Complexo Penitenciário São Luís ganha terceiro laboratório de informática

Por meio da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP), o Governo do Maranhão entregou, nesta semana, o terceiro laboratório de informática… [ ]

3 de fevereiro de 2018

Por meio da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP), o Governo do Maranhão entregou, nesta semana, o terceiro laboratório de informática com doze cabines, na UPSL 2, no Complexo Penitenciário São Luís. Na oportunidade, a gestão prisional também fez a entrega de cerca de 1 mil livros doados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) às bibliotecas de duas unidades prisionais.

“Demos mais um importante passo para o incentivo à educação nas unidades prisionais. Este laboratório de informática, a exemplo dos dois entregues no fim do ano passado, potencializará o Programa Rumo Certo, cuja proposta é o aumento do nível de escolaridade no sistema prisional”, afirma o secretário Adjunto de Atendimento e Humanização Penitenciária (SAAHP), Rafael Velasco.

Em novembro de 2017, outros dois laboratórios de informática já haviam sido inaugurados no Complexo. Um deles na própria UPR Feminina, e outra na UPSL 6. “A cada ano, a gestão estadual tem estimulado o interesse dos detentos para que retomem os estudos. Em 2017, por exemplo, registramos mais de 1.300 inscrições de internos no Enem e Encceja”, completa o titular da SAAHP.

Livros

Considerando os benefícios trazidos pelo estudo ao processo de recuperação e ressocialização do condenado, a Lei de Execuções Penais (LEP), em seu Art. 126, prevê que deve ser estimulada, no âmbito das unidades prisionais, para que o interno tenha acesso à remissão pela leitura. O benefício consiste na redução de quatro dias de pena para o detento que emitir um relatório de livro lido.

Neste sentido, a Supervisão de Educação (SED) da SEAP entregou, na oportunidade, cerca de 1 mil livros doados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) às duas bibliotecas do Complexo Penitenciário São Luís. A ação faz parte do conjunto de medidas e investimentos na educação dos apenados feitos pelo Governo do Maranhão, com o objetivo de ampliar a ressocialização intramuros.

Hoje, nas unidades prisionais do Maranhão, 1.144 presos estão matriculados em salas de aula, ou ligados a alguma atividade educacional, resultado dos investimentos da gestão atual na ampliação e criação das bibliotecas no sistema prisional, e que, além disso, contam com professores voluntários e estudantes que ministram aulas de conteúdos básicos de ciência exatas, humanas e biológicas aos privados de liberdade.

Rumo Certo

Em dezembro de 2017, o governador Flávio Dino lançou o Programa Rumo Certo, iniciativa que objetiva o aumento do nível de escolaridade e profissionalização no sistema prisional do Maranhão. Coordenado pela SEAP, o programa vai oferecer mais de 45 mil vagas para pessoas presas e seus familiares, egressos e servidores penitenciários, conforme a formação escolar de cada público.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!