MEIO AMBIENTE

Maranhão apresenta redução de 9,2% nos focos de queimada em 2020, aponta Relatório Anual do Imesc

O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), autarquia vinculada à Secretaria de Estado de Programas Estratégicos (SEPE), tem… [ ]

15 de abril de 2021

O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), autarquia vinculada à Secretaria de Estado de Programas Estratégicos (SEPE), tem realizado relatórios trimestrais e, a partir de 2016, também relatório anual de incidências de queimadas. O relatório referente a 2020 foi lançado esta semana e mostra que o Maranhão apresentou 9,2% de diminuição dos focos de queimadas em relação ao ano anterior, sendo o segundo menor quantitativo de focos da década.

“O relatório apresenta uma análise dos últimos 10 anos, que nos ajuda a observar o comportamento do quantitativo dos focos de queimadas causados por fatores climáticos e atividades desenvolvidas no território. Sensibilizado com essas ocorrências, o governador Flávio Dino publicou o Decreto nº 36032, de 10/08/2020, que tornou crime a prática de queimada nos meses mais secos no estado, com o intuito de diminuir os focos, preservando assim a biodiversidade presente no território”, destaca o presidente do Imesc, Dionatan Carvalho.

Esses estudos demonstram análises quantitativas de focos, buscando, dessa forma, contribuir com o levantamento das causas e consequências dessas ocorrências. As queimadas ocorrem por fatores naturais e antrópicos, o comportamento das queimadas no Maranhão, em especial dentro dos biomas (Amazônia e Cerrado), leva em consideração alguns aspectos importantes, tais como: o porte arbóreo, as características da vegetação, o uso e manejo do solo, além do próprio regime de chuva.

Dessa forma esse relatório analisa o local de ocorrência, o tipo de vegetação e a distribuição dos focos de queimadas, que é essencial para direcionar ações que possibilitem a redução e a prevenção dos riscos, além de organizar as estratégias de enfrentamento nas áreas e municípios identificados com maiores quantidades de focos.

Confira o relatório completo, clicando no link: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/noticias/846

0 Comentários

Deixe o seu comentário!