MEIO AMBIENTE

Prefeito Edivaldo inaugura Centro Ambiental Ribeira – São Luís

O Centro ocupa a área do antigo lixão da Ribeira e é composto por Galpão de Triagem de Materiais Recicláveis,… [ ]

15 de dezembro de 2020

O Centro ocupa a área do antigo lixão da Ribeira e é composto por Galpão de Triagem de Materiais Recicláveis, Pátio de Compostagem de Resíduos Orgânicos, Usina de Beneficiamento de Resíduos da Construção Civil e Centro de Educação Ambiental

O prefeito Edivaldo Holanda Junior transformou o antigo lixão da Ribeira em uma área de beneficiamento de resíduos sólidos e incentivo à sustentabilidade com a inauguração, nesta terça-feira (15), do Centro Ambiental Ribeira – São Luís. O centro é um marco para a cidade e resultado dos investimentos que o prefeito vem fazendo desde 2013 para profissionalizar a gestão de resíduos sólidos em São Luís. No local foram instalados um Galpão de Triagem de Materiais Recicláveis, um Pátio de Compostagem de Resíduos Orgânicos e uma Usina de Beneficiamento de Resíduos da Construção Civil que vão garantir o reaproveitamento de 7.300 toneladas de resíduos por mês. Além disso, o Centro de Educação Ambiental também implantado na área vai fortalecer as políticas de incentivo à reciclagem na capital. Desta forma, São Luís, que já é referência nacional no setor, avança ainda mais para ser uma das cidades mais sustentáveis do Brasil.

Durante a inauguração do Centro Ambiental Ribeira – São Luís o prefeito Edivaldo destacou que a entrega do espaço é um marco na história da cidade. “Esse é o encerramento de um ciclo que iniciamos na nossa primeira gestão para dar fim a um dos maiores gargalos sociais e ambientais da nossa cidade. Tínhamos um lixão, que desativamos em 2015, que era um local de degradação ambiental e humana e que agora é um espaço moderno. O Centro Ambiental que estamos inaugurando hoje conta com um Pátio de Compostagem, Usina de Beneficiamento de Resíduos da Construção Civil, Centro de Educação Ambiental e um Galpão de Triagem que vão garantir que o lixo produzido em São Luís seja reaproveitado. Ao longo da minha gestão, investimos na coleta seletiva, nos Ecopontos e, agora, com o Centro Ambiental Ribeira cada vez mais o Brasil volta os olhos para nossa cidade, que é referência nacional em limpeza urbana e sustentabilidade, sendo um dos principais legados da nossa gestão para a cidade e a população”, disse.

Acompanharam o prefeito Edivaldo a primeira-dama, Camila Holanda; o vice-prefeito, Julio Pinheiro; a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela; o secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Diego Rolim, o vereador eleito, Batista Matos, e representantes de entidades de catadores de materiais recicláveis, de ONGs e institutos que atuam na causa ambiental.

Para o vice-prefeito Julio Pinheiro, São Luís avança mais que grandes cidades rumo à sustentabilidade porque esta é uma das prioridades da gestão do prefeito Edivaldo. “Esta gestão entendeu que o lixo tem importância social, econômica, humana, ambiental e que apenas recolher e descartar corretamente nos aterros não traz benefícios. Por isso, tem feito investimentos constantes para transformar esta realidade. Ganham com isso a cidade, que fica cada dia mais limpa e sustentável, e a população que tem um local cada vez melhor para viver”, afirmou.

CENTRO AMBIENTAL

O Centro Ambiental Ribeira – São Luís está instalado em uma área de 60 hectares onde foram construídos os quatro equipamentos que compõem sua planta. O Galpão de Triagem de Materiais Recicláveis irá beneficiar até 10 toneladas por dia de recicláveis: papel/papelão, vidro, metal e plástico. Com o uso de esteira rolante para seleção do material, enfardadeiras, prensa de papel e papelão, máquina de compactação de latinhas, fragmentadora de papel e triturador de vidro o galpão funcionará de forma semi-mecanizada e o resíduo beneficiado ficará no padrão exigido pela indústria da reciclagem.

