Robson Paz

Gol de placa pela união e paz no futebol

Uma cena pouco comum foi um dos mais bonitos e simbólicos momentos da partida entre Maranhão Atlético x Operário-PR, no… [ ]

9 de agosto de 2017

Uma cena pouco comum foi um dos mais bonitos e simbólicos momentos da partida entre Maranhão Atlético x Operário-PR, no domingo, 6, no Estádio Castelão.

O goleiro e capitão do time maranhense, Rodrigo Ramos, entrou em campo com quatro crianças. Até aí nada demais. O inusitado estava no uniforme dos pequenos torcedores. Dois estavam com a camisa do MAC, os outros dois estavam uniformizados com as cores do Sampaio e as do Moto.

Todos entraram em campo, de mãos dadas. O gesto do Maranhão Atlético vai muito além do agradecimento às torcidas dos principais adversários. Enaltece a cultura da paz, do respeito às diferenças, da tolerância e da união. Sentimentos e atitudes cada vez mais raros dentro e fora dos estádios de futebol, no país.

Levantamento feito pelo sociólogo Maurício Murad, o principal pesquisador brasileiro da violência no futebol, mostra que até julho deste ano os confrontos entre torcidas – ou entre torcedores e a polícia – mataram 12 pessoas.

Recentemente, no Rio, em Pernambuco e São Paulo, torcedores perderam a vida em confrontos insanos relacionados às facções de torcidas. Imagens de selvageria no estádio de São Januário correram o mundo. Um torcedor foi morto. Antes, outra vítima perdeu a vida, próximo ao estádio Nilton Santos.

Em Pernambuco, um torcedor foi espancado por uma facção adversária e morreu com traumatismo craniano. Em São Paulo, um torcedor foi assassinado após clássico entre Palmeiras e Corinthians.

Por tudo isso e no momento em que todas as atenções do futebol se voltam para os valores pecuniários da transferência bilionária do atacante Neymar para o Paris Saint Germain, a prática da paz e da boa convivência deve ser comemorada como um gol de placa.

Felizmente, no Maranhão não temos relatos de violência nos estádios. Por isso mesmo, desde 2015, o governo apoia a competição e entre as contrapartidas estimula a paz e a boa convivência no esporte.

A iniciativa do MAC não poderia ser protagonizada por atleta mais indicado. Por certo, o goleiro Rodrigo Ramos é um dos maiores ídolos do futebol maranhense nesta e na década passada. De comportamento exemplar dentro e fora de campo, o “Paredão”, como é conhecido, liderou as campanhas vitoriosas do Sampaio Corrêa nas conquistas de acessos às Séries C e B. Também pelo Moto Club, conquistou título e abriu caminho para a volta do Rubro-Negro à Série C. No MAC, Rodrigo é uma das referências de um time que realiza a melhor campanha em campeonatos brasileiros, nos últimos anos.

As crianças simbolizam bem o sentimento de amor verdadeiro e a esperança de que possamos construir dias melhores em que a cultura da paz, do ser humano vença a violência, a intolerância e o ódio.

Que jogadas como esta fortaleçam os laços de união e transmitam a energia necessária para que atletas e torcedores superem as dificuldades e possam driblar os desafios dentro e fora de campo em ambiente de descontração e fraternidade.

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM

0 Comentários

Deixe o seu comentário!