ESTADO

A pedido da COECV, Segurança Pública suspende despejos coletivos durante quarentena

A  Comissão Estadual de Prevenção à Violência no Campo e na Cidade (COECV), vinculada à Secretaria de Estado dos Direitos… [ ]

26 de março de 2020

A  Comissão Estadual de Prevenção à Violência no Campo e na Cidade (COECV), vinculada à Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), expediu, na última terça-feira (24), ofícios para a Secretaria de Segurança Pública (SSP), Ministério Público do Estado (MPE), Defensoria Pública do Estado (DPE) e ao presidente e Corregedoria do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), solicitando a suspensão do cumprimento dos mandados de reintegração de posse que requeiram uso de ação policial agendados para o período dos meses de março e abril de 2020, em decorrência dos riscos inerentes à pandemia do coronavírus.

Resposta dos órgãos
A DPE já havia se manifestado favorável à suspensão das ações de reintegração, antes mesmo da solicitação da COECV. Já a Procuradoria Geral do Estado encaminhou a solicitação para as promotorias especializadas em conflitos fundiários para posterior deliberação, enquanto a SSP respondeu ao ofício da COECV, informando que suspendeu o cumprimento dos despejos em razão dos riscos de transmissão comunitária do Covid-19; tal orientação também já foi confirmada pelo Comando Geral da Polícia Militar do Maranhão.

Para o coordenador da COECV e secretário adjunto dos Direitos Humanos e Participação Popular, Jonata Galvão, a medida “se alinha a uma série de outras que estão sendo tomadas no âmbito da administração, e possui caráter sanitário, social e, sobretudo, humanitário, vez que diante do atual contexto de crise mundial, a maior recomendação para salvar vidas é justamente permanecer em casa”, pontuou.

Em caso de descumprimento da medida de suspensão de despejos forçados no Estado do Maranhão, durante o período em que perdurar o isolamento social obrigatório, a COECV poderá ser acionada por meio dos canais virtuais de atendimento através do telefone (98) 9186-1050 ou ainda através da Ouvidoria de Direitos Humanos, Igualdade Racial e Juventude pelo número (98) 99104-4558. Ambos podem ser acessados através do aplicativo WhatsApp.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!