POLÍTICA

Neto Evangelista debate proteção e defesa dos direitos fundamentais dos cidadãos

O deputado estadual Neto Evangelista (DEM) participou da solenidade de abertura da II Reunião Ordinária do Grupo Nacional de Direitos… [ ]

13 de setembro de 2019

O deputado estadual Neto Evangelista (DEM) participou da solenidade de abertura da II Reunião Ordinária do Grupo Nacional de Direitos Humanos (GNDH), no auditório do Hotel Luzeiros, em São Luís.

O evento, promovido pelo Ministério Público, reuniu procuradores e promotores de Justiça de todo Brasil, com o objetivo de promover a troca de experiência e o debate sobre a proteção e defesa dos direitos fundamentais dos cidadãos.

Evangelista, que na ocasião, representou o presidente da Assembleia Legislativa, defendeu a isonomia dos direitos dos cidadãos chamando atenção para a necessidade de respeitar as diferenças para que, efetivamente, a democracia garanta os direitos humanos e fixe na sociedade ideais de justiça e igualdade. “Garantir direitos humanos ainda é um grande desafio. É preciso que façamos, cada um, a nossa parte ajudando aqueles que necessitam e estando sempre atentos a denunciar qualquer tipo de desrespeito a estes direitos”, completou o democrata.

O procurador-geral de Justiça do Estado do Maranhão, Luiz Gonzaga Martins Coelho, ressaltou o papel do Ministério Público na defesa intransigente e corajosa dos direitos humanos no País. “Dentro das nossas respectivas atribuições funcionais, temos sido zelosos com a salvaguarda dos direitos humanos. Porém precisamos refletir que desde que os direitos humanos foram reconhecidos pelo ordenamento jurídico o grande dilema é a sua efetivação. Concretizar os direitos humanos é garantir as liberdades, é sermos livres da fome, do medo e da censura. É nao permitirmos retrocessos”, ponderou.

Ediene Santos Lousado, procuradora-geral de Justiça do estado da Bahia e presidente do GNDH, finalizou reiterando o papel do Ministério Público na defesa das liberdades e reiterando que “há muito a fazer nesse cenário de terra arrasada que vivemos com a violação aos direitos e garantias sociais do povo brasileiro”.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!