ASSISTÊNCIA SOCIAL

Prefeitura de São Luís segue com a entrega de cestas básicas e peixe para famílias em vulnerabilidade social desta vez na região Itaqui-Bacanga

A  gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior segue colocando em prática ações de proteção às pessoas em situação de vulnerabilidade… [ ]

17 de abril de 2020

A  gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior segue colocando em prática ações de proteção às pessoas em situação de vulnerabilidade social e baixa renda com diversas ações, entre elas a distribuição de alimentos. A estratégia, que segue as normas de segurança apontadas por órgãos de saúde no que diz respeito à Covid-19,  visa garantir a segurança alimentar destas populações durante a pandemia do novo coronavírus. Nesta sexta-feira (17), houve mais uma entrega de cestas de alimentos não perecíveis e peixes congelados, desta vez, para famílias na região da Vila Nova, na área Itaqui-Bacanga.

A exemplo do que vem sendo feito durante estas ações, a entrega está sendo realizada de casa em casa para evitar aglomeração de pessoas como estratégia de combate à Covid-19. No total, calcula-se a distribuição de cerca de 2.540 cestas para famílias atendidas pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), em diversos bairros da capital.

“Nessa primeira etapa estaremos entregando cestas até o dia primeiro de maio. Seguimos a orientação do prefeito Edivaldo em continuar a dar suporte para as pessoas que mais precisam. Evitaremos anunciar previamente via imprensa os locais para que não gere aglomeração. Pedimos às pessoas que permaneçam em casa, qualquer orientação de que elas devem se dirigir até as unidades de Cras para recebimento está equivocada, todas as cestas serão entregues na casa das pessoas”, esclareceu a secretária da Semcas, Andréia Lauande.

A ação é coordenada pela Semcas com apoio da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar (Semsa), por meio do programa Peixe Solidário. “Esta ação é a continuidade do nosso trabalho de atendimento às famílias em situação de vulnerabilidade social e alimentar, cumprindo uma determinação do prefeito Edivaldo, de envidar esforços para alcançar as pessoas que mais estão precisando de ajuda neste momento. As pessoas que estão recebendo o peixe e a cesta de alimento complementam a dieta de suas famílias com itens nutricionais importantes, pois aliam os carboidratos dos grãos e da farinha à proteína do peixe”, observou a secretária da Semsa, Fatima Ribeiro.

CESTA

Além do peixe, cada cesta de alimentos contém arroz, açúcar, farinha de mandioca, macarrão, sardinha em lata, sabão em barra, óleo de soja e leite em pó. Para a região do Cras Vila Nova foram destinadas 120 cestas de alimentos e cerca de 100 pacotes de peixe congelado (cada pacote com dois quilos de pescado). Fazem parte da área de influência do Centro os bairros Vila Nova, Vila Real, Vila Mauro Fecury I e II, São Raimundo, Vila São Mateus, Ponta Do Bom Fim, Ilha Da Paz, Bonfim, Vila Areia, Sol Nascente e Vila Ariri.

Na Vila São Luís, uma das primeiras famílias a receber o auxílio foi a de Valdilene de Jesus Arouche Sousa. Na sua residência moram seis pessoas, sendo a maioria crianças. “Esta ajuda chega em boa hora, pois nestes dias de quarentena está difícil manter a família”, comentou Michele de Jesus Arouche Sousa, que mora com a sua irmã, Valdilene.

Raimundo Flor de Lima, de 58 anos, também recebeu o auxílio. “Aqui na minha casa moram quatro pessoas, sendo meus três filhos e ex-esposa. Estou desempregado há muitos anos e tenho vivido da ajuda que recebo de amigos, vizinhos e da Assistência Social”, comentou.

Em um único imóvel, uma pequena casa de alvenaria da Vila São Luís, habitam duas famílias que dividem o espaço e também os problemas. São elas as irmãs Ana Cristina e Paula Maria Cardoso Machado. Ana tem três filhos e Paula duas filhas. As duas não têm emprego e precisam de ajuda para sobreviver. “Esta cesta de alimentos vai ajudar bastante no sustendo por alguns dias”, comentou Paula.

A diarista Maria Raimunda dos Passos Carvalho, de 48 anos, mãe de três filhos (respectivamente com 10 anos, 12 anos e 14 anos de idade), também recebeu a cesta de alimentos e os peixes. “Estou sem trabalho neste período em que todo mundo tem que se fechar em casa por causa do coronavírus. Está difícil garantir o pão de cada dia”, disse Maria.

AÇÕES

No início deste mês, a Prefeitura de São Luís anunciou uma série de medidas para auxiliar as pessoas em situação de baixa renda e de vulnerabilidade social, com objetivo de beneficiar mais de 70 mil famílias. Uma das medidas anunciadas é o incremento de R$ 40,00 para famílias que fazem parte do Programa Bolsa Família e integram o Cadastro Único. Nesta etapa estima-se beneficiar cerca de 12 mil famílias com o auxílio-renda.

Há mais 58 mil famílias cadastradas no programa, que não estão dentro da faixa de extrema pobreza, mas que serão beneficiadas com a entrega de alimentos por meio do Programa Peixe Solidário ou do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), coordenado pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar (Semsa), com apoio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa).

Além disto, o prefeito Edivaldo garantiu a suspensão da cobrança da tarifa de iluminação pública por três meses para quem consome até 220 kWh e integra a tarifa social de energia elétrica e, ainda, fará semana que vem, a distribuição dos kits de alimentação a alunos da rede municipal.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!