POLÍCIA

Polícia Militar desativa granada encontrada em terreno no bairro Planalto Anil

Em ação minuciosa, equipes da Polícia Militar conseguiram desativar uma granada de mão, de grande poder destrutivo. O artefato estava… [ ]

27 de outubro de 2020

Em ação minuciosa, equipes da Polícia Militar conseguiram desativar uma granada de mão, de grande poder destrutivo. O artefato estava em área próxima a um posto de combustível, no bairro Planalto Anil, e tinha inscrição referente à bandeira do Paraguai. Pelo menos três grupamentos especializados da militar, com o devido conhecimento em manuseio de artigos explosivos, participaram da operação. A investigação busca a responsabilidade pelo descarte e origem do artefato.

“Avaliamos como extremamente positiva a ação do efetivo da Polícia Militar. O artefato com o tempo se deteriora e pode explodir acidentalmente, podendo causar acidentes graves. Por isso, exige pessoas qualificadas para aproximação e neutralização. O risco é tremendo. Neste casos, a equipe teve êxito conseguindo desarmar o item. Não houve danos a pessoas”, explica o subcomandante da Polícia Militar do Maranhão (PMMA), coronel Nilson.

A operação iniciou com a informação repassada à polícia sobre a localização do artefato semelhante a uma granada, que estava em terreno baldio, no Planalto Anil I, perto das 11h30, do último sábado (24). Para desativar a granada de mão, os militares levaram o artefato a uma área de segurança, nas proximidades de um posto combustível. O local foi isolado e adotadas as medidas de segurança para reforço de isolamento do trecho.

Em seguida, os policiais militares realizaram a destruição do artefato, utilizando uma contra-carga explosiva. Com a detonação da granada e após verificar a segurança do local, a área foi liberada. “O trabalho de detonação foi preciso, não restando fragmentos ou vestígios residuais da granada após sua destruição”, destaca o subcomandante da PM.

As investigações são conduzidas pela Polícia Civil, que realiza incursões nas áreas próximas onde o artefato foi encontrado e na busca  dos possíveis suspeitos. A operação foi coordenada pelo Batalhão de Operações Especiais da Brigada Militar (Bope), com participação da Ronda Ostensiva Tática (Rotam), batalhão da área e, na cobertura de informações, o efetivo do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops).

0 Comentários

Deixe o seu comentário!