Prefeitura de São Luís mantém ações de combate ao mosquito Aedes aegypti

Nebulizações com carros fumacê e campanhas educativas têm sido intensificadas; visitas domiciliares foram readequadas para este tempo de pandemia A… [ ]

25 de abril de 2020

Nebulizações com carros fumacê e campanhas educativas têm sido intensificadas; visitas domiciliares foram readequadas para este tempo de pandemia

A Prefeitura de São Luís intensificou frentes de combate ao mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão de várias doenças como dengue, febre amarela urbana, zika e chikungunya. Nas últimas semanas, as ações têm como focos principais campanhas educativas nas mídias eletrônicas e as operações de nebulização espacial (mais conhecido como fumacê) no Centro e bairros da capital. Somente neste mês, já foram nebulizados 43 bairros. As operações ocorrem sempre nos horários das 5h da manhã e ao entardecer, por volta das 17h.

As ações fazem parte da política estratégica da gestão do prefeito Edivaldo e são coordenadas pela Superintendência de Vigilância Epidemiológica e Sanitária, órgão da Secretaria Municipal de Saúde (Semus). “Os serviços essenciais da gestão municipal seguem, mesmo neste momento de pandemia, para preservar a saúde da população, por isto não podemos descuidar do combate ao mosquito transmissor da dengue e de outras doenças. Assim, torna-se fundamental atuar firmemente na disseminação de informações e também nas ações de campo, isto é, no combate ao mosquito nos bairros”, ressaltou o prefeito Edivaldo.

“Neste momento de pandemia pelo coronavírus e de isolamento social da população, nós buscamos diversas estratégias para o combate ao mosquito transmissor da dengue e, no momento, estamos fazendo o combate com nebulização espacial, trabalhando em toda a cidade, mas priorizando os bairros onde o índice de infestação são maiores como Centro e Cidade Olímpica, por exemplo. A nebulização espacial é uma ação de bloqueio de foco, de quebra da cadeia de transmissão do mosquito”, explicou a superintendente de Vigilância Epidemiológica e Sanitária de São Luís, Teresinha de Jesus Lobo.

Outro foco são as ações da Vigilância nas mídias sociais como o envio de folderes e cartazes, enfim, material informativo em geral, no sentido de alcançar a população com elementos de conscientização sobre a importância da limpeza dos imóveis e recolhimento adequado do lixo para evitar a proliferação de focos do mosquito.

“Este é um trabalho constante da Vigilância e visa uma ação educativa, pois a gestão do prefeito Edivaldo tem feito um trabalho eficiente na área de coleta de resíduos domésticos, abriu dezenas de Ecopontos pela cidade, mas ainda há pessoas que preferem o descarte inadequado do lixo e outros materiais que eventualmente servirão de abrigo para focos do mosquito Aedes aegypti”, ressaltou a superintendente Teresinha Lobo.

VISITAS

Vale ressaltar que, de janeiro a março deste ano, as equipes de trabalho da Vigilância Epidemiológica visitaram quase 70 mil imóveis em toda a capital e tiveram de aplicar larvicida em 14 mil residências, onde foram constatados focos de infestação do mosquito Aedes aegypti. Neste mês de abril, em vista da pandemia do novo coronavírus, as operações das equipes de visitação de casa em casa foram suspensas temporariamente para readequação de procedimentos técnicos e de proteção sanitária, mas serão retomados em breve.

Os órgãos de saúde destacam que o período do verão é o mais propício à proliferação do mosquito Aedes aegypti, por causa das chuvas e, consequentemente, é a época de maior risco de infecção por estas doenças, especialmente zika e chikungunya, que podem gerar outras enfermidades, como microcefalia de bebês (durante a gestação) e síndrome de Guillain-Barré (distúrbio autoimune, ou seja, o sistema imunológico do próprio corpo ataca parte do sistema nervoso).

OUTRAS AÇÕES

A Prefeitura de São Luís, por meio do programa Todos por São Luís, tem promovido frequentemente campanhas de combate ao mosquito Aedes aegypty. Uma das últimas ações deste tipo ocorreu em meados de março, no bairro Angelim, onde foram realizadas operações de limpeza e desobstrução de bueiros, galerias e córregos, além de visita domiciliar dos agentes de endemias.

A Prefeitura vem realizando sistematicamente ações de combate ao mosquito desde o segundo semestre do ano passado com foco nas comunidades de maior incidência. No mês de fevereiro, o bairro do Coroadinho recebeu equipes de combate às endemias. O bairro Monte Castelo também foi contemplado e outras regiões da capital também receberão o reforço no combate ao mosquito.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!