pessoas possam ser pessoas de direito e que possam ser reinseridas na sociedade e, assim, fortaleçam essa luta contra o preconceito”, avaliou.

Assistência em saúde 

Carlos Henrique Silva, de 45 anos, anteriormente, recebeu assistência no CAPS III. Atualmente, ele trabalha na mesma unidade onde recebeu tratamento. “É uma vitória muito grande! Agora posso mostrar para eles e dar a eles o que eu recebi. O preconceito é o pior sentimento, deixa a gente para baixo. Quando você assume o que foi no passado e não é no presente, você ajuda quem está no fundo do poço, pois o exemplo pessoal é fundamental”, afirmou.

Governo mobiliza população de 24 municípios para Mutirão do Glaucoma

O Governo do Maranhão iniciou a mobilização de moradores de 24 municípios das regiões de Barra do Corda, Pedreiras, Caxias e Presidente Dutra para atendimento no Mutirão do Glaucoma. Esta ação da Secretaria de Estado da Saúde (SES) consolida-se como forte ferramenta para redução dos casos da doença no estado. As equipes de oftalmologistas e técnicos iniciam os atendimentos, nesta quinta-feira (17), nas cidades de Buriti e Duque Bacelar.

A secretária adjunta de Assistência à Saúde, Carmen Belfort, afirma que as consultas oftalmológicas garantem o diagnóstico precoce e tratamento da doença. Além de promover o alerta aos pacientes com histórico familiar de catarata, por exemplo.

“Os pacientes saem da consulta com conhecimento sobre a patologia e medicamento. O governo oferta consultas e cirurgias por entender que a assistência deve ser completa para evitar os riscos de danos irreversíveis. O programa do Glaucoma tem foco no diagnóstico precoce. A distribuição do medicamento contínuo também é importante, pois permite que o paciente não interrompa o tratamento”, explica Carmen Belfort.

O gestor da Regional de Saúde de Caxias, Daniel Barros, considera a realização do mutirão uma forma de desafogar a demanda de atendimentos oftalmológicos e atender municípios vizinhos. “Sempre que ocorrem os mutirões em Caxias, a população da sede do município e das redondezas comparece em peso, isso demonstra o interesse pela assistência oftalmológica tanto pelo caráter preventivo como emergencial”, comenta.

Para a consulta, o paciente precisa levar cópia de documento de identidade, cartão do SUS e comprovante de endereço. Pessoas que têm parentes portadores de glaucoma, indivíduos com mais de 40 anos, pacientes com alto grau de miopia e diabéticos devem estar ainda mais atentos e procurar o mutirão para consulta. Mesmo sendo uma doença crônica e sem cura, o Glaucoma é tratado com o uso de colírios, que controlam a pressão intraocular e impedem o avanço da doença. O mutirão promove a busca ativa que detecta e trata também outras patologias da visão, como catarata. Os casos diagnosticados a cada edição são acompanhados.

BOX // Cronograma atendimento do Mutirão do Glaucoma

Quinta-feira (17)
Manhã
Buriti: CAP – Centro de Atenção Psicossocial- Avenida Candoca Machado, s/n, Centro

Tarde
Duque Bacelar: Centro de Saúde São José. Rua São José, Centro

Sexta-feira (18)
Manhã
Afonso Cunha: UBS Trizidela, Centro
Igarapé Grande: Colégio Chagas Costa. Rua Leopoldina Vale, s/n, Centro.
Jenipapo dos Vieiras: Centro de Saúde Joana Alves de Sousa (SESP). Rua do Sesp, s/n, Centro

Tarde
Coelho Neto: U.B.S São Judas, Centro
Trizidela do Vale: Auditório Municipal Dr. Kleber Carvalho Branco, bairro Aeroporto
Barra do Corda: Centro de Especialidades Médicas de Barra do Corda

Sábado (19)
Manhã
Itaipava do Grajaú: Hospital Municipal, Avenida Eugenio Guabiraba, s/n, Centro
Lago dos Rodrigues: Centro de Saúde Pedro Paulo Cortez, Rua Fr. José, S/N, Centro
Aldeias Altas: Hospital Municipal de Aldeias Altas

Tarde
Grajaú: Centro de Especialidades Ambulatoriais Dr. Itamar Guará, Rua das Verbenias
Pedreiras: Cesape, Rua Ciro Rego, s/n, Centro
Caxias: Escola João Lisboa, Rua Primeiro de Agosto, s/n, Centro

