SES rescindirá contrato com o Idac

O secretário estadual de Saúde, Carlos Lula, afirmou que rescindirá hoje o contrato com o Instituto de Desenvolvimento e Apoio… [ ]

5 de junho de 2017

Em entrevista, o secretário estadual de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, falou sobre o caso

O secretário estadual de Saúde, Carlos Lula, afirmou que rescindirá hoje o contrato com o Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (Idac) após a Polícia Federal e o Ministério Público Federal terem descoberto uma fraude de mais de R$ 18 milhões na entidade. O presidente do Idac, Antônio Aragão, e quatro funcionários foram presos pela PF na última sexta-feira, dia 2.

“O contrato será rescindindo no dia de hoje (segunda-feira, 5) e todas as unidades que eram administradas pelo Idac, passam a serem geridas pela própria secretaria de Saúde, a partir da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh)”, afirmou Lula. O titular da SES afirmou que oficiará ao MPF e a PF a decisão de rescindir o contrato com o instituto.

VEJA TAMBÉM: VÍDEO: Carlos Lula fala sobre caso IDAC

O Idac tinha contrato com o governo estadual desde 2013, período do governo Roseana Sarney. O Instituto era responsável pela administração estaduais, tais como: Hospital Regional de Carutapera, Hospital Geral de Barreirinhas, Hospital Aquiles Lisboa, Hospital de Paulino Neves, AME Barra do Corda e AME Imperatriz.

Das cinco pessoas presas, durante a 4ª fase da operação “Sermão aos Peixes”, o secretário Carlos Lula afirmou que nenhuma delas era servidora da Secretaria Estadual de Saúde (SES). “A operação foi exclusivamente em relação ao Idac. Não há envolvimento de nenhum servidor da Secretaria de Saúde. Digo isso, com base na decisão judicial que determinou a prisão dessas pessoas”, declarou Lula.

A PF cumpriu 19 mandados judiciais, expedidos pela 1.ª Vara Criminal Federal da Seção Judiciária do Maranhão – 4 mandados de prisão preventiva, um de prisão temporária, 9 de busca e apreensão. Quatro alvos foram presos em flagrante.

Operação

A Polícia Federal apreendeu R$ 644 mil em dinheiro vivo e até uma BMW X1 na Operação Rêmora, quarta fase da Sermão dos Peixes – investigação que desmontou esquema de fraudes na área da saúde no Maranhão – deflagrada nesta sexta-feira, 2.

Os agentes encontraram nos endereços dos investigados na Operação Rêmora R$ 644 mil em espécie. Parte desse montante, R$ 445 mil, foi apreendida no Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (IDAC), organização social sem fins lucrativos, que geria os recursos públicos da saúde do Maranhão.

Um investigado que foi preso em flagrante estava de posse de R$ 85 mil. Mais R$ 90 mil em dinheiro vivo foram encontrados em uma residência. A PF apreendeu também diversos documentos, 7 veículos, sendo um BMW X1.

A fraude estimada até o momento bate em R$ 18 milhões, destaca a PF. A pedido da PF, a Justiça Federal decretou o bloqueio e sequestro de bens num total que supera a cifra de R$ 12 milhões.
Sermão dos Peixes aponta indícios de que os recursos geridos pelo IDAC foram desviados por meio de ‘vultosos’ saques em espécie, que estariam sendo realizados por um funcionário da organização social diretamente das contas do Instituto.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!