ECONOMIA

Exportação de grãos cresce 12% no Porto do Itaqui

A previsão é fechar o primeiro semestre do ano com o escoamento de 5,5 milhões de toneladas de milho, soja… [ ]

16 de junho de 2020

A previsão é fechar o primeiro semestre do ano com o escoamento de 5,5 milhões de toneladas de milho, soja e farelo de soja

O Porto do Itaqui deve embarcar, até o final deste mês, cerca de 5,5 milhões de toneladas de milho, soja e farelo de soja, e a previsão é fechar este primeiro semestre de 2020 com crescimento de 12% na movimentação de grãos. Desse total, 3,7 milhões de toneladas cabem às operações do Tegram e o restante representa o volume movimentado pelo terminal da VLI. A reboque da safra recorde de grãos, a importação de fertilizantes deve superar os 50% de crescimento em relação ao mesmo período do ano passado, com 1,2 milhões de toneladas importadas.

“Com base em nossos índices de produtividade e a entrada em operação da segunda fase do Tegram em agosto, estamos trabalhando com a expectativa de um novo recorde histórico neste ano, superando os 11,2 milhões movimentos em 2019. E a partir de agosto passamos a um novo patamar, com capacidade para movimentar 19 milhões de toneladas de grãos por ano”, informa o presidente do Porto do Itaqui, Ted Lago.

“O projeto original do Tegram previa 5 milhões de toneladas/ano em cada fase, mas em 2019 superamos a marca de 7 milhões, sendo a maioria composta de soja. Nos primeiros meses desse ano o nosso crescimento é de quase 40% e só em maio de 2020 embarcamos quase 1 milhão em 14 navios”, destaca Marcos Pepe Bertoni, chefe de operações da CGG Trading (uma das empresas que compõem o consórcio) e integrante da diretoria do Tegram.

O gerente-geral de Operações Terminais e Porto Norte da VLI, Denilson Marques, destaca o papel extremamente relevante do agronegócio para a economia nesse momento de crise sanitária que o mundo atravessa em função da pandemia de Covid-19. “O setor, assim como a infraestrutura logística voltada para ele, tem conseguido dar uma boa resposta diante da adversidade. Os fatores externos somados ao fato do Brasil ser um player importante no abastecimento de alimentos para o mundo, contribuíram para esse movimento”, afirma.

Safra recorde

De acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), publicado no início do mês, a produção de grãos no país deve bater as 250 milhões de toneladas, um crescimento de 3,5% em relação a 2019. No Maranhão, os dados indicam que haverá aumento de 12,3% sobre a colheita do ano passado, com 5,5 milhões de toneladas (a produção da safra passada chegou a 4,9 milhões de toneladas de grãos).

Segundo a Conab, a área plantada e a produtividade também cresceram. Os cálculos levam em conta a média das últimas três safras e avaliam as incertezas geradas pela pandemia e seus impactos na comercialização e logística, além da alta no dólar frente ao real. De acordo com os especialistas do setor, esses fatores podem ter afetado as decisões das tradings na contratação de caminhões, ferrovias e navios, adiantando o volume de exportação.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!