Domingo (20)
Manhã
São João do Sóter: Hospital Municipal
Bernardo do Mearim: Centro de Saúde São Bernardo, Sede – próximo mercado municipal
Arame: Centro de Saúde Dra. Maria Amália, Rua Rio Branco, s/n, Centro, próximo ao Colégio Bandeirantes

Tarde
Graça Aranha: Posto de Saúde de Graça Aranha. Rua São Francisco, s/n, Centro

Segunda (21)
Manhã
Governador Luiz Rocha: Centro de Ensino Médio Luiz Cheivan, Avenida Furtunato Pontes, s/n, Centro

Tarde
Santa Filomena: Prefeitura Municipal de Santa Filomena, Rua Ariston Costa, s/n, Centro

Terça (22)
Manhã
Joselândia: Posto de Saúde Elizoneth Ferreira Lima, Rua 4, s/n, Bairro Santo Antônio

Tarde
São José dos Basílios: Unidade de Saúde São José, Rua Piauí, s/n, Centro

Quarta (23)
Manhã
Presidente Dutra: Hospital Macrorregional de Presidente Dutra
Tarde
Santo Antônio dos Lopes: Posto de Saúde Elizoneth Ferreira Lima, Rua 4, s/n, Bairro Santo Antônio

No Maranhão, Campanha contra Gripe vacinou mais de 100 mil pessoas em duas semanas

Mais de 100 mil pessoas foram vacinadas contra gripe no Maranhão. As doses da vacina contra os vírus H1N1, H3N2 e Influenza B estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde. A meta do Governo do Estado é vacinar pelo menos 90% dos maranhenses que integram o público-alvo, o que corresponde a 1.687.524 de pessoas – incluindo a população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com morbidades que, também, compõem o grupo prioritário estabelecido pelo Ministério da Saúde.

A chefe do Departamento de Doenças Imunopreveníveis da SES, Helena Almeida, pondera que a quantidade de pessoas vacinadas atualmente é significativamente maior do que a apresentada pelo balanço parcial. Também é aguardada a inclusão dos dados referente a cobertura vacinal de pessoas com doenças crônicas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

“Temos registrados até o momento 100.490 pessoas dos grupos prioritários imunizadas. Está havendo imunização de todos os grupos, inclusive das pessoas privadas de liberdade e funcionários dos presídios e dos doentes crônicos”, afirmou Helena Almeida.

A Campanha de Vacinação contra a Influenza teve início no Maranhão no dia 23 de abril e prossegue até 1º de junho, com o cumprimento do cronograma para a imunização dos grupos prioritários. O Dia D da campanha, no qual podem ser imunizados os integrantes de todos os grupos prioritários, será em 12 de maio. O balanço parcial da vacinação inclui dados sobre crianças, idosos, gestantes, mulheres pós-partos, profissionais da saúde, professores e população indígena.

Com a realização da vacinação, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) visa reduzir as complicações e mortes decorrentes das infecções pelo vírus da influenza na população alvo para a vacinação. A vacina que está sendo aplicada na campanha é a trivalente, que protege contra os vírus da influenza A (H1N1), A (H3N2) e B.

