Manifestantes ocupam o centro de São Luís nesta quinta-feira (30) em segundo dia de protestos contra cortes na Educação

Ao todo, 121 cidades do Brasil participaram do segundo dia de protestos em defesa da educação.

Mais uma vez São Luís foi palco de uma grande manifestação de estudantes, professores e demais insatisfeitos com o contingenciamento de verbas destinadas às instituições federais de ensino anunciado pelo Ministério da Educação em março deste ano. Na tarde desta quinta-feira (30), em torno das 16h, milhares de manifestantes ocuparam a Avenida Beira-Mar.

A concentração foi na praça Deodoro, de lá, o protesto seguiu pela Rua Rio Branco, Praça Gonçalves Dias, Praça Maria Aragão, e terminou no Centro Histórico de São Luís.

Desde que o governo federal contingenciou R$ 5,8 bilhões da educação, a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e a Universidade Federal do Maranhão (Uema) se manifestam pedindo a revogação da decisão.

A UFMA já declarou que, caso o bloqueio persista, não será possível manter as atividades da universidade no próximo semestre. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) suspendeu a concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

Em suas redes sociais o governador Flávio Dino (PCdoB) postou fotos da manifestação na capital maranhense. “Em São Luís, muita gente compareceu à passeata em defesa da Educação. Espero que o Governo Federal convide entidades do segmento para um amplo diálogo em favor dessa importante causa patriótica: proteger nosso sistema de educação, ciência e tecnologia”, escreveu o governador.

Ao todo, 121 cidades do Brasil participaram do segundo dia de protestos em defesa da educação.

Deixe uma resposta