EDUCAÇÃO

Paço do Lumiar recebe centro de ensino requalificado pelo programa Escola Digna

A comunidade do Maiobão, em Paço do Lumiar, recebeu, nesta terça-feira (22), a nova sede do Centro de Ensino Robson… [ ]

23 de setembro de 2020

A comunidade do Maiobão, em Paço do Lumiar, recebeu, nesta terça-feira (22), a nova sede do Centro de Ensino Robson Campos Martins, que foi totalmente requalificado por meio do programa Escola Digna, do Governo do Maranhão. A comunidade também foi beneficiada com obras estruturais no entorno da escola.

Ao lado do secretário de Educação, Felipe Camarão, o vice-governador Carlos Brandão exaltou os avanços da educação na gestão Flávio Dino. “Com a entrega de hoje, alcançamos a marca de 1.070 escolas que foram construídas, reformadas ou ampliadas pelo programa Escola Digna, que nos tem trazido grandes resultados, com destaque para o nosso último Ideb, com média de 3.7. Estamos no rumo certo”, contextualizou.

Com investimentos de, aproximadamente, R$ 2,5 milhões, a escola foi requalificada, com espaços para biblioteca, laboratórios, auditório, estacionamento para professores, entre outros. As obras incluem, ainda, uma quadra poliesportiva coberta, que está em fase de construção.

“Ficou incrível; é uma nova escola. A estrutura mudou muito e vai melhorar bastante o nosso aprendizado”, comemorou Josiane de Jesus, estudante do 3º ano do Ensino Médio.

Para o secretário Felipe Camarão, cada Escola Digna tem uma história e um significado especial. “Há cerca de dezenove anos, essa escola não recebia nenhuma intervenção, abrigava problemas estruturais sérios, que impactavam negativamente a vida dos estudantes. Então, essa entrega representa muito para o governador Flávio Dino e todos nós”, declarou.

O programa Escola Digna contempla não somente a comunidade escolar, mas todo o entorno dos centros de ensino. A Rua 102, que dá acesso ao C.E Robson Campos Martins, é um exemplo disso. Antes em situação precária, a via recebeu serviços de pavimentação com bloquetes, e foi entregue no mês de junho, por meio de parceria entre as secretarias de Estado da Educação (Seduc) e da Administração Penitenciária (Seap).

“Essa rua era um grande problema; praticamente intrafegável, servia como depósito de lixo, que era queimado frequentemente, interrompendo as atividades em sala de aula. Agora temos outra realidade”, relatou o gestor da escola, Adeilson Alves.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!