Produtores do Agropolo da Ilha recebem capacitação em agricultura orgânica

Agricultores assistidos pelo Programa Agropolos, na Ilha de São Luís, estão cada vez mais perto da produção orgânica. Esta semana,… [ ]

9 de agosto de 2017

Agricultores assistidos pelo Programa Agropolos, na Ilha de São Luís, estão cada vez mais perto da produção orgânica. Esta semana, em Paço do Lumiar, eles recebem capacitação em agricultura orgânica, promovida pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima).

Hoje, as lavouras destes produtores são consideradas agroecológicas, devido à aplicação de técnicas que aliam a atividade com o uso e conservação dos recursos naturais, por meio de práticas ecologicamente adequadas, acesso à terra e valorização do conhecimento tradicional. O uso do biofertilizante Verdão, desenvolvido e distribuído pela Sagrima contribui para essa característica.

A Agroecologia é um passo na direção da produção orgânica, que enfatiza o uso e a prática de manejo sem o uso de fertilizantes sintéticos de alta solubilidade e agrotóxicos, além de reguladores de crescimento e aditivos sintéticos para a alimentação animal. Produtos orgânicos normalmente possuem maior valor de mercado e vem conquistando cada vez mais consumidores.

O curso teve duração de três dias, com atividades práticas em um polo agrícola do município. Dona Domingas do Nascimento, agricultora de Mojó, sabia pouco sobre orgânicos e agora, no final do curso, já pensa nas mudanças que fará nas hortas para valorizar seus produtos. “Tô achando ótimo, é o curso mais interessante que eu já fiz. Minha plantação toda vai melhorar, pra eu conseguir produzir com mais qualidade”, disse.

A iniciativa é realizada em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), com quem a Sagrima mantém convênio para oferta de assistência técnica e gerencial em cadeias produtivas prioritárias do Programa Mais Produção. “A aplicação dos princípios agroecológicos na pequena propriedade rural consegue aumentar sua sustentabilidade econômico-financeira, aumentando os benefícios para o agricultor, sua independência no uso de energias não renováveis e a preservação de sua identidade cultural e da sua condição de saúde”, explica Joicilene Gusmão, técnica de hortifruticultura.

Somente no mês de julho, agricultores do Agropolo da Ilha já foram capacitados em produção de mudas, agricultura orgânica e no Negócio Certo Rural, curso em que eles têm acesso a ferramentas simples de gestão e aprendem a desenvolver e melhor administrar a pequena propriedade rural, com consultoria.

Para o secretário da Sagrima, Márcio Honaiser, é fundamental levar aos produtores as ferramentas necessárias para que possam crescer, e o conhecimento é a principal delas. “Os produtores maranhenses tem uma enorme vontade de trabalhar e aumentar sua produção, só precisam da assistência adequada, para melhor utilizar os equipamentos e as tecnologias disponíveis. Esse é o nosso trabalho enquanto governo, ajudando os pequenos a se tornarem grandes”, disse.

No Agropolo da Ilha, mais de 250 propriedades recebem assistência técnica e gerencial na cadeia de hortifruticultura, além de insumos, como sementes e o biofertilizante.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!