CORONAVÍRUS

Imperatriz terá mais leitos para tratamento de pacientes com coronavírus

Imperatriz receberá mais reforços na estrutura hospitalar para atender pacientes com Covid-19. Viabilizados pelo Governo do Estado, estão sendo instalados… [ ]

14 de maio de 2020

Imperatriz receberá mais reforços na estrutura hospitalar para atender pacientes com Covid-19. Viabilizados pelo Governo do Estado, estão sendo instalados novos leitos que estarão prontos, esta semana, no Hospital Regional Materno Infantil (HRMI) e no Hospital Macrorregional Drª Ruth Noleto. Com as ações, as duas unidades, juntas, passam a contar com 72 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

O Materno Infantil já estava recebendo, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra), obras de reforma, ampliação e modernização que estão sendo agilizadas e adaptadas para atender pacientes com Covid-19. Depois da pandemia, a estrutura de 40 leitos volta a ficar à disposição da maternidade.

O Hospital Macrorregional Drª Ruth Noleto recebe melhorias, desde o início da disseminação do coronavírus (Covid-19), passando de 12 para 32 leitos de UTI, mais 92 de enfermaria e um ambulatório. Com as novas ações, o local receberá, também, pacientes com sintomas leves que, antes, eram encaminhados para casa. Com essa estrutura, a unidade macrorregional será exclusiva para o tratamento de pessoas com coronavírus.

O secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, que coordena o Comitê de Combate ao Coronavírus na Região Tocantina, ressalta que há investimentos em outras cidades do interior, como Açailândia, que deve receber, nos próximos dias, o Hospital de Campanha.
“Estamos trabalhando, sob a orientação do governador Flávio Dino e em parceria com o secretário de Saúde, Carlos Lula, de forma conjunta, para evitar que a saúde entre em colapso. Mas, lembramos que nenhuma medida será eficiente se as pessoas não entenderem a importância e atenderem ao pedido de isolamento social”, acrescentou.

Outras melhorias

As Upas municipais e estaduais receberam auxílio para melhorar o atendimento. Também foi anunciada uma parceria público/privada para adaptar o Centro de Convenções para receber um ambulatório. A proposta é que o Governo do Estado forneça medicamentos e exames e a iniciativa privada esteja responsável pela equipe médica. A ação visa proporcionar mais uma porta de entrada e desafogar as Upas.

Protocolo de atendimento

Outras providências serão adotadas, como mudanças no protocolo de atendimento. Segundo o secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, nesta quarta-feira (13) os pacientes com sintomas leves começaram a ser levados de ambulância da UPA para o Hospital Macrorregional Drª Ruth Noleto, onde passarão pelo o atendimento ambulatorial, farão os exames e sairão com retorno marcado para um melhor acompanhamento.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!