II Gincana Conheciema arrecada mais de cinco mil alimentos

Alunos das unidades plenas de Bacabeira e Axixá arrecadaram 5.790 mil quilos de alimentos distribuídos em 175 cestas doadas para a comunidade local na última terça-feira, dia 2 de janeiro. Os alimentos arrecadados foram obtidos por meio da II Gincana Conheciema.

A II Gincana Conheciema, com a temática Consciência Negra, aconteceu no dia 22 de dezembro de 2017 e foi dividida em várias provas, todas elas voltadas para a questão social ou cultural. A arrecadação de alimentos fez parte de uma das provas e cada alimento tinha uma pontuação específica. As demais provas foram apresentações culturais, dança, teatro, todas relacionadas com a temática Consciência Negra.

De acordo com o reitor do Iema, Jhonatan Almada, a solidariedade é parte fundamental da formação dos alunos do Instituto. “Umas das dimensões da formação pedagógica do Iema é a solidariedade para que formemos sujeitos solidários. Esta solidariedade se exerce de forma muito prática, como na ação realizada pela unidade de Bacabeira e também pela unidade de Axixá”, afirmou o reitor.

O aluno do curso de administração Carlo Marvão fala da experiência que adquiriu através da ação. “A gincana foi muito proveitosa, ela ajudou na busca pela liderança, na formação de novos líderes, na união da classe e no trabalho em equipe. Em relação à doação de alimentos, quero enfatizar que nós alunos fazemos parte da comunidade e o nosso intuito era mais do que ganhar a competição, era saber que estaríamos ajudando muitas pessoas da nossa comunidade mais carente. O mais interessante para mim e para a maioria dos alunos foi saber que por iniciativa nossa conseguimos fazer com que muitas famílias ficassem felizes neste início de ano”, contou o aluno.

A gestora geral da unidade plena de Bacabeira, Ana Cláudia, fala da importância da gincana para os alunos. “Este ano a gente trabalhou novamente a gincana solidária. A solidariedade é uma das competências que os alunos desenvolveram durante este percurso escolar, principalmente com relação à comunidade. Nós temos localmente uma população carente em vários aspectos, principalmente no âmbito da alimentação. Cada cesta tinha aproximadamente 35 quilos de alimentos. Esse foi um trabalho que os estudantes estavam empenhados, eles já entenderam o seu papel na sociedade”, contou a gestora.

Escola estadual entrega cestas básicas na véspera do Natal

Estudantes, professores e funcionários do Centro de Ensino Oliveira Roma, da rede estadual de ensino, na cidade de Mata Roma, deixaram a escola e foram entregar cestas básicas em comunidades carentes do lugar. A ação, que tem por objetivo ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social e despertar o espírito de solidariedade entre os alunos, aconteceu no domingo (24), véspera do Natal.

Os alimentos não-perecíveis foram recolhidos pelos estudantes, com apoio da direção escolar, durante a VI Gincana Estudantil, que este ano trouxe o tema: ‘Resgatando a Cultura Brasileira’. A gincana foi realizada no dia 17 de novembro e uma das tarefas desenvolvidas foi a arrecadação de mantimentos.

Com o que foi arrecadado, foram preparadas 250 cestas básicas distribuídas para famílias das comunidades de Tanásio, Tataíra, Bacuri, Lagoinha e Tibúrcio. Além da comunidade escolar, a ação envolveu amigos da escola, que fizeram questão de acompanhar a distribuição das cestas.

“Distribuir 250 cestas pode parecer pouco para quem tem, mas, para quem não tem nada em casa para comer, é uma ajuda importante. E acho que o mais importante é ter a iniciativa e despertar esse sentimento tão valoroso chamado solidariedade”, pontuou Juliana Cristine de Carvalho Almeida, aluna do 1º ano.

“Esta é o sexto ano consecutivo que distribuímos cestas básicas em comunidades carentes da nossa cidade. O que a gente deseja, além de ajudar, é contribuir para a formação de pessoas com espírito mais solidário, que enxerguem em seu próximo um irmão. O mundo precisa de pessoas solidárias. E esse sentimento precisa ser trabalhado desde cedo”, destacou o professor Júlio César Pavão Almeida, gestor geral da escola.