No Pátio de Compostagem de Resíduos Orgânicos serão processadas 90 toneladas mensais de frutas, legumes e verduras recolhidos de feiras livres e mercados públicos, além do resíduo de poda e capina que é descartado nos Ecopontos e os de origem dos serviços de capina e roçagem realizados diariamente pela Prefeitura. O adubo fabricado será doado aos pequenos produtores rurais para fortalecer a agricultura familiar.

A Usina de Beneficiamento de Resíduos da Construção Civil tem capacidade de processar até sete mil toneladas mensais de resíduos, produzindo até seis subtipos diferentes de insumos: pedras tipo 1, 2 e 3, pedrisco, areia, rachão e bica corrida. Este material voltará para a cadeia produtiva em obras executadas pela Prefeitura, gerando economia de recursos para os cofres municipais.

Para que o centro seja também uma área de incentivo à reciclagem e sustentabilidade foi construído um Centro de Educação Ambiental voltado para que estudantes de escolas públicas da rede municipal ou estadual e da rede privada e população em geral passem por atividades que incentivem uma mudança de hábito em relação à geração de resíduos. O local também permite que gestores públicos de qualquer parte do país possam entender todo o processo realizado pela gestão do prefeito Edivaldo e partir daí pensar em novas políticas de limpeza urbana.

“Este é o primeiro centro ambiental do país construído na metodologia ecopoarque. Com isso, a gestão do prefeito Edivaldo deixará para a cidade o legado de uma política totalmente estruturada para a valorização do resíduo sólido gerado na cidade e a profissionalização de todo o sistema de limpeza urbana. Hoje, São Luís já está em estágios mais avançados que muitas grandes cidades, garantindo o aproveitamento de um terço de todo o resíduo gerado na cidade diariamente por meio deste centro ambiental”, informou a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela.

MARCO PARA A CIDADE

A inauguração do Centro Ambiental Ribeira – São Luís é um marco histórico para a cidade por representar a recuperação do antigo lixão da Ribeira. Por isso, também é um dos principais legados da gestão do prefeito Edivaldo, que deu início aos estudos necessários para desativar o local sem que isso gerasse ainda mais impactos negativos para o meio ambiente ou prejuízos na prestação do serviço de coleta.

Em 25 de julho de 2015 as operações de descarregamento de lixo no local foram oficialmente encerradas. Segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal 12.305/2010), o prazo para a desativação era dezembro de 2018. Desde então, o Aterro da Ribeira passa por um rigoroso processo de recuperação ambiental que permitiu a implantação do centro.

Neste intervalo de tempo, a gestão do prefeito Edivaldo continuou avançando no setor. Em maio de 2016 foi inaugurado o primeiro Ecoponto de São Luís, localizado no Parque Amazonas. Os Ecopontos foram a primeira política efetiva de reciclagem implantada na cidade. Atualmente são 20 em funcionamento em diversos bairros da capital e outros estão em construção.

Outro avanço importante foi o estabelecimento de uma legislação específica para o sistema de limpeza urbana. Proposta pelo Executivo Municipal, a Lei Nº 6.321/2018 estabelece multas e sanções para quem (pessoa física ou jurídica) não faz o recolhimento, descarte e tratamento adequado do resíduo que produz.

Ampliando a oferta do serviço de coleta seletiva em São Luís, também foi implantada a Coleta Seletiva Domiciliar. Por meio da Campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza, a Prefeitura fortalece as ações de conscientização ambiental na cidade.

A gestão do prefeito Edivaldo também presta apoio às cooperativas de catadores de materiais recicláveis. Todo o material reciclável entregue pela população nos Ecopontos é encaminhado para estas entidades, que também receberam galpões de triagem com toda a estrutura para que os catadores possam executar seu trabalho de forma mais segura, organizada e eficiente. Por meio destes avanços São Luís é a cidade do Nordeste com maior taxa de reciclagem, 5,44%, segundo dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

0 Comentários

Deixe o seu comentário!