Professores participam da primeira etapa da formação voltada para o campo

O Governo do Maranhão realiza até a próxima quinta-feira (19), no Hotel Praia Mar, a I Etapa da Formação de… [ ]

16 de outubro de 2018

O Governo do Maranhão realiza até a próxima quinta-feira (19), no Hotel Praia Mar, a I Etapa da Formação de Professores do Projovem Campo – Saberes da Terra 2018. A ação tem por objetivo preparar os educadores para que possam trabalhar na sala de aula a pedagogia e as metodologias diferenciadas e específicas da educação do campo.

Cerca de 130 professores, aprovados no seletivo realizado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), participaram da formação, além de 25 coordenadores ou gestoras das escolas em comunidades rurais de 25 municípios onde o programa é realizado.

“Essa é mais uma das inúmeras formações que o Governo do Maranhão vem realizando nesses quatro anos. Desta vez, o foco é melhorar o ensino ofertado a jovens agricultores que não tiveram a oportunidade de avançar nos estudos. Estamos capacitando os professores para que eles possam trabalhar com esses jovens atendendo de forma adequada e qualitativa às suas necessidades educacionais”, destacou o secretário Felipe Camarão, que participou da solenidade de abertura da formação.

“Durante os quatro dias, os professores estarão aqui, trocando experiências e recebendo informações sobre as especificidades do programa que tem uma característica especial por trabalhar a partir do eixo norteador da profissionalização”, destacou Adria Utta, supervisora de Educação no Campo.

Ainda na abertura, o secretário Felipe Camarão participou de uma ciranda com professores embalada pela música ‘Engenho de Flores’, de Josias Sobrinho, e pelo poema ‘Os Estatutos do Homem’, escrito mais famoso do poeta Thiago de Mello, escrito em 1964, logo depois do golpe.

Para os professores que participam da formação, essa é uma oportunidade de ampliar conhecimento e melhorar o trabalho em sala de aula. “Estou ansioso para aprender mais. Eu sou professor há apenas três anos, e essa é minha primeira experiência com a Educação do Campo, e sabemos que é uma modalidade diferenciada, a batalha é feita no dia a dia, o ambiente e as necessidades educacionais são diferentes do ambiente urbano. E essa formação é importante por dois motivos: primeiro como troca de experiências com outros colegas; e segundo para ouvir os direcionamentos pedagógicos para a Educação no Campo”, disse Dionísio Araújo Santos, professor de Ciências Humanas, na Vila União, em Governador Nunes Freire.

“Esse momento me emociona porque ‘Os Estatutos do Homem’ também conhecido como ‘Ato Institucional Permanente’, é um convite à reflexão. Apesar de ter sido escrito há mais de 50 anos, nos fala muito do momento atual que atravessamos, nos fala do que pode vir. E isso é preocupante”, concluiu Felipe Camarão.

Sobre o programa

O Projovem Campo – Saberes da Terra, criado em 2005, faz parte das Políticas de Juventude do Governo Federal, e é um programa que oferece qualificação profissional e escolarização aos jovens agricultores familiares de 18 a 29 anos que não concluíram o Ensino Fundamental, mas sabem ler e escrever. O programa visa ampliar o acesso e a qualidade da educação ofertada a esses jovens que foram excluídos do processo educacional, respeitando as características, necessidades e pluralidade de gênero, étnico-racial, cultural, geracional, política, econômica, territorial e produtivas dos povos do campo.

No Maranhão, o programa está sendo desenvolvido em 25 municípios, com prioridade para aqueles com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), e faz parte das políticas de estado para combate à pobreza e pela redução das desigualdades sociais. O programa tem duração de dois anos. As aulas foram iniciadas há dois meses, e é executado por meio de parceria entre o Estado e os municípios.

“Um grande diferencial é a ‘sala de acolhimento’, um espaço para acolher filhos de estudantes. Nós sabemos que muitas jovens interrompem os estudos por causa de uma gravidez precoce. Então, o programa dá a elas a oportunidade de voltarem a estudar, tendo os filhos por perto. O programa contratou e preparou um profissional para que acolha as crianças enquanto seus pais estudam”, explicou João Rocha, coordenador do Projovem Campo, no Maranhão.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!