Autorizada instalação de câmeras de monitoramento em escolas da rede estadual

Escolas da rede pública estadual do Maranhão estão autorizadas a instalar sistema de segurança com monitoramento por meio de câmeras nas áreas externa e interna de suas dependências desde segunda-feira (5). A medida foi publicada em portaria da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), assinada pelo titular da pasta, Felipe Camarão.

De acordo com o documento, “é amplamente provado que o monitoramento por câmeras de vídeo é uma ferramenta de suma importância, eficaz e aliada no combate à violência e criminalidade, que tem frequentemente atingido as escolas estaduais, incluindo vandalismo”.

O sistema de monitoramento visa, exclusivamente, a preservação da segurança da comunidade escolar. “Essa ação faz parte de um conjunto de medidas que temos implementado para prevenção da violência e segurança dos nossos estudantes, educadores e corpo técnico das escolas”, sublinhou Camarão.

A portaria determina que o sistema de monitoramento deverá constar, pelo menos, da instalação de circuito interno de TV, com possibilidade de gravação de imagens, e de câmeras para o monitoramento das áreas externas e de circulação internas.

É vedada a instalação de câmeras de vídeo em banheiros, vestuários e outros locais de reserva de privacidade individual, bem como em salas de aula, salas de professores, secretarias, cantinas e outros ambientes de acesso e uso restrito na escola.

“Com isso esperamos ajudar na segurança das nossas escolas, mas sempre preservando a privacidade,
intimidade e a liberdade de cátedra dos nossos educadores”, ponderou o secretário.

O documento também realça que os gestores escolares serão responsáveis pelas imagens produzidas e armazenadas e não poderão ser disponibilizadas ou exibidas a terceiros, exceto em casos de investigação policial ou para instrução de processo administrativo ou judicial.

Após a instalação, cada escola deverá afixar avisos informando a existência de monitoramento por meio de câmeras de vídeo.

MPMA e Seduc firmam acordo para mudança em nome de fundação

O Ministério Público do Maranhão e a Secretaria de Estado da Educação realizaram, na tarde desta segunda-feira, 11, na sede da Procuradoria Geral de Justiça, uma autocomposição para alterar o nome da Fundação Nice Lobão, mantenedora do Centro Integrado do Rio Anil (Cintra), localizado no bairro do Anil, em São Luís. O acordo está inserido na proposta de tirar de prédios e entes públicos o nome de pessoas vivas, conforme determina a Constituição Federal.

A alteração do nome da fundação foi levada ao Ministério Público em novembro de 2017, por meio de uma manifestação à Ouvidoria do órgão e encaminhada à análise da Assessoria Especial da Procuradoria Geral de Justiça.

Em sua fala, o procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho ressaltou que a autocomposição é um importante instrumento, previsto pelo novo Código Civil, que evita a judicialização das questões, com soluções mais rápidas para os problemas.

Luiz Gonzaga Coelho também falou sobre a Proposta de Emenda à Constituição, que está em análise na Assembleia Legislativa, reforçando o Decreto Estadual nº 30.618, de 2 de janeiro de 2015, que proíbe a atribuição de nome de pessoa viva a bem público, de qualquer natureza. Essa proposta é parte do programa institucional “De olho na Constituição”, lançado em abril pelo Ministério Público do Maranhão.

“Infelizmente, a Constituição Estadual permite exceções com as quais pretende-se acabar, por meio desta emenda. Temos que acabar com o culto ao personalismo e respeitar o princípio da impessoalidade, como determina a Constituição Federal”, afirmou o procurador-geral de justiça.

O procurador-geral de justiça afirmou, ainda, que a proposta de autocomposição será levada aos diversos municípios maranhenses, buscando alterar os nomes de escolas e outros prédios e logradouros públicos que ainda tenham nomes de pessoas vivas.

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, se disse honrado em participar da primeira autocomposição junto ao Ministério Público, ressaltando que o Cintra é a maior escola pública da América do Sul, com uma comunidade de aproximadamente 10 mil pessoas entre estudantes, professores e servidores.

