SAÚDE

Prefeitura de São Luís segue com cronograma de vacinação contra Influenza/H1N1 aos acamados e pessoas com baixa mobilidade

Gestão do prefeito Edivaldo segue com imunização, agora prestando assistência especializada a este público que não pode comparecer aos postos… [ ]

24 de abril de 2020

Gestão do prefeito Edivaldo segue com imunização, agora prestando assistência especializada a este público que não pode comparecer aos postos de vacinação

A vacinação contra a Influenza/H1N1 na capital maranhense segue sendo realizada pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus). Após vacinar 240.282 pessoas desde o dia 23 do mês passado na cidade, a gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior volta as atenções para quem tem restrição locomotora, os chamados acamados e também baixa mobilidade. Após abrir prazo para inscrição de interessados no serviço, através de um sistema de call center, a pasta intensificou as aplicações a este público desde segunda-feira (20).

No total, mais de 600 domicílios foram visitados e durante a aplicação das doses, os técnicos do setor tomaram todas as medidas de precaução para evitar contaminação, como uso de máscaras e luvas e aplicação do álcool em gel antes e depois do procedimento.

O serviço especializado tem como objetivo, além de assistir ao público com mais dificuldades para se deslocar a unidades de saúde, minimizar os riscos de exposição destas pessoas. A maior parte dos acamados engloba pessoas acima dos 60 anos de idade, considerados integrantes do grupo de risco.

Para o secretário de Saúde de São Luís, Lula Fylho, a assistência especializada a este público reforça a política de atenção básica da pasta colocada em prática na gestão do prefeito Edivaldo. “Inicialmente, abrimos prazo para a inscrição através do nosso call center. Depois, dividimos as demandas em grupos para, em comum acordo com setor de imunização, proteger o público por áreas. Nossa estrategia têm sido exitosa, sem dúvida”, afirmou.

A paciente Maria de Fátima Alencar, de 64 anos, possui restrições físicas. Devido à uma queda ocorrida há algumas semanas, a aposentada está em recuperação após procedimento cirúrgico. Para ela, a vacina é de suma importância. “Fui bem atendida, os profissionais são atenciosos e com certeza me sinto mais segura”, afirmou.

Nos próximos dias, a pasta deve informar o calendário de vacinação a outros públicos contra a influenza/H1N1. Nestas fases seguintes, deverão ser protegidos profissionais da segurança, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, povos indígenas, profissionais do transporte coletivo (motoristas e cobradores de ônibus), trabalhadores portuários, professores, gestantes, puérperas e adultos entre 55 e 59 anos de idade. Além dos acamados, pessoas em condomínios que previamente também se inscreveram através dos fones do call center estão sendo protegidas.

Nas últimas semanas, a Semus vacinou idosos e crianças entre seis meses e menores de seis anos e promoveu estratégias para descentralizar o atendimento e, desta forma, ampliar a rede de proteção.

Para isso, uma estrutura drive thru foi montada no Complexo Canhoteiro, ao lado do Ginásio Castelinho, no Outeiro da Cruz. Além disso, 12 escolas estiveram disponíveis e a vacinação em ambos os locais obedeceu ao ordenamento alfabético previamente divulgado pelo município. Ao todo, 124.711 idosos foram imunizados. Além destes, 41.194 trabalhadores da saúde também foram protegidos desde o início da campanha.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!