TRAVESSIA

Mais de 27 mil passageiros foram transportados via ferry-boat no feriado

A Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB) apresentou o balanço das viagens realizadas pelos serviços de ferry-boat… [ ]

4 de novembro de 2020

A Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB) apresentou o balanço das viagens realizadas pelos serviços de ferry-boat durante o último feriado prolongado de Finados. Entre a última sexta-feira (30) e esta terça-feira (3), foram realizadas 126 viagens entre os terminais da Ponta da Espera e do Cujupe, totalizando 27.248 passageiros transportados.

O presidente interino da Agência, Daniel Carvalho, destaca que o intuito desse balanço é prestar contas para a sociedade e programar melhor a demanda para datas futuras, quando a procura pelo serviço de ferry-boat tende a ser maior que o de costume. “A travessia entre os terminais da Ponta da Espera, em São Luís, e o Cujupe, em Alcântara, é de extrema importância para a população, e queremos, cada vez mais, intensificar o trabalho de fiscalização e prestar contas para a sociedade sobre a prestação desse serviço”, disse.

“Nossas equipes trabalharam durante todo o feriado, para garantir que não teríamos problemas para os usuários. Encerramos a operação do feriado com tranquilidade e garantindo o direito de ir e vir da população”, realçou Daniel.

Durante esses cinco dias, foram realizadas 126 viagens, e, além dos quase 30 mil passageiros, 5.375 veículos foram transportados.

Israel Birino e Nayara Pavão viajaram na última sexta-feira (30), para a Baixada Maranhense, para visitar parentes em Palmeirândia, e retornaram a São Luís nesta segunda-feira (2).

“Como nós compramos a passagem pela internet e com antecedência, foi super tranquilo. Eu achei organizado e limpo o ferry, apesar de ser feriado, não tinha aquela loucura que geralmente acontece. Também não vi ninguém sem máscara”, afirmou Israel.

“A gente que viaja sempre e tem parentes no interior, depende dos ferry-boats para que a viagem seja mais rápida. Eu, particularmente, gostei do que vi. E olha que fui de Serviporto e voltei de Internacional Marítima. Pessoal soube orientar e o ferry saiu na hora certa. Voltaremos para Palmeirândia no final do ano e vamos fazer da mesma forma, comprando antecipado”, ressaltou Nayara.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!