Quadrilha acusada de desviar recursos da saúde é presa no Maranhão

A Polícia Civil do Maranhão desencadeou nas primeiras horas da manhã, desta quinta-feira (03), por volta das 06: h00, uma megaoperação, onde culminou na prisão de 05 pessoas. Os suspeitos foram presos por desvios de recursos. O delito criminoso envolveu um funcionário da empresa, identificada como “Acqua”.  O acusado João Victor Santos Pinheiro, desviou recursos oriundos de contratos e verbas. Os desvios originaram desde outubro de 2017, onde o grupo desviou cerca de 784 mil reais da empresa Acqua.
A empresa à qual trabalhava o acusado João Victor, identificada como “Acqua”, era responsável por gerir a gestão de contratos de 08 hospitais. O funcionário da empresa, João Victor Santos Pinheiro, desviou de outubro de 2017 a fevereiro de 2018, cerca de 784 mil reais.
O Delegado da Delegacia de Roubos de Furtos, Thiago Dantas, informou, que a empresa “Aqua”, ao perceber os desvios ilícitos, desligou o funcionário. A empresa reuniu todas as informações crime e formulou a queixa na delegacia, onde fora instaurado o inquérito pela Polícia Civil. A quadrilha era formada pela mãe do João Victor, identificada por Franciane Santos Pinheiro; a sua namorada, Larissa dos Santos Mota; e ainda, Gabriel Pinto Viana, e Marcelino Almeida dos Santos.
Eles criaram uma empresa fantasma, para a transferência dos recursos. Essa empresa transferiu valores para uma concessionária de veículos, sendo que os veículos foram comprados para outras pessoas, entre eles o de Larissa, de Francine, do Gabriel Pinto Viana, e do Marcelino Almeida dos Santos.
Cumpridos Mandados de Prisões e Buscas e Apreensões
As informações dão conta, que a quadrilha usava os desvios em outras formas para despistar e fazer a lavagem de dinheiro. O grupo inseria esses valores em uma atividade comercial, na revenda de cosméticos. Eles se passavam por empresários bem-sucedidos. A quadrilha comprou veículos, joias e mercadorias.
Eles ostentavam muito os valores desviados. Ao todo foi cumprido 05 cumprimentos de Mandado de Prisão Preventiva, Mandados de Busca e Apreensão. Fora realizado ainda, o bloqueio de todas as contas bancárias dos envolvidos e ainda o sequestro de todos os veículos adquiridos com o dinheiro desviado de forma ilícita.
Até o momento o delegado Thiago Dantas Freitas, da DRF, repassou, que “Foram presas 05 pessoas, e apreendidos 04 veículos, sendo procurados outros dois veículos de luxo. A Policia Civil ainda continua nas investigações, no sentido de identificar e prender os demais envolvidos na ação criminosa. Os envolvidos foram autuados pelos crimes de Furto qualificado realizado pela organização criminosa, onde envolvia a lavagem de capitais. As prisões foram idealizadas, pela Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), os 04 Saisp, e demais distritos. Participaram 11 delegados e cerca de 30 policiais civis”, destacou.

Mutirão do Glaucoma supera a marca de 100 mil atendimentos no Maranhão

O Mutirão do Glaucoma já percorreu mais de 180 cidades e atendeu 103 mil pessoas no Maranhão. Foram exames, consultas e medicação para prevenir e tratar essa doença que põe em risco a visão de até 3% da população brasileira acima de 40 anos.

O programa do Governo do Maranhão estimula o diagnóstico precoce, fundamental para reduzir os danos do glaucoma. No mutirão, os moradores passam por consultas e exames, recebem colírios e, se necessário, são encaminhados para o tratamento.

“Fazer o diagnóstico precoce é essencial para garantir maior qualidade de vida à população, em especial aquela acima de 40 anos. A população precisa ficar atenta aos dias do mutirão”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Geralmente, o glaucoma não apresenta sintomas aparentes antes de fazer estragos na visão. Por isso é importante fazer exames periódicos, principalmente para quem tem mais de 40 anos, pessoas com histórico familiar da doença e portadores de doenças como diabetes, hipertensão e hipertireoidismo.

Um dos mutirões passou pelo hospital Aquiles Lisboa, na capital. O aposentado Juarez Viegas, 77 anos, apareceu por lá e foi diagnosticado com glaucoma. Ele levou para casa o colírio: “Soube do mutirão e aproveitei para saber qual era meu problema nos olhos. Estou tranquilo, pois o médico me passou confiança e vou fazer o tratamento correto”.

Juvenal Ribeiro, de 58 anos, nunca tinha ido ao oftalmologista e também foi ao mutirão: “Tenho dor nos olhos sempre e à noite não sabia o que fazer. Soube do mutirão e aqui estou para o médico examinar minha vista. A consulta com oftalmologista é sempre muito cara, ainda é uma especialidade de difícil acesso para os pobres, mas agora o Governo permite que todos possam cuidar dos olhos”.

Exames

Os mutirões fazem todos os exames necessários para o diagnóstico preciso de glaucoma, dentre eles a campimetria, que avalia com alta precisão falhas no campo de visão central e periférico do paciente; a tonometria, processo de medição da pressão interna do globo ocular; e o fundoscopia, exame que utiliza luz e lentes de aumento para avaliar as estruturas do fundo do olho, como vasos, retina e nervo óptico em área central.

A doença

O glaucoma é uma doença que atinge o nervo óptico e envolve a perda de células da retina responsáveis por enviar os impulsos nervosos ao cérebro.