PROPOSTA ACEITA
Felipe Camarão aceitou prontamente a proposta do Ministério Público, pedindo prazo de 60 dias para a conclusão do processo de alteração, que será feito após uma consulta à comunidade escolar a respeito do novo nome a ser adotado. “Faremos isso de forma democrática, consultando alunos, professores e funcionários”, explicou. De acordo com o secretário, entre as escolas da rede estadual já não há nenhuma com nome de pessoas vivas.

Participaram da audiência os promotores de justiça Justino da Silva Guimarães (chefe da Assessoria Especial), Márcio Thadeu Silva Marques, Emmanuella Souza de Barros Bello Peixoto (ambos da Assessoria Especial da PGJ), Sandra Soares de Pontes (Coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Educação), Nacor Paulo Pereira dos Santos, Doracy Moreira Reis Santos, João Leonardo Sousa Pires Leal e Maria Luciane Lisboa Belo.

Também estiveram presentes representantes de entidades como o Conselho Estadual de Educação e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

Divulgado resultado final de seletivo para unificação de matrículas da rede estadual

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) divulgou, nesta quarta-feira (06), o resultado final do seletivo para Unificação de Matrículas dos Professores Integrantes do Subgrupo Magistério da Educação Básica.

Ao todo, foram ofertadas 200 vagas de unificação de matrículas, para docentes efetivos da Seduc, e serão homologados somente os candidatos aprovados e classificados dentro desse número de vagas, conforme descrito no Edital nº 056/2017.

A Seduc informa ainda que, após a publicação da homologação será divulgado despacho de deferimento dos processos dos candidatos aprovados e classificados.  A homologação do Resultado Final será nos termos do Edital nº 056/2017, devendo os candidatos aprovados e classificados acompanharem os demais atos pelo site da Seduc (www.educacao.ma.gov.br) e no Diário Oficial.

Esta é a segunda vez na história da educação maranhense que o Governo abre vagas para unificação de matrículas, possibilitando que professores do Estado, que possuem duas matrículas efetivas de 20 horas na rede pública estadual possam unificá-las e serem reenquadrados na tabela remuneratória de 40 horas semanais.

Confira a lista de candidatos aprovados e classificados, disponível no site da Secretária de Estado da Educação (www.educacao.ma.gov.br).

SEDUC acompanha comissão de educação da Assembleia em visita à escola da rede pública, na capital

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, auxiliares e técnicos da Secretaria estiveram na tarde desta segunda-feira (16), acompanhando a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Maranhão, em visita ao Centro de Ensino Joaquim Gomes de Sousa, escola da rede pública estadual localizada no bairro Cohab, capital maranhense.

A visita da comissão foi motivada após manifestação de alguns estudantes da unidade de ensino, que foram às ruas na última semana para reivindicar a climatização das salas de aulas.

“Compreendemos a ansiedade dos estudantes em ter uma escola com salas de aulas climatizadas, pois eles acompanham diariamente as inúmeras notícias que saem na mídia sobre o trabalho que o governo tem realizado, para garantir mais conforto nas escolas públicas, entre elas climatizando as escolas. Contudo, existe todo um processo legal que precisa ser atendido, para que possamos realizar esta ação”, destacou o secretário, Felipe Camarão.

Há 21 anos sem reforma, a tradicional escola da Cohab é um dos prédios da rede que ainda receberá as ações do programa Escola Digna, que até o momento já contemplou 65% dos prédios escolares da ampla rede estadual.

Para o deputado estadual Roberto Costa, presidente da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa, que esteve presente na vistoria, a escola possui uma estrutura com condições adequadas para a oferta de uma educação pública de qualidade para os estudantes.

“Claro que existem melhorias que devem ser realizadas, mas a escola está dentro das condições para oferecer uma educação de qualidade. Esse trabalho da comissão da educação é importante para acompanhar a qualidade da educação pública de nosso estado, pois como parlamentar, temos essa prerrogativa de fiscalizar, dialogar com a comunidade escolar e saber da situação real. Fico feliz em ter encontrado a escola com as condições de oferecer uma educação de qualidade. Quando solicitamos a visita da comissão para fiscalizar a escola, o secretário Felipe Camarão imediatamente se colocou à disposição para nos acompanhar, como tem feito em outras escolas que já visitamos”, destacou o parlamentar.

