Defesa Civil mantém monitoramento de áreas de risco na capital

Com a chegada do mês de junho, a previsão de chuvas em São Luís diminuem, apesar disso, os agentes da… [ ]

9 de junho de 2019

Com a chegada do mês de junho, a previsão de chuvas em São Luís diminuem, apesar disso, os agentes da Defesa Civil, órgão ligado à Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc) continuam de prontidão nos lugares com classificação de risco. O foco são ações que estimulem o engajamento de moradores e tragam como resultados mudanças de hábitos, como o descarte correto do lixo e outros resíduos que dificultam o escoamento das águas pluviais.

“A Defesa Civil está 24 horas nos locais considerados como áreas de risco e isto faz com que o cidadão fique mais atento à intensidade das chuvas e aos seus desdobramentos. Qualquer situação é logo informada à Prefeitura e providencias são imediatamente tomadas pelo Comitê Gestor do Plano de Contingência de São Luís, implantado em 2013 pelo prefeito Edivaldo, o que tem evitado cenários de desastres em situação anormal no município”, afirma o secretário de Segurança com Cidadania de São Luís, Heryco Coqueiro.

As ações de preparação para a estação seca também incluem obras para eliminação de pontos de acúmulo de água, intervenções em pontos críticos de drenagem e manutenção de canais obstruídos com monitoramento de toda a cidade.

 

Durante a estação chuvosa na Ilha, a equipe da Defesa Civil permanece monitorando o tempo na cidade 24 horas por dia, nos sete dias da semana, sempre informando a população quando há previsão de chuva que poderá impactar na rotina da cidade. As informações são repassadas pelo Centro Nacional de Monitoramento de Área e também por meio de dados gerados pelas estações pluviométricas da Prefeitura, com 10 aparelhos instalados estrategicamente em São Luís.

O mapeamento das áreas de risco é realizado anualmente e serve também para consubstanciar o Plano de Contingência do Município, documento que estabelece os procedimentos a serem adotados pelos órgãos envolvidos na resposta a emergências e desastres, quando da atuação direta ou indireta em eventos relacionados a desastres naturais.

Dentre as ações preventivas, colocadas em prática durante a estação seca, também entra em ação o Comitê Gestor de Limpeza Urbana, com campanhas educativas para mostrar à população que mudanças de hábitos devem ser adotadas para evitar situações como o entupimento de galerias por conta do descarte irregular de lixo (o que pode ocasionar enchentes). Tem ainda os Núcleos Comunitários da Defesa Civil (NUCDCs), trabalho de engajamento voluntário nas comunidades desenvolvido pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania.

Atualmente, a cidade está com seis NUCDCs implantados nos bairros Sá Viana, Túnel do Sacavém, Quintas dos Machados, Vila Lobão, Vila Conceição e Vila Dom Luís. Todos contam com uma equipe de coordenação que faz o cadastramento de famílias das áreas envolvidas.

“A ideia é ampliar o número de Núcleos Comunitários para mais comunidades de São Luís. Mobilizando adultos, crianças, jovens e idosos com ações que ajudem a prevenir situações de risco e que também despertem mudanças culturais, principalmente ao que se refere ao descarte de lixo e construções irregulares em áreas de encostas, situações diariamente alertadas pela Defesa Civil da Prefeitura”, informa a superintendente de Defesa Civil Municipal, Elitânia Barros.

Do início de 2019 até maio, a Defesa Civil registrou 514 ocorrências. Após uma triagem que avaliou a condição das famílias e do imóvel, os que tiveram necessidade foram encaminhados para a Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), para concessão do Aluguel Social, destinado às famílias vítimas de enchentes, desabamentos ou risco de desabamentos e outros, que tendo sido removidos das áreas sem condições de retorno imediato, e com comprovação por laudo técnico da Defesa Civil do Município, recebem o auxílio por um tempo determinado.

O trabalho dos agentes da Defesa Civil do Município recebeu um certificado de ‘Amigos da Cruz Vermelha’ como forma de reconhecimento pelos serviços prestados pela guarnição às comunidades em São Luís. O documento foi entregue ao secretário da Semusc, Heryco Coqueiro, e a Superintendente Elitânia Barros, pelo presidente da unidade da Cruz Vermelha no Maranhão, Carlos Alberto Rangel.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!