SAÚDE

Serviço oferecido no Sorrir é referência estadual para o diagnóstico precoce

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que, em 2018, foram detectados no Brasil 14.700 casos de câncer de… [ ]

12 de agosto de 2019

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que, em 2018, foram detectados no Brasil 14.700 casos de câncer de boca, dos quais 11.200 homens e 3.500 mulheres. Uma média de 40 novos casos por dia. Para ajudar no diagnóstico, prevenção e detecção de novos casos, a Unidade de Especialidades Odontológicas do Maranhão – Sorrir, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), oferece assistência de média complexidade à população maranhense, atuando também como referência estadual para o diagnóstico precoce do câncer de boca.

A unidade Sorrir conta com um estomatologista, que cuida da prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças da boca e estruturas anexas, bem como prevenção de doenças sistêmicas que possam interferir no tratamento odontológico.

“Antes do Sorrir, tínhamos a deficiência desse atendimento de alta e média complexidade odontológica. Então em casos de lesões na boca nos pacientes, os médicos já encaminhavam para os hospitais, onde ele passava por diversos profissionais de saúde até ter o diagnóstico correto da sua patologia. Agora, esse paciente tem uma estrutura, onde ele pode fazer esse diagnóstico de forma mais rápida e precisa”, explicou o diretor administrativo do Sorrir, Fabrício Saraiva.

Segundo ele, a demora no diagnóstico e tratamento correto pode agravar as lesões na boca, que podem aumentar e se tornar graves, levando, inclusive, o paciente a perda de ossos, órgãos importantes, como a língua, e até mesmo evoluir ao óbito.

“Nosso rastreamento pode ser muito mais efetivo se o paciente, sobretudo do interior do estado, que tem menos acesso a informação, receber do médico que o atendeu o correto referenciamento para o Sorrir. Qualquer lesão na boca do paciente deve ser avaliada pelo odontologista ou o estomatologista, que pode fazer o diagnóstico e até mesmo tratar a lesão, dependendo da gravidade, na própria estrutura da unidade, que é habilitada para o serviço”, destacou Fabrício Saraiva.

Fluxo de atendimento
O atendimento com o especialista funciona de maneira referenciada, por médicos e odontologistas da capital ou do interior do estado que fazem a detecção da lesão e encaminham para o Sorrir.

Na unidade, o paciente é avaliado e, dependendo da lesão, faz a biopsia para detectar a doença. Se a lesão for benigna, é tratada no próprio consultório clínico, com a remoção por meio de intervenção cirúrgica. Quando a lesão compromete outras estruturas e tem complexidade maior, é encaminhada para o Hospital do Câncer do Maranhão.

Doença

O câncer da boca (também conhecido como câncer de lábio e cavidade oral) é um tumor maligno que afeta lábios, estruturas da boca, como gengivas, bochechas, céu da boca, língua (principalmente as bordas) e a região embaixo da língua. É mais comum em homens acima dos 40 anos.

A maioria dos casos é diagnosticada em estágios avançados. A parte posterior da língua, as amígdalas e o palato fibroso fazem parte da região chamada orofaringe e seus tumores têm comportamento diferente do câncer de cavidade oral.

Segundo o estomatologista do Sorrir, Diêgo Souza, os fatores de risco que contribuem para o surgimento do câncer de boca são o tabagismo, consumo regular de bebidas alcoólicas, exposição ao sol sem proteção (risco importante para o câncer de lábios), excesso de gordura corporal e infecção pelo vírus HPV (relacionado a alguns casos de câncer de orofaringe).

“Os fatores de risco são muito claros. Os homens são os mais acometidos e a incidência tem aumentado nos mais jovens. Os pacientes mais graves que recebemos aqui são oriundos do interior do estado, que demoram muito para chegar ao centro de referência, pela falta de direcionamento. E essa demora determina na resposta e tratamento desse paciente”, destacou Diêgo Souza.

Todos devem estar atentos à saúde bucal, buscar atendimento odontológico de forma regular e ficar atento aos seguintes sintomas: feridas na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias, que podem apresentar sangramentos e estejam crescendo; manchas/placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas; nódulos (caroços) no pescoço. Em casos mais graves o paciente tem rouquidão persistente; dificuldade de mastigação e de engolir; dificuldade na fala; sensação de que há algo preso na garganta; dificuldade para movimentar a língua.

Sobre o Sorrir

A Unidade de Especialidades Odontológicas do Maranhão – Sorrir realiza atendimentos entre consultas e procedimentos, como radiografia, endodontia, periodontia, pequenas cirurgias, para atendimentos mais complexos como prótese, punção para biopsia, cirurgia oral, buco-maxilo-facial, além de atendimento de urgência, referenciado e espontâneo, inclusive com serviço de diagnóstico antecipado de câncer bucal.

A unidade presta atendimento de segunda a sexta-feira, de 8h às 20h, e sábado de 8h às 12h, ao lado da Farmácia Estadual de Medicamentos Especializados (Feme), em frente ao Terminal de Integração da Praia Grande.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!