“Nossa escola recebe regularmente quatro repasses do Estado, para manutenção e cuidados com a estrutura do prédio, além de recursos federais do Programa de Dinheiro Direto na Escola para projetos, além de repasses para a alimentação escolar. Portanto, as denúncias não são verídicas, não há falta de professores, falta de merenda, entre outras questões apontadas pelos estudantes, em uma manifestação que tinha, unicamente, a reinvindicação da climatização das salas”, afirmou Lucileide Martins, gestora do Centro de Ensino.

Para a estudante Giovana da Silva, do 2º ano, que é representante de turma, a visita de membros da secretaria com a comissão reforça o diálogo que os estudantes têm com a Seduc. “Fui indicada pelos meus colegas como representante dos estudantes, e desde então nós estamos mantendo contato com membros da secretaria de educação, e sempre fomos prontamente atendidos quanto às nossas demandas.  Tivemos já algumas visitas na nossa escola, nossas conversas foram sempre proveitosas. Nós, alunos,queríamos ser ouvidos e essas pessoas da Seduc vieram aqui para nos ouvir, são pessoas atentas aos nossos problemas”, disse.

“O objetivo da Seduc estar aqui hoje é para melhorar o ambiente escolar, para que os alunos tenham um ambiente agradável de ensino. E eu acredito que o compromisso da Seduc com os alunos em melhorar nossa estrutura vai, inclusive, alavancar os índices de aprendizado dos alunos”, declarou Leidiany Guimarães Aich, professora de matemática da escola.

“Com a visita à escola Joaquim Gomes, a comissão pode constatar a seriedade com que o Governo do Estado tem conduzido a educação pública de nosso estado. Sabemos que por muitos anos as escolas aguardaram por esse momento, mas o governo precisa seguir todo um cronograma existente, pois encontrou quando assumiu a gestãoe prédr
ios escolares em situações de extrema precariedade, que precisavam da atenção do Estado com mais urgência”, enfatizou o deputado Rogério Cafeteira, líder do Governo na Assembleia.

Centro de Ensino Joaquim Gomes de Sousa – O Centro de Ensino Joaquim Gomes de Sousa tem 63 professores dos mais diversos componentes curriculares, para atender 747 estudantes matriculados, em dois turnos de funcionamento. Somente em 2018, mais de R$ 10 mil já foi repassado em recursos federais para a unidade de ensino, para a aquisição de merenda escolar, além de mais de R$ 40 mil repassados à Caixa Escolar, para custeio com a manutenção do prédio, aquisição de materiais, entre outros fins. Em 2017, 678 fardamentos foram distribuídos, beneficiando 339 alunos da escola, e, em 2018, mais 1.610 fardamentos foram entregues.

Casa de Cultura Josué Montello comemora 35 anos com lançamento de livro

Com exposição e lançamento de livro, a Casa de Cultura Josué Montello (CCJM) comemora, na terça-feira (30), 35 anos de fundação, completados no dia 23 de janeiro. Para comemorar a data, o espaço, ligado à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Sectur), disponibiliza acervo para pesquisa e estudos nas áreas de literatura, artes, ciências sociais, história, geografia, além de preservar e divulgar a obra do escritor maranhense Josué Montello.

A programação contará com a exposição 35 anos de Fundação da CCJM 1983-2018, que retrata a história da casa, com a apresentação de fotografias, artigos de jornais e depoimentos em que escritores destacam a importância da CCJM.

A CCJM tem uma biblioteca mais de 60 mil livros, a maior parte doados pelo escritor, além de fotografias e objetos pessoais de Josué Montello.

Lançamento de livro

O destaque do evento é o lançamento do livro O Tesouro de D. José e Outros Contos, primeira obra de Josué Montello para o público infanto-juvenil. O livro foi lançado em 1944 e agora é publicado pela Editora Mercuryo Jovem com organização do escritor Wilson Marques.

O lançamento faz parte das ações em homenagem aos cem anos de nascimento do escritor, realizadas no ano passado com palestras, concurso, exposições e lançamento de livros. A série de eventos foi realizada pela Sectur, por meio da Casa de Cultura Josué Montello, parceria com a Casa do Autor Maranhense e apoio cultural da Cemar.

