Temer recebeu propina da Odebrecht, aponta PF

247

Relatório da Polícia Federal enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) afirma que foram encontrados indícios de que Michel Temer recebeu vantagem indevida da construtora Odebrecht.

O inquérito no qual o relatório foi enviado se refere a um jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014, em que se teria acertado o repasse ilícito de R$ 10 milhões ao MDB.

No documento, o delegado Thiago Delabary aponta, ainda, suspeitas de que Temer cometeu os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O documento foi divulgado pelo Metropoles. Leia a íntegra.

Em sabatina, Ciro Gomes diz que Temer vai para a cadeia

Candidato Ciro Gomes durante sabatina no Correio Braziliense. Brasilia 06-06-18. Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Ciro Gomes, pré-candidato à presidência da República pelo PDT, resolveu disparar sua metralhadora giratória e o alvo principal foi Michel Temer. Em sabatina promovida pelo Correio Braziliense, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) afirmou que Temer será preso e que o MDB é o único partido com o qual não pensa em fazer alianças. Além disso, segundo reportagem de Daniel Carvalho, da Folha de S.Paulo, criticou o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), a quem chamou de “tresloucado, boçal despreparado e câncer”.

“Peguei um tempo em que estava em pleno comando da Câmara o Michel Temer e o Eduardo Cunha, batendo bola um com o outro para roubar a nação. Fui processado por ambos. Um já está na cadeia e o outro vai”, disse. Depois, citando Romero Jucá (MDB-RR), reafirmou que não faz aliança com seu partido. “Se deixar a porta aberta, vai vir abanando o rabo, mas está avisado que por esta porta não entra. Ladrão do PMDB vai me fazer oposição. O problema é essa hegemonia quadrilheira que tomou conta do país há muito tempo e que hoje está aí capitaneando o golpe”, destacou.

Ciro Gomes, pré-candidato à presidência da República pelo PDT, resolveu disparar sua metralhadora giratória e o alvo principal foi Michel Temer. Em sabatina promovida pelo Correio Braziliense, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) afirmou que Temer será preso e que o MDB é o único partido com o qual não pensa em fazer alianças. Além disso, segundo reportagem de Daniel Carvalho, da Folha de S.Paulo, criticou o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), a quem chamou de “tresloucado, boçal despreparado e câncer”.

“Peguei um tempo em que estava em pleno comando da Câmara o Michel Temer e o Eduardo Cunha, batendo bola um com o outro para roubar a nação. Fui processado por ambos. Um já está na cadeia e o outro vai”, disse. Depois, citando Romero Jucá (MDB-RR), reafirmou que não faz aliança com seu partido. “Se deixar a porta aberta, vai vir abanando o rabo, mas está avisado que por esta porta não entra. Ladrão do PMDB vai me fazer oposição. O problema é essa hegemonia quadrilheira que tomou conta do país há muito tempo e que hoje está aí capitaneando o golpe”, destacou.

“Temer tem que aceitar seu destino de ser Sarney”, diz filósofo à BBC Brasil

Em entrevista à BBC Brasil, o filósofo Marcos Nobre, professor livre-docente da Unicamp e autor de uma das mais importantes teses sobre o emedebismo, afirmou que Michel Temer tem que aceitar destino de ser Sarney para não correr risco de ser retirado da Presidência da República, antes de concluir mandato.

”Ele (Temer) tem que aceitar seu destino de ser Sarney, é a última chance que ele tem de se recolher à sua insignificância.”, disse.

Para Nobre, a única chance de Temer concluir o mandato é deixar de gerar crises. “Ou o Temer aceita que é Sarney, submerge e não atrapalha mais, ou o sistema político não vai segurar a onda e ele vai cair.”

Ao comentar a indicação de Henrique Meireles como pré-candidato do MDB, o filósofo diz que se Temer insistir no protagonismo, vai cair.

Segundo ele, da pacificação dessa situação do Temer depende a unificação da centro-direita.

Sobre o fim do governo, o filósofo afirmou que Temer vai precisar de gente que mantenha a gestão andando num nível mínimo, morno. “A equipe não pode ter atitude ousada, é a saída Maílson da Nóbrega (ministro da Fazenda do governo Sarney que assumiu prometendo fazer uma “política econômica arroz com feijão” em meio à crise). É tocar o dia a dia até o final do mandato e deixar a eleição acontecer”.

Na interpretação de Marcos Nobre, a greve dos caminhoneiros demonstrou que a sociedade brasileira adotou uma estratégia quase suicida para demonstrar que o descontentamento com o sistema político e a condução do país é ainda mais intenso do que nas manifestações de junho de 2013. “Na minha hipótese, isso vai até o limite do estrangulamento, mas não estrangula, porque senão o movimento perde o apoio social que tem.”, avalia.

Governo usará Força Nacional para desobstruir rodovias

O governo do presidente Michel Temer decidiu usar o Exército para desobstruir rodovias que têm sido alvo de bloqueios realizados por caminhoneiros que protestam contra a alta do diesel, disse à agência de notícias Reuters uma fonte governamental com conhecimento do assunto.

A decisão foi tomada em uma reunião no Palácio do Planalto da qual participam Temer e ministros no quinto dia de paralisação dos caminhoneiros em todo o país, apesar do acordo firmado na véspera entre a categoria e o governo.

De acordo com a fonte, além do Exército, a Polícia Rodoviária Federal e as Polícias Militares dos estados também atuarão nos desbloqueios onde for necessário.

