Começa a campanha de vacinação contra febre aftosa no Maranhão

Começa nesta quarta-feira (1º) a primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa no Maranhão. De acordo com a… [ ]

1 de Maio de 2019

Começa nesta quarta-feira (1º) a primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa no Maranhão. De acordo com a Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged) a meta é imunizar mais de oito milhões de bovinos e bubalinos em todo o estado.

A campanha será realizada até o dia 31 de maio e o pecuarista tem até 15 de junho para comprovar a vacinação do seu rebanho na Aged. Este ano, a dosagem da vacina diminuiu e passou a ser bivalente ou conhecida como dupla viral. A mudança já que há 15 anos, não há notificações de aftosa de cepa viral tipo C, registrada no Brasil pela última vez em 2004.

No Maranhão, o último caso de febre aftosa foi registrado em 2001 no município de Governador Eugênio Barros, no sul do estado. Desde então, o estado passou da condição de risco desconhecido para área livre da aftosa com vacinação, classificação dada obtida em 2014 pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

“Nós vamos passar por uma alteração que foi realizada na composição da vacina da aftosa, que era uma vacina trivalente e passou a ser uma vacina bivalente. Porque antes tinha as cepas A e C e desde o último caso de aftosa com vírus registrado no Brasil com tipo C foi registrado em 2004. Então nós temos aí, quase 15 anos sem notificações de aftosa dessa cepa viral. O ministério achou melhor remover essa cepa viral da vacina, tornou-se bivalente para as cepas A e O e além disso, removeu uma substância chamada saponina que causava reações nos animais”, explicou o veterinário da Aged, Carlos Yuri Fernando.

Em 2018, o estado obteve o índice de 97% de cobertura vacinal e a meta deste ano é imunizar 100% do rebanho de bovinos e bubalinos. Os estoques de vacina já estão sendo reabastecidos nas revendas e as doses estão sendo encaminhas para outros municípios do Maranhão.

“Toda vacina que a gente distribui na região, tanto pra revenda quanto para consumidor final, a gente recebe essa instrução da temperatura. Por isso, a gente disponibiliza isopores de todos os tamanhos para que não aconteça nenhum imprevisto principalmente nas regiões mais distantes que a gente envia. A gente atende boa parte do Maranhão então nós temos sempre esse cuidado, tanto com o envio quanto com a informação ao pecuarista”, conta César da Silva, gerente de revendas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!