Para este ano, como parte das comemorações de aniversário da Casa Josué Montello, estão previstos, também, novos lançamentos de mais duas obras do escritor: Janelas Fechadas, seu primeiro romance, e o segundo volume da coletânea de crônicas de autores maranhenses que Montello publicou no Jornal do Brasil entre os anos de 1966 a 1992.

Doação

A Casa de Cultura realizará, ainda, a entrega de exemplares do livro O tesouro de D. José e Outros Contos à Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Sistema Estadual de Bibliotecas e bibliotecas comunitárias.

Serviços

O QUÊ: Comemoração de 35 anos da Casa de Cultura Josué Montello;

QUANDO: Na terça-feira (30), às 18h30;

ONDE: Casa de Cultura Josué Montello, na Rua das Hortas, 327, Centro.

Escola estadual U.I. Giorcelli Costa permanecerá na Madre Deus, garante Seduc

Representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) estiveram reunidos, na noite desta quarta-feira (25), com a comunidade escolar da Unidade Integrada Giorcelli Costa, para garantir a permanência da escola no atual local de funcionamento, que fica em um prédio cedido no bairro da Madre Deus, região central de São Luís.

A possibilidade de remanejamento de alunos e professores para outro local se deu após a solicitação de devolução do imóvel, feita pelo Sistema Fiema, proprietário do espaço.

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, explica que após tratativas feitas com a direção da Fiema, a comunidade escolar permanecerá no prédio no ano letivo de 2018, e a Seduc, juntamente com a comunidade, continuará com o diálogo em busca de soluções para o remanejamento efetivo de alunos e professores.

A U.I. Giorcelle Costa integra a relação de escolas da rede pública estadual que há décadas funcionam em espaços cedidos ou alugados, por não possuírem prédio próprio para funcionamento.

“Apesar de ser uma escola antiga, durante décadas a Giorcelli Costa funciona sem ter um espaço próprio. Ela é uma escola mantida pela rede pública estadual, contudo, que oferta Ensino Fundamental, que é responsabilidade do município. Devido ao processo de municipalização do ensino fundamental, estabelecido por lei, precisamos encontrar uma solução jurídica para o problema”, explica Felipe Camarão.

“Não queremos tomar uma decisão de cima para baixo, sem ouvir a comunidade. Após as tratativas com a direção do Sistema Fiema, conseguiremos manter o funcionamento da escola aqui este ano, mas não podemos garantir que continue funcionando futuramente no mesmo local”, esclareceu o secretário.

A comunidade escolar considerou a reunião positiva e acredita que o trabalho em conjunto com a Seduc resultará em uma solução definitiva para a questão. “A reunião e a vinda do secretário foi muito positiva. Para mim, que estou na educação há 20 anos, é a primeira vez que vejo um secretário descer para a escola para discutir e ser sensível ao que a comunidade quer”, conta Maria de Jesus, gestora geral da U.I. Giorcelle Costa.

“Erámos acostumados a receber só determinação. Sabemos que existem impasses que vão além do que a comunidade quer, e das responsabilidades e competências da Seduc. Mas acredito que o diálogo aberto possibilitará encontrarmos a solução mais viável”, acrescentou a gestora.

“A reunião foi muito objetiva e o secretário veio com uma decisão de manter a comunidade aqui. Todos conhecemos quais são os problemas envolvidos, pois são antigos. Já fomos retirados daqui, retornamos, e queremos encontrar uma solução definitiva”, disse a mãe de aluno, Gardênia Sotero.

O deputado estadual Roberto Costa esteve presente na reunião e parabenizou a equipe da Seduc pela diálogo com a comunidade escolar e pela decisão de manter a escola Giorcelli Costa funcionando no mesmo local em 2018.

“A vinda do secretário Felipe Camarão trouxe a tranquilidade que a comunidade queria, que é ter a escola em funcionamento neste espaço, continuando a prestar o serviço de educação de qualidade para a comunidade. Essa não é a primeira vez que isso ocorre. Há cinco anos também já teve essa ação de fechamento desse prédio, porque ele é da Fiema, que cobra a sua devolução. Mas a garantia da escola neste local durante esse ano e o diálogo para encontrar uma solução definitiva, acalmou a todos”, declarou o parlamentar.

