GRANDE SÃO LUÍS

Agricultura familiar da Região Metropolitana ganha cerca R$ 500 mil para comercialização de produtos

Nesta terça-feira (12), no auditório da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), 17 associações dos municípios da Região Metropolitana… [ ]

13 de abril de 2022

Nesta terça-feira (12), no auditório da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), 17 associações dos municípios da Região Metropolitana de São Luís assinaram contratos do Programa de Compras da Agricultura Familiar (Procaf), totalizando recursos de R$ 479.571,00 mil para comercialização de produtos.

Foram contempladas 10 associações de São Luís, quatro de Paço do Lumiar, uma de São José de Ribamar e duas associações do município de Raposa. O Procaf foi criado pelo Governo do Estado e é executado pelo Sistema da Agricultura Familiar, permitindo a compra de produtos da agricultura familiar por dispensa de licitação.

Para o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Diego Rolim, a assinatura dos contratos do Procaf é uma iniciativa que contribui fortemente com a qualidade de vida dos agricultores e agricultoras familiares. “Com a assinatura dos contratos, os agricultores iniciam a comercialização de suas produções, garantindo comida na mesa e segurança alimentar para a população que mais precisa, e renda para as famílias rurais”, disse o secretário.

Os produtos entregues pelas associações serão destinados para o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Fundação Antônio Jorge Dino, Banco de Alimentos, Mesa Brasil, Centro Educacional Criança Maravilhosa, Solar do Outono e para Associação Carente São Benedito do Bairro de Fátima.

Concita da Pindoba, presidente do Clube de Mães e dos Agricultores Familiares do Povoado Pindoba, município de Paço do Lumiar, disse que a associação comercializa pelo Procaf desde 2018 e realiza a distribuição paras as entidades socioassistenciais do município de Paço do Lumiar e para o Banco de Alimentos do Estado. “O Procaf é uma via de mão tripla porque a gente produz, a gente alimenta e a gente gera renda para nossa comunidade”, declarou.

Para este ano de 2022, foram lançados cinco editais do Procaf: quilombola, indígena, geral, babaçu e o edital para o Centros Educativos Familiares de Formação por Alternância (Ceffas). Todas as propostas totalizam um montante de R$ 8.571.896,97 milhões, beneficiando 306 organizações e 73 indígenas individuais.

O presidente da Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Raposa, Humberto Silva, disse que antes do Procaf era muito sofrido para comercializar a produção. “A gente saía na madrugada para a feira do João Paulo para tentar vender nossas hortaliças. Com a chegada do Procaf, a gente planta com a certeza da comercialização, isso é gratificante”, enfatizou.

Após a assinatura dos contratos, os representantes das associações participaram de uma capacitação, que tem como objetivo promover o alinhamento das atividades e detalhamento de execução do Procaf.

Capacitação

Entre os dias 11 e 13 de abril, a Superintendência de Comercialização da SAF realiza capacitações sobre a execução do Procaf com os agricultores do Estado.

Na segunda-feira (11), foram capacitados, de forma virtual, as associações quilombolas de 16 municípios. Nesta terça-feira (12), foi a vez das associações das quebradeiras de coco babaçu e das associações de agricultores em geral; e na quarta-feira (13) continua capacitação com os produtores contemplados com o Procaf geral.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!