Nuzman e ex-diretor de Comitê Olímpíco são presos pela Polícia Federal

A investigação sobre compra de votos para a escolha do Rio de Janeiro pelo Comitê Olímpico Internacional como sede das… [ ]

5 de outubro de 2017

A investigação sobre compra de votos para a escolha do Rio de Janeiro pelo Comitê Olímpico Internacional como sede das Olimpíadas de 2016 coloca a Polícia Federal (PF) nas ruas novamente. A Operação Unfair Play – Segundo Tempo foi deflagrada nesta manhã de quinta-feira (5/10) pelo órgão em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF). Carlos Arthur Nuzman e Leonardo Gryner foram presos.

Presidente do comitê há 22 anos, Nuzman foi preso em casa, no Leblon. Ele é suspeito de intermediar a compra de votos de integrantes do Comitê Olímpíco Internacional (COI) para a eleição do Rio como sede da Olimpíada de 2016.
No total, são cumpridos dois mandados de prisão temporária e seis mandados de busca e apreensão, expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal (RJ), na cidade do Rio de Janeiro, em bairros como Ipanema, Leblon, Laranjeiras e Centro.
Os presos serão indiciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.
De Correio Brasiliense

0 Comentários

Deixe o seu comentário!