Se não for tratado, o glaucoma leva ao dano permanente do disco óptico da retina, causando uma atrofia progressiva do campo visual, que pode progredir para cegueira.

Samu consolida avanços e reduz tempo-resposta do atendimento

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em São Luís, com os investimentos recebidos na gestão do prefeito Edivaldo, tem garantido mais agilidade e qualidade no atendimento às chamadas da população. Um dos avanços esperados a partir das melhorias é a redução do tempo-resposta das chamadas para abaixo do recomendado pelo Ministério da Saúde, atualmente entre 15 e 32 minutos em média, conforme especificação técnica da ambulância.

Com mais 10 novos veículos entregues recentemente pelo prefeito Edivaldo, o município ampliou o plano de ação regionalizada que define a cobertura da regulação da Central de Urgência, encurtando o tempo-resposta da solicitação. Além disto, a capital cumpre o que preconiza o Ministério da Saúde, dispondo de uma unidade básica para cada 100 mil habitantes e uma avançada para cada 500 mil.

A renovação da frota integra a política de reestruturação da rede municipal de saúde, priorizada pelo prefeito Edivaldo, a partir do aprimoramento dos serviços em todas as áreas. Entre as ambulâncias do Samu, duas são do modelo UTI Móvel (Unidade de Suporte Avançado – USA), equipadas com desfibrilador (cardioversor) e respirador. A diferença destas para as básicas (USB) está nos equipamentos e também nas equipes de socorristas. Diariamente de seis a oito ocorrências exigem a utilização de ambulâncias USA.

“Sob a orientação do prefeito Edivaldo, estamos sempre atentos para identificar as necessidades e fazer os investimentos visando melhorar o atendimento da rede de urgência, e, quando se fala em Samu, o tempo-resposta tem uma perspectiva importante na recuperação e na extensão dos danos ao paciente; por isso, o prefeito está sempre trabalhando para atender cada vez melhor a população”, assinala o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho.

A diretora do Samu, Priscila Barros, ressalta a qualidade do serviço no município a partir dos investimentos da Prefeitura em convênio com o Ministério da Saúde. “O Ministério recomenda, proporcionalmente, para um bom atendimento, uma unidade básica para cada 100 mil habitantes e uma avançada para cada 500 mil. Com a aquisição recente, São Luís está confortavelmente dentro do que preconiza o Ministério da Saúde”, reforça a diretora.

As novas unidades móveis estão atuando na Central de Urgência, no Filipinho, e nas cinco bases descentralizadas estrategicamente distribuídas nos bairros Anjo da Guarda, BR-135 (Maracanã), São Bernardo, Vicente Fialho (Amar) e Cidade Olímpica. No ano passado, foram mais de 20 mil atendimentos realizados por meio da Central de Urgência do Samu. Destes, quase cinco mil foram concretizados em atendimento com necessidade de ambulância.

TEMPO-RESPOSTA

Segundo Priscila Barros, a descentralização da base também tem contribuído para a redução do tempo-resposta e a Prefeitura de São Luís trabalha para reduzir ainda mais este tempo. “Com a nova frota, temos possibilidade de melhorar ainda mais. Para isso, estão sendo trabalhados processos internos como a realização do checklist (reposição de material nas ambulâncias) mais rápido, assim como a troca de plantão”, explica a diretora.

A meta é reduzir esse checklist nas ambulâncias básicas para 10 minutos. Para alcançar esta meta, a direção do Samu vem mantendo conversas com as direções das unidades hospitalares para onde são encaminhados os pacientes, para que não ocorra retenção de material. “O ideal seria fazer reposição apenas a cada fim de plantão. Isso depende muito do número de ocorrências que foi feita no dia. Há dias em que são muitas as ocorrências, o que obriga o retorno à base para fazer a reposição”, explica a médica intensivista e reguladora da Central, Dayane Vieira.

EQUIPES

Ao receber a chamada pelo número 192, a Central solicita o endereço do atendimento e repassa para o médico regulador para que proceda a triagem. Pela triagem são identificados os casos de urgência, emergência e prioridades. Conforme o nível do serviço, as ambulâncias são selecionadas em quatro cores: vermelha, amarela, verde e azul.

Nesse escalonamento, a azul é a de menor prioridade. São quadros de, por exemplo, febres prolongadas, e as denominadas valências sociais. Geralmente essas solicitações ocorrem nos bairros da zona rural da Ilha. “Normalmente, são pacientes em trabalho de parto. Nestes casos, é deslocada uma ambulância básica, sem médico intensivista”, esclarece a diretora Priscila Barros.

