SAÚDE

População recebe orientação sobre atendimento a casos de síndromes gripais

Com a aproximação do período chuvoso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) reforça o fluxo para atendimento a casos… [ ]

27 de novembro de 2020

Com a aproximação do período chuvoso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) reforça o fluxo para atendimento a casos de síndromes gripais nas unidades da rede estadual de saúde. Na Região Metropolitana e no interior do estado, os Hospitais e as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) seguem preparados para oferecer a assistência. O período sazonal também exige a manutenção de cuidados como a higienização das mãos e a continuidade do uso da máscara.

“A Rede Estadual de Saúde tem se preparado para esse período sazonal de síndromes gripais, estruturando as portas de entrada, os ambientes de internação hospitalar e o acompanhamento desses pacientes. Estamos preparando tudo isso para dar uma melhor qualidade de atendimento e de resposta para os nossos pacientes”, destaca o secretário adjunto de Atenção à Saúde (SAAS), Carlos Vinícius.

Em São Luís, os pacientes com sintomas de gripe podem se dirigir especialmente às UPAs da Cidade Operária, Itaqui-Bacanga, Parque Vitória e Vinhais e ao Hospital Geral da Vila Luizão. No município de Paço do Lumiar, os pacientes podem buscar atendimento na UPA de Paço do Lumiar. Já em São José de Ribamar, a referência para casos de síndromes gripais é a UPA do Araçagy.

“Caso a internação se faça necessária, temos disponível uma ala para os pacientes que, eventualmente, cheguem em uma situação mais crítica. Também estamos aumentando o nosso quadro clínico para dar mais agilidade aos atendimentos, a fim de fazer com que o paciente permaneça o menor tempo possível na unidade, além de permanecermos adotando os protocolos exigidos pelo Ministério da Saúde”, reforça a diretora geral da UPA do Vinhais, Carol Hortegal.

Nas demais Regiões de Saúde do Maranhão, as portas de entrada para o atendimento a casos de síndromes respiratórias podem ser as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) ou os hospitais de urgência e emergência.

Suspeita de Covid-19

Na capital, os pacientes com suspeita de Covid-19 que não atendam aos critérios de internação, mas apresentem sintomas da Covid-19 podem, a partir da avaliação médica, ser encaminhados das UPAS aos ambulatórios de referência, no Hospital Dr. Genésio Rêgo e no Hospital de Cuidados Intensivos (HCI), para a realização da testagem.

Quando o usuário atender aos critérios de internação será inserido na Central de Regulação de Leitos do Estado e transferido para internação em uma das unidades de referência para tratamento da Covid-19, o Hospital Dr. Genésio Rêgo e o Hospital de Cuidados Intensivos, onde passarão pelo teste para confirmar o diagnóstico da Covid-19.

No interior do estado, ao receber o atendimento inicial, conforme a necessidade, o paciente pode ser encaminhado para uma das unidades de referência em atendimento a casos da Covid-19. Em todas as regionais de saúde, a rede estadual conta com, pelo menos, uma unidade de referência para a assistência a casos de coronavírus.

Prevenção

O resultado da 2ª fase do Inquérito Sorológico mostrou que, no começo da pandemia da Covid-19, 65% da população utilizava máscaras, índice que caiu em agosto para 56%, e no mês em outubro diminuiu ainda mais, ficando em 42%. O uso de máscara facial, o distanciamento social e a utilização de álcool em gel são algumas das recomendações para evitar o contágio não só pela Covid-19, mas também pelas demais síndromes gripais.

É importante manter cuidados como higienizar frequentemente as mãos; utilizar lenço descartável para higiene nasal; evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas; manter os ambientes bem ventilados; evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe e adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!