“Os nossos alunos deram um show de solidariedade. E ver a alegria e a gratidão nos olhos de cada família que recebia uma cesta nos mostrou que vale muito a pena estender a mão a quem precisa. E os nossos alunos têm que ter consciência disso”, disse Maria Meires Ferreira de Araújo, gestora auxiliar da escola.

De Secap.

ARTIGO | Canais de esperança e solidariedade

Lembro com alegria de uma das mais belas imagens da minha infância. Dezenas de pessoas reunidas em pescaria num braço de rio, que banhava o povoado Jacioca, município de Bequimão. As margens do rio prateada de piaba, espécie característica da região. Ao final da pesca, a maior parte dos peixes era distribuída gratuitamente para os moradores da comunidade. Foi o maior e mais contundente exemplo de solidariedade coletiva, que tive a felicidade de presenciar.

Comunhão presente nas sagradas escrituras. “A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum.” (At 4,32)

Os tempos passaram. O rio, outrora caudaloso e perene, hoje praticamente não existe. Desaparece na estiagem e ressurge frágil no período chuvoso. Nem de longe lembra o vigor e a fertilidade de antes.

Cena tristemente comum na Baixada Maranhense, principalmente nos campos durante a escassez de chuva. Por consequência, a população vê minguar sua principal fonte de segurança alimentar. Não apenas pela carência de peixes, mas pela falta de água para o gado, as aves e outros animais.

A salinização das águas dos campos inundáveis e rios é outro problema, que compromete o ecossistema da Baixada.

Em boa hora, o governador Flávio Dino criou o programa Diques da Produção, que beneficia 35 municípios da região com a construção de barragens e canais para armazenar água durante o período chuvoso, viabilizar a produção de peixes, cultivo de frutas e hortaliças, além da criação de animais.

É um programa social de largo alcance. Com resultados práticos. Na década passada, um protótipo foi executado no Igarapé do Troitá, no município de Anajatuba. Iniciativa do ex-presidente da Assembleia Legislativa, João Evangelista, baixadeiro de larga visão e grande sensibilidade social, abraçada pelo ex-governador Zé Reinaldo. O projeto é um sucesso com o armazenamento de água o ano todo e farta produção pesqueira e agrícola às margens do igarapé.

Agora, o Diques da Produção está em campo literalmente nos municípios de Anajatuba, Mirinzal, São Vicente de Férrer, Peri-Mirim, Viana, Palmeirândia, Penalva, Bacurituba e Santa Rita. Os canais em construção têm 1.200 metros de extensão e incalculável alcance social.

O povoado Jacioca, em Bequimão, a que fiz referência está entre os contemplados pelo governador Flávio Dino para ser beneficiado com o canal. A obra, que vai começar nos próximos dias, vai beneficiar milhares de pessoas de uma região com mais de 10 povoados.

É emocionante ver que a vocação produtiva da Baixada Maranhense está, de fato, sendo priorizada pela primeira vez na história do Maranhão. Com projetos simples, mas de elevada dimensão humana, social e econômica. Por certo, brevemente voltaremos a ver a fartura no cotidiano dos conterrâneos baixadeiros a socializarem a riqueza da região. Modelo comunista de governar fazendo mais com menos e para todos. Efetivo combate às desigualdades regionais e sociais. Verdadeiros rios de esperança a povoar mentes e corações da população da Baixada garantindo segurança alimentar e desenvolvimento sustentável para milhares de maranhenses.

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM

Em São Luís, família busca ajuda para criança com doença rara

Quando maranhense Isabela nasceu, seus pais, Carla e Rodrigo Valois, estavam realizando um sonho de ter um bebê que tanto planejaram. A pequena nasceu prematura, com 32 semanas, e no teste do pezinho a família descobriu que Isabela tinha uma doença congênita e grave, a anemia falciforme.

A doença é rara, menos de 150 mil casos por ano no Brasil, e é caracterizada por um grupo de distúrbios que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue deformem e quebrem.

“Ficamos desesperados no início, porque até então não conhecíamos a doença. E tudo que a gente pesquisava só nos mostrava o quão grave a doença poderia se apresentar”, contou Carla, que é fisioterapeuta.

Isabela faz acompanhamento com hematologista desde a descoberta, e, segundo sua mãe, a pequena não havia tido nenhum problema com a doença até maio deste ano.