Aulas nas escolas da rede pública estadual iniciarão no dia 29

Considerando uma melhor organização das atividades que antecedem o início do ano letivo, a Secretaria de Estado da educação (Seduc) informa que as aulas nas escolas da rede estadual de ensino iniciarão no dia 29 de janeiro (segunda-feira).

O calendário é referência para as unidades de ensino nortearem as atividades do ano letivo e para os pais fazerem o acompanhamento dos filhos.

Quaisquer dúvidas e esclarecimentos podem ser dirimidos pelos seguintes e-mails: sae@educacao.ma.gov.br e sagre@educacao.ma.gov.br.

Confira o calendário

‘Chico, eu e Buarque: Fragmentos Poéticos’ é o novo espetáculo do Teatro Arthur Azevedo

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e a Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (SECTUR), por meio do Teatro Arthur Azevedo, apresentam o espetáculo ‘Chico, Eu e Buarque: Fragmentos Poéticos’.

O espetáculo de dança será apresentado pelos bailarinos da turma de aperfeiçoamento em dança do Núcleo de Arte e Educação do Teatro Arthur Azevedo. O espetáculo estará em cartaz nos dias 13, às 21h, e dia 14, às 19h, na casa de espetáculos bicentenária.

O espetáculo dirigido e coreografado pelo paulista Anderson Couto perpassa a obra de Chico Buarque de Hollanda. Da poesia cantada ao lado político do artista, o espetáculo mistura a dança clássica (ballet) e o contemporâneo num entrelaçado de ritmos que demonstram o dinamismo da obra do compositor brasileiro. Marcado pela imersão na obra de Chico Buarque, o espetáculo de dança trabalha com os desordenamentos e desconstruções possível dentro da poesia dele.

Dividido em três atos, Chico, eu e Buarque passeia desde as relações de poder partindo do cenário da década de 60 chamando atenção para decisões e conflitos na sociedade. No segundo ato os bailarinos envolvem-se num enredo que faz menção as relações humanas e à alteridade, sempre vinculando-se uns com os outros. O espetáculo finda com uma mistura do clássico de Chico Buarque com a cultura popular maranhense. Neste último ato o diretor, Anderson Couto, e os bailarinos contaram com a colaboração das bailarinas Lucena Marques e Elisete Campos para trazer traços do bumba-meu-boi, tambor de crioula, caixeiras do Divino e tambor de mina.

O elenco é composto pelos bailarinos André Lima, Calina Rubim, Daniel Lima, Geisa dos Anjos, Heide Cabral, Isabella Sousa, Kleverson Froz, Miriam Martins, Nuilane Lago e Weber Bezerra. Com participação especial dos bailarinos Debora Buhatem e Egnaldo Gomes.

O espetáculo estará em cartaz nos dia 13 (sábado), às 21h, e 14 (domingo), às 19h. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Teatro Arthur Azevedo, das 14h às 18h45. Os valores dos ingressos são: Plateia e Frisa R$ 50, Camarote R$ 40, Balcão R$ 30 e Galeria R$ 20.

Mais informações no site do Teatro Arthur Azevedo (cultura.ma.gov.br) e nas redes sociais do teatro ou pelo telefone 32189901.

De Secap.

Escola estadual entrega cestas básicas na véspera do Natal

Estudantes, professores e funcionários do Centro de Ensino Oliveira Roma, da rede estadual de ensino, na cidade de Mata Roma, deixaram a escola e foram entregar cestas básicas em comunidades carentes do lugar. A ação, que tem por objetivo ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social e despertar o espírito de solidariedade entre os alunos, aconteceu no domingo (24), véspera do Natal.

Os alimentos não-perecíveis foram recolhidos pelos estudantes, com apoio da direção escolar, durante a VI Gincana Estudantil, que este ano trouxe o tema: ‘Resgatando a Cultura Brasileira’. A gincana foi realizada no dia 17 de novembro e uma das tarefas desenvolvidas foi a arrecadação de mantimentos.

Com o que foi arrecadado, foram preparadas 250 cestas básicas distribuídas para famílias das comunidades de Tanásio, Tataíra, Bacuri, Lagoinha e Tibúrcio. Além da comunidade escolar, a ação envolveu amigos da escola, que fizeram questão de acompanhar a distribuição das cestas.

