ECONOMIA

Governo e Banco da Amazônia assinam protocolo para aplicação de R$ 478 milhões no Maranhão

O governador Flávio Dino e o presidente do Banco da Amazônia (BASA), Valdecir Tose assinaram, na manhã desta segunda-feira (15),… [ ]

15 de março de 2021

O governador Flávio Dino e o presidente do Banco da Amazônia (BASA), Valdecir Tose assinaram, na manhã desta segunda-feira (15), um protocolo de intenções que irá destinar R$ 478 milhões para investimentos no Maranhão em 2021. Os recursos serão aplicados no fomento de empresas e atividades rurais, intermediados pelo BASA.

“Por uma questão regional, o Maranhão não faz parte do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), mas nós buscamos recursos de poupança do banco, recursos obrigatórios, recursos de LCA e do BNDES para conseguir operar no estado, atuando com empresas e produtores rurais. Esses recursos vão fomentar a economia do Maranhão”, disse o presidente Valdecir Tose.

De acordo com o governador Flávio Dino, o BASA valoriza a participação do Maranhão na Amazônia Legal. “Essa presença é muito importante para o setor produtivo, vários segmentos econômicos e sociais em nosso estado. O Maranhão possui múltiplas vocações e isso sempre demanda aportes e empreendedorismo. O nosso governo está à disposição para apoiar essas ações e fazer a ponte, se necessário, com os segmentos econômicos do nosso estado”, pontuou o governador Flávio Dino.

Segundo o superintendente do Banco da Amazônia no Estado do Maranhão, Diego Lima, no ano de 2020, houve uma grande disponibilidade de crédito para todos os setores e conseguiram bater um recorde de aplicação. Para este 2021, a expectativa é superar o ano anterior e apoiar cada vez mais os setores produtivos do Estado do Maranhão.

“Em 2020, a grande parte dos recursos foram aplicados nos setores de agronegócio e micro e pequenas empresas. Para este ano, nossa expectativa é crescer no montante aplicado, continuar apoiando todos os setores produtivos do Estado e crescer nossa participação principalmente no crédito rural com o uso do crédito digital”, afirmou Diego Lima.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!