As equipes das Unidade de Suporte Avançado são constituídas por um médico intensivista, enfermeiro, condutor-socorrista e um técnico de enfermagem. Todos com treinamento intensivo e permanente realizado pelo Núcleo de Educação em Urgência que atende o público interno e comunidade. O treinamento é realizado por meio de simulação realística para que se obtenha uma visão geral do serviço. O último ocorreu no dia 21 de abril e reuniu profissionais da região metropolitana de São Luís.

ATENDIMENTOS

Se extrai das tabelas de atendimento uma crescente elevação no número de atendimento a doenças psiquiátricas. “O crescimento deste tipo de ocorrência se dá no mundo inteiro”, alerta a médica Dayane Vieira. Pelo regulamento, não há impedimentos para atendimento do Samu em cenas específicas. É um procedimento previsto em protocolo do Ministério da Saúde. No caso de existir alguma situação que traga insegurança para o trabalho da equipe é acionado o Corpo de Bombeiros ou Polícia Militar, parceiros institucionais, para garantir o deslocamento até a cena e a concretização do atendimento.

SAIBA MAIS

O Samu é acionado por meio do telefone 192. Somente nos três primeiros meses deste ano, foram mais de 21 mil chamadas. A melhoria no serviço de telefonia intensificou e qualificou as ligações, mas pelo menos dez por cento das ligações para o Samu são trotes, disparados por autores de diferentes faixas etárias. Em março deste ano, foram mais de 10 mil ligações. Destas, mais de 3 mil foram trotes.

Todas as ligações para o Samu passam por um médico regulador de plantão, durante 24 horas, todos os dias da semana. Cada equipe tem jornada de trabalho de 12 horas. É o médico regulador o profissional responsável pela triagem das ligações que chegam à Central. O primeiro contato do solicitante, porém, é com o Técnico Auxiliar da Regulamentação Médica (TARM), que então passa para o médico regulador.

Secretário Carlos Lula toma posse como vice-presidente do Conass para a Região Nordeste

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, foi empossado, na noite da última terça-feira (24), como vice-presidente do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) para a Região Nordeste. O ato aconteceu em Brasília durante assinatura do termo de posse da nova diretoria da entidade. O secretário de Estado da Saúde de Goiás, Leonardo Vilela, assumiu a presidência do conselho para a gestão 2018/2019.

A eleição do chefe da pasta da Saúde do Maranhão para o cargo de vice-presidente aconteceu em março e foi realizada de forma unânime por todos os representantes do Nordeste. “A participação do Maranhão no colegiado do Conass demonstra que, juntos, temos buscado ampliar o debate sobre saúde pública, compartilhando desafios, experiências e resultados concretos com todos os nove estados da região. Experiências exitosas são a marca da gestão Flávio Dino. Por isso vamos continuar contribuindo de forma incisiva em cada plenária da entidade, fomentando o debate nacional, além de destacar os avanços reais na saúde pública do Maranhão”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

O presidente recém-empossado, Leonardo Vilela, lembrou em seu discurso a importância de participar de um fórum como o Conass. “Esse é um dos fóruns mais importantes dentre os quais já participei. O de maior peso político e representatividade é o Conass, que pauta muitas das discussões mais importantes em torno da saúde no país. Temos muitos desafios e posso prometer muito trabalho”, afirmou.

Maranhão avança no debate 

Michele Caputo Neto, ex-presidente do Conass, que acumula grande experiência técnica e política na área, comentou que a atuação do gestor da saúde no Maranhão tem dado grande destaque para o estado. Secretário desde 2011, ele acompanhou a mudança da participação maranhense na entidade.

“O Maranhão tinha, talvez, os piores indicadores de saúde do país. Mas, nesse período que ele está à frente, tem mostrado o acerto na política conduzida na área da saúde. Ele é extremante presente e colaborador. Passaram dezenas de secretários aí no Maranhão. Não havia uma participação, não só em relação à frequência, mas no processo de debate. O Carlos Lula tem se mostrado de grande competência e há muito tempo tem o respeito de todos”, ressaltou.