[Atualização]

Michel Temer aciona a Força Nacional de Segurança para retirar os caminhoneiros das rodovias.

Temer faz propaganda com verbas destinadas à Saúde Pública, diz colunista do Globo

Segundo o colunista de O Globo Lauro Jardim, Michel Temer fez propaganda de seu governo com verbas do Ministério da Saúde destinadas à campanhas de utilidade pública.

Cerca de R$ 22 milhões teriam sido desviados da Saúde Pública, originalmente destinados a campanhas de vacinação, febre amarela, doações de órgãos.

A nova campanha de Temer, teoricamente voltada para mostrar o que fez em dois anos de governo, começa a ser veiculada hoje (21).

Temer, como Sarney: um presidente que não pode sair à rua

Tijolaço

Será que alguém, depois da cena de hoje no centro de São Paulo, vai querer ser o candidato que “vai preservar o legado” de Michel Temer?

Como José Sarney, apedrejado no Centro do Rio em 1988, 30 anos depois, Temer, ao sair corrido da visita aos escombros do prédio incendiado no Centro paulistano vai completando a mórbida semelhança com José Sarney, que ascendeu ao poder para ser o antípoda das esperanças despertadas na redemocratização.

Como o seu “mestre”, o usurpador destes tempos está fadado a ser apenas um saco de pancadas nas eleições.

Quem lhe carregava o fardo – Ulysses Guimarães e Aureliano Chaves – foi reduzido a candidato “nanico”, malgrado todas as máquinas partidárias de que dispunham.

Em meio ao drama das famílias miseráveis que perderam até mesmo os farrapos que tinham a presença de alguém que virtualmente paralisou a construção de moradias para os mais pobres – o Governo Temer contratou, ano passado, apenas apenas 23 mil na faixa 1, que atende famílias com renda mensal de até R$ 1.800, não podia dar em outra coisa.

Mulher de coronel pagou despesas de obra de filha de Temer, diz jornal

Segundo informações publicadas nesta quinta-feira (12) na Folha de S. Paulo, a arquiteta Maria Rita Fratezi, mulher do coronel João Baptista Lima Filho fez os pagamentos em espécie à Ibiza Acabamentos, uma das empresas que entregaram material na residência de Maristela Temer, filha do presidente, em Pinheiros, bairro nobre de São Paulo.

A entrega dos recursos foi confirmada pelo dono da empresa, apesar do recibo no valor de R$ 12.400 estar no nome da filha de Temer. De acordo com a publicação, os investigadores acham o fato relevante, sobretudo por delações da JBS apontarem repasses de propina ao coronel em data próxima ao pagamento da obra na casa da filha do presidente.

Preso no dia 29 de março na Operação Skala, que apura um esquema de corrupção que supostamente beneficiaria empresas do setor portuário em troca da renovação de concessões públicas, o coronel Lima manteve o silêncio ao ser indagado pelos investigadores. Chamada a depor, a sua mulher fez o mesmo.

Procurada pela Folha para comentar o assunto, a assessoria de Temer informou que os questionamentos sobre a reforma seriam respondidos pela defesa de Maristela. Esta, por sua vez, afirmou que só prestaria esclarecimentos à PF, se for chamada para explicações. Já o coronel e sua esposa negaram qualquer ilegalidade.

De Sputinik News e Folha de SP.

Governo Temer tem aprovação de apenas 5% dos brasileiros

Pesquisa do Ibope divulgada nesta quinta-feira (5) indicou que a gestão do presidente Michel Temer (MDB) é considerada ótima ou boa por 5% dos entrevistados, enquanto 21% a classificam como regular e 72% como péssima ou ruim. 2% dos entrevistados não souberam opinar ou não responderam.

O levantamento foi encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e foi realizado entre os dias 22 e 25 de março. Foram entrevistadas mais de 2 mil pessoas em 126 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Foi a primeira pesquisa de opinião após a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro.
No último levantamento, feito em dezembro, a gestão Temer foi classificada como ótima ou boa por 6% dos entrevistados, enquanto 74% a classificaram como ruim ou péssima e 19% como regular.

A pesquisa do Ibope também mediu a maneira de governar do presidente: ela foi aprovada por 9% dos entrevistados e desaprovada por 87%. Não souberam ou não opinaram 4% dos entrevistados.

No levantamento de dezembro, 9% aprovavam a maneira de governar de Temer, enquanto 88% desaprovavam.

De sputniknews.com

Investigado no STF, Temer tem encontro privado na casa da ministra Cármen Lúcia

Revista Fórum

Michel Temer fez uma visita neste sábado (10) à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia. O encontro ocorreu no início da tarde de hoje na residência da presidente do STF e não constava na agenda oficial do presidente.

A visita ocorreu cinco dias após o ministro do STF Luís Roberto Barroso determinar a quebra de sigilo de Temer. Trata-se da primeira vez na história da República que um presidente em exercício do mandato tem aberto os seus dados financeiros por ordem judicial.

A quebra de sigilo foi determinada no âmbito do inquérito que investiga a Medida Provisória 595, a MP dos Portos. De acordo com as investigações, Temer teria elaborado a MP para favorecer a empresa Rodrimar no Porto de Santos.

Segundo a Agência Brasil, os dois teriam conversado sobre segurança pública e a intervenção militar no Rio de Janeiro. “Temer disse que ela se comprometeu em colaborar nos assuntos de segurança, tanto no Rio como em outros estados. A situação dos presídios brasileiros também foi discutida entre os dois, segundo a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto”, diz a agência.