“Distribuir 250 cestas pode parecer pouco para quem tem, mas, para quem não tem nada em casa para comer, é uma ajuda importante. E acho que o mais importante é ter a iniciativa e despertar esse sentimento tão valoroso chamado solidariedade”, pontuou Juliana Cristine de Carvalho Almeida, aluna do 1º ano.

“Esta é o sexto ano consecutivo que distribuímos cestas básicas em comunidades carentes da nossa cidade. O que a gente deseja, além de ajudar, é contribuir para a formação de pessoas com espírito mais solidário, que enxerguem em seu próximo um irmão. O mundo precisa de pessoas solidárias. E esse sentimento precisa ser trabalhado desde cedo”, destacou o professor Júlio César Pavão Almeida, gestor geral da escola.

“Os nossos alunos deram um show de solidariedade. E ver a alegria e a gratidão nos olhos de cada família que recebia uma cesta nos mostrou que vale muito a pena estender a mão a quem precisa. E os nossos alunos têm que ter consciência disso”, disse Maria Meires Ferreira de Araújo, gestora auxiliar da escola.

De Secap.

Seduc e Sinproesemma se reúnem para discutir políticas públicas da educação

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) reuniu-se, nesta segunda-feira (12), com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) para discutir políticas públicas da educação e retomarem as negociações da campanha salarial 2017.

No início do ano, o governo concedeu recomposição salarial de 8% sobre a remuneração de todos os educadores do Subgrupo do Magistério da Educação Básica, em todas as referências da carreira. Além de conceder, neste ano, a progressão na carreira de mais de mil professores e especialistas em Educação.

Na pauta da reunião, que contou com a presença de todos os secretários adjuntos da Seduc, foram tratados pontos como: promoções e progressões automáticas de professores e titulações; aspectos de um novo concurso de ampliação de vagas e unificação de matriculas e alinhados detalhes sobre seminários para a educação especial.

Em relação às gratificações para profissionais da educação, das quatro previstas no Estatuto Magistério, segundo o governo já foram implantadas duas: a gratificação para a Educação Especial e a gratificação de dedicação exclusiva. As gratificações para professores que trabalham em áreas de risco e de difícil acesso, o governo está fazendo estudos para avançar no processo dos referidos benefícios.

Já em relação às progressões funcionais, o secretário informou à diretoria do sindicato que em breve o governador Flávio Dino deve anunciar o quantitativo de professores a serem beneficiados com novas progressões.

“Nos próximos dias o governador Flávio Dino dará a boa notícia que milhares de professores esperam, sobre as progressões funcionais. Além disso, estamos avançando em vários outros aspectos. Diálogo, transparência e gestão democrática têm sido marcas importantes no governo Flávio Dino. Não poderia ser diferente em relação aos professores. Nesses dois anos e meio de gestão, a categoria obteve conquistas importantes e históricas, como melhorias salariais, unificação de matrículas, ampliação de jornada, capacitações, concursos, entre outras”, pontuou o secretário Felipe Camarão.

Na oportunidade, a Seduc apresentou à diretoria do Sinproesemma um panorama atual sobre obras de reestruturação das escolas da rede estadual em todas as regionais do estado. E destacou que desde início da sua gestão, o governo Flávio Dino implantou um vasto programa de requalificação das escolas que visa transforma-las em espaços dignos e acolhedores, onde o processo de ensino e aprendizagem aconteça de forma digna e efetiva.

“É sempre positivo quando nós buscamos dentro desse entendimento e do diálogo com a Seduc para que possamos dar a resposta imediata para a categoria. De alguns pontos tratados, temos a sinalização de que até o final desse semestre estarão resolvidos. E nesse sentido estaremos avançando em outros pontos da pauta”, enfatizou Raimundo Oliveira, presidente do Sinproesemma.

“Eu parabenizo o sindicato que faz a sua luta corporativa e faz bem, reivindica com assertividade. Já tem várias conquistas, desde que o governador Flávio Dino assumiu. E nessa reunião de hoje, além das conquistas corporativas, na luta da pauta salarial, discutimos sobre políticas públicas para a educação, desde a melhoria da infraestrutura das escolas, os índices educacionais, caixas escolares, entre outros. Assim se faz educação democrática”, destacou o secretário.

Da Seduc