O que fazer para seu negócio sobreviver à crise

O sucesso de uma empresa depende de muitos fatores e o processo pode ser mais complicado quando o mercado passa… [ ]

3 de agosto de 2017

O sucesso de uma empresa depende de muitos fatores e o processo pode ser mais complicado quando o mercado passa por uma crise financeira. Portanto, com ajuda do professor de administração Haroldo Fontoura, da Faculdade Estácio São Luís, procuramos entender como o seu negócio pode sobreviver em períodos turbulentos.

“O primeiro passo é se atentar aos gastos. A microempresa pode sobreviver a partir da diminuição dos custos que deve ser conseguido com aumento da tecnologia e boas práticas de fabricação e prestação de serviço”, explica.

Além da contenção de custos, é importante, ainda, que a empresa se preocupe em melhorar ainda mais os serviços para os clientes. “A empresa deve trabalhar uma gestão otimizada, com diminuição de estoque, produção enxuta, qualificação de pessoal, gestão por processo e de processo do ponto de vista operacional. Do ponto de vista prestação de serviço, buscar aumentar sua carteira de cliente, visando sempre a satisfação dos clientes. Olhando para os processos produtivos de bens ou de serviço a busca constante da eficiência (Custos controlados) e Eficácia (Alcance de resultados)”, aconselha o professor da Estácio São Luís.

Durante esse período de instabilidade, todo cuidado é pouco, vez que dados dos pedidos judiciais ou de falência pelo país demonstram que o cenário não é dos mais fáceis para empreendedores – especialmente para os pequenos negócios. Especialistas chamam atenção, também, para a maior dificuldade do empresário nessa fase: a de tomar uma atitude. Logo, fazer um planejamento detalhado sobre  os próximos passos do negócio é fundamental.

“A principal prioridade em um momento de crise é trabalhar com planejamento físico e financeiro, manter um quadro quali-quantitativo de pessoal, evitar excesso de estoque, melhorar o atendimento e manter a satisfação do cliente”, resume o professor Haroldo Fontoura, da Faculdade Estácio São Luís.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!