Internos do sistema prisional ganham novos EPI’s e uniformes

Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) e uniformes de serviço foram entregues aos internos do sistema prisional que trabalham na reforma… [ ]

1 de junho de 2018

Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) e uniformes de serviço foram entregues aos internos do sistema prisional que trabalham na reforma do espaço onde funcionava o antigo Colégio Universitário (Colun), no bairro Vila Palmeira. O prédio público será a nova sede da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Cada um dos 50 internos recebeu dois kits de EPI’s, composto por protetor auricular, óculos de proteção e luva. Os capacetes, que compõem o kit, serão entregues nos próximos dias. A entrega do material faz parte das ações do Governo do Estado para garantir melhores condições de trabalho à mão de obra carcerária e valorização do serviço público prestado pelos internos.

“O investimento feito pelo governador Flávio Dino na capacitação profissional dos internos do sistema prisional tem surtido efeito positivo à sociedade. O antigo Colun é um dos seis prédios públicos que já foram ou que ainda passam por reforma proveniente do trabalho de pessoas presas”, destaca o secretário da Seap, Murilo Andrade de Oliveira.

‘Trabalho com Dignidade’

Os internos também foram contemplados com fardamento completo contendo bota, calça e camisa, estas duas últimas confeccionados pelas internas que trabalham na malharia da Unidade Prisional de Ressocialização Feminina (UPFEM) de São Luís. A entrega do fardamento também representou o lançamento oficial da identidade visual da marca ‘Trabalho com Dignidade’.

A marca representa as quatro frentes de trabalho desenvolvidas pela gestão prisional: fábrica de blocos de concreto, cultivo de hortaliças, malharia e padaria. Cada desenho, separado nas cores nas cores azul, verde, vermelho e amarelo, simboliza uma dessas atividades, acompanhadas de perto pela Supervisão de Profissionalização, Trabalho e Renda (STR) da Seap.

A distribuição dos kits e uniformes, bem como as normas de acesso ao prédio, foram feitas por representantes das Secretarias Adjuntas de Atendimento e Humanização Penitenciária (SAAHP), Segurança Penitenciária (SASPE) e de Administração, Logística e Inovação Penitenciária (SALIP), e por Agentes de Execução Penal do Núcleo de Escolta e Custódia (NEC).

A remuneração dos internos, conforme a Lei de Execuções Penais (LEP), é de 3/4 do salário mínimo. No entanto, o pagamento pode ser integral, desde que o interno não falte ao serviço e assine afolha de frequência. Caso falte por motivos de saúde, um atestado médico deverá ser apresentado, após triagem em um dos dois Núcleos de Saúde do Complexo Penitenciário São Luís.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!