“Quando nós fomos fazer o doopler transcraniano (que é um exame para acompanhamento da velocidade do sangue que passa nas artérias da cabeça, com o intuito de evitar o AVC) e foi detectado que a Isabela corria um sério risco de ter um AVC”, disse a mãe.

Agora, a família precisa de ajuda para salvar a pequena Isabela, que hoje passa por transfusões de saúde mensais, mas isso não garante a completa saúde da menina, o que só será possível com um transplante de medula óssea. E é aí que a ajuda é necessária.

Para realizar o transplante, primeiro é necessário achar um doador 100% compatível, o que só existe entre irmãos, mas Isabela não tem nenhum. Ela precisa de um irmão para ficar boa.

Mas, para lhe dar este irmãozinho, ou irmanzinha, Carla precisa passar por uma fertilização in-vitro, um procedimento caro por sí só, mas que neste caso depende de seleção embrionária, para garantir que o feto não terá a mesma doença de Isabela. O procedimento custa 100 mil reais, dinheiro que a família não possui.

“É partindo dessa fertilização que nós iremos tentar o transplante, visto que não se trata de algo simples, é necessário avaliação dos médicos em Ribeirão Preto em São Paulo dos riscos e benefícios. Já tivemos contato com eles, e eles só irão nos receber caso haja o doador 100% compatível.

Nós iremos em São Paulo capital, dia 30 de julho, e iremos refazer todos os exames feitos aqui em São Luís, pois ainda temos esperança de que lá nós podemos mudar a realidade do que estamos vivendo”.

A família está colhendo doações de algumas formas, depósito em conta poupança, vakinha virtual e também com a venda de rifas.

No site vakinha.com.br basta procurar pela campanha Todos por Isabela. As rifas podem ser conferidas nos perfis de Instagram da família @carlachristinematos e @rodrigaovalois.

Carla e Rodrigo, que também é fisioterapeuta, deixam uma mensagem especial apara aqueles que ajudarem a pequena Isabela: “Que Deus abençoe abundantemente você e sua família. O que você faz ao próximo, Deus fará em dobro por você”.

Para quem quiser doar direto, há duas contas:

a) Bando do Brasil

Agência – 1638-1

Conta poupança – 70923-9

B)Caixa Econômica Federal

Agência – 0227

Operação – 013

Conta poupança – 4181-1

CPF: 620.368.973-47

Luis Fernando: jamais tive qualquer informação que maculasse a imagem de Flávio Dino

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB), manifestou sua solidariedade ao governador Flávio Dino. “Jamais tive qualquer informação que maculasse a imagem do governador Flávio Dino ao longo de toda a sua vida pública”, disse, em entrevista à Rádio Timbira.

O tucano afirmou ainda que nenhuma pessoa pública pode ser acusada sem direito pleno de defesa. “Eu defendo a investigação profunda e ampla de todo e qualquer fato delituoso praticado por quem quer que seja, sobretudo, pelos homens públicos, mas não se pode condenar ninguém antes do devido processo legal e o exercício pleno do direito de defesa. Portanto, toda a minha solidariedade ao governador”, declarou Luis Fernando.

Também manifestaram apoio a Flávio Dino os prefeitos de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), de Paço do Lumiar, Domingos Dutra (PCdoB). Todos foram unânimes em dizer que desacreditam na acusação que incluiu o nome do governador Flávio Dino em lista de investigações da operação ‘Lava Jato’.

Edivaldo destacou a trajetória digna do governador Flávio Dino. “Flávio Dino é um cidadão digno, um gestor comprometido, que tem feito um grande trabalho pelo Maranhão. Conheço a sua trajetória pública, pautada na luta pelos anseios populares.  Confio na justiça e sei que verdade vai prevalecer.”, disse.

Para o prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra, a citação do nome do governador é um equívoco “A inclusão do nome do governador Flávio Dino nas investigações da operação ‘Lava Jato’ é uma vergonha nacional. Enquanto cidadão, juiz federal que foi, o governador é um cidadão honrado, trabalhador e honesto.  Não há nada que desabone a sua luta, conduta pessoal e funcional. A citação do nome do governador só serve ao sensacionalismo da mídia da oligarquia, que se aproveita desses equívocos para desgastar o governo e a imagem do melhor governador das últimas décadas no Maranhão”, afirmou o prefeito.