Para o presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS) Ronald Ferreira, é positiva a posse do secretário maranhense no Conass. “Temos visto um grande compromisso no Maranhão com aquilo que é a essência do CNS, que é a participação popular e a valorização da democracia. Temos as melhores expectativas com o Carlos Lula. Tem a capacidade de colocar como prioridade as demandas do povo. Por isso essa expectativa de ampliar a participação, protagonismo e escuta das demandas do Nordeste com base na experiência maranhense”, frisou.

A posse contou também com a presença do ministro da Saúde, Gilberto Occhi; do ex-governador de Goiás, Marconi Perillo, representando o governador José Eliton; da representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Mônica Padilha; do presidente do Conselho Nacional de Saúde, Ronald Ferreira; do presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Mauro Junqueira; do ex-ministro Desenvolvimento Social, Osmar Terra, dentre outras autoridades.

Diretoria para a gestão 2018/2019 do Conass

Presidente
Leonardo Moura Vilela – SES/GO

Vice-presidentes
Região Centro Oeste: Humberto Lucena Pereira Fonseca – SES/DF
Região Nordeste: Carlos Eduardo de Oliveira Lula – SES/MA
Região Norte: Vitor Manoel Jesus Mateus – SES/PA
Região Sudeste: Ricardo de Oliveira – SES/ES
Região Sul: Acélio Casagrande – SES/SC

Comissão Fiscal – Titulares
George Antunes de Oliveira – SES/RN
Henrique Jorge Javi de Sousa – SES/CE
Marcos Esner Musafir – SES/TO

Comissão Fiscal – Suplentes
Christian Reis Teixeira – SES/AL
Cláudia Luciana de Sousa Mascena Veras – SES/PB
José Iran Costa Júnior – SES/PE

Representante do CONASS na Agência Nacional de Saúde Suplementar
Francisco Deodato Guimarães (titular)
René Santos – CONASS (suplente)
Representantes do CONASS no Conselho Consultivo da ANVISA
Fábio Vilas Boas – SES/BA (titular)
Viviane Rocha de Luiz – CONASS (suplente)

Secretário denuncia ameaça a servidores da Saúde do Maranhão

O secretário Carlos Lula (Saúde) denunciou que servidores da pasta estão sendo ameaçados e assediados com propostas para fazerem denúncias contra a gestão.

“Ligar de número desconhecido para servidores da Secretaria de Saúde fazendo ameaças ou oferecendo dinheiro em troca de novas “denúncias”.”, escreveu o secretário em seu no perfil no Twitter.

Numa referência indireta ao grupo Sarney, o secretário afirmou tais atos não o intimidarão e que adotará medidas judiciais. “Esse povo não tem nenhum limite. Medidas judiciais serão tomadas. Não nos intimidarão”, afirmou.

Carlos Lula classificou de marginais os autores das ameaças aos servidores da saúde. “Agora, pensem bem: alguém que se presta a uma canalhice dessas busca estar no comando do estado com qual propósito mesmo? Bandidos! Marginais!”, disse.

Prefeitura de São Luís inicia campanha de vacinação contra a gripe nesta segunda (23)

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), inicia nesta segunda-feira (23), a campanha nacional de vacinação contra a influenza (gripe) com o objetivo de reduzir as complicações causadas pela doença em públicos prioritários. A campanha se estenderá até o dia 1º de junho, sendo que 12 de maio será realizado o chamado Dia D, data da mobilização nacional, para potencializar a adesão à campanha.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, destaca a importância da prevenção. “A gripe é uma doença comum, transmitida com muita facilidade de pessoa para pessoa, e que pode causar complicações graves, levando à morte; por isso, chamamos a atenção da população para procurar os postos e tomar a vacina”, disse.

A Semus informa que a vacina contra a gripe está disponível em todos os postos da rede municipal de saúde, mas é direcionada a um público específico, definido pelo Ministério da Saúde, que inclui pessoas com 60 anos ou mais de idade; crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da área da saúde; professores das escolas públicas e privadas; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; população privada de liberdade, jovens cumprindo medidas socioeducativas e funcionários do sistema prisional.

A Semus orienta as pessoas a levarem o cartão de vacina aos postos e, no caso de pacientes com doenças crônicas, é necessário apresentar comprovação.

A vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é trivalente, protegendo contra três tipos do micro-organismo: o H3N2, o H1N1 e o B, e tem eficácia de seis a 12 meses, sendo contraindicada apenas para pessoas com história de reação alérgica grave às proteínas do ovo, a qualquer componente da vacina e crianças menores de 6 meses de idade.