ECONOMIA

Jucema aponta mais 300 mil empresas ativas no Maranhão

O número de empresas abertas continua em ritmo de crescimento no Maranhão e, em setembro, registrou um acumulado de 302.989… [ ]

9 de outubro de 2020

O número de empresas abertas continua em ritmo de crescimento no Maranhão e, em setembro, registrou um acumulado de 302.989 negócios ativos no estado. No consolidado da Junta Comercial do Maranhão (Jucema), esse total representa um aumento de 111% em relação à 2014, ano em que o estado tinha um registro de 143.803 empresas ativas.

O crescimento expressivo do número de empresas ativas converge com o desempenho positivo de uma série de ações do Governo do Estado colocadas em prática para melhorar o ambiente de negócios, fortalecer o empreendedorismo, estimular a atração de investimentos privados e garantir que a união entre o setor público e a iniciativa privada continue assegurando resultados positivos. Atualmente, centenas de empresas são beneficiadas por meio de programas como o Mais Empresas, Produzido no Maranhão, Maranhão Mais Produtivo e outras diversas ações estratégicas que beneficiam diretamente os setores produtivos.

Ao avaliar os números, o governador Flávio Dino destacou um conjunto de iniciativas para fomentar a abertura de novas empresas no Maranhão. “Adotamos importantes medidas relativas ao estímulo à economia, como a isenção, parcelamento e adiamento de impostos e também investimentos em obras, serviços, editais, com o Plano de Empregos Celso Furtado. Em julho deste ano, batemos recorde no número de empresas abertas e isso representa o dinamismo econômico, fruto das parcerias e trabalho conjunto entre os setores público e privado. Em setembro, anunciamos isenção na taxa de abertura de novas empresas com o objetivo de estimular o empreendedorismo, vetor fundamental da economia”, disse o governador Flávio Dino.

De acordo com o presidente da Jucema, Sérgio Sombra, “esse é um reflexo claro de um conjunto de fatores e a desburocratização da abertura de empresas caminha lado a lado com essas medidas adotadas pelo Governo do Estado para manter a prosperidade da nossa economia. A concretização da Jucema Digital é um exemplo desses avanços”, reforçou o gestor.

Criação de negócios por setor

Os indicadores da Jucema demostram que o setor de comércio foi o escolhido por 164 mil empreendedores para abrir um novo negócio. O setor representa 54% das empresas, seguido de serviços com 32%, indústria com 6%, construção com 5% e agropecuária com 0,7% do